Seguidores

domingo, 18 de setembro de 2016

Flim 2016 Almas Corsarias

Flim 2016 uma certeza inúmeros e memoráveis encontros que incendeiam nossa
memoria afetiva !
Tanta gente e gente. Que não é mercado. Gente humana, escrever fazer arte é uma
mera desculpa para saborear a vida.
Estive em duas mesas aprendi muito sobre a obra de Carlos Drummond de Andrade ouvi
sobre a vida nas aldeias portuguesas. De um escritor que nasceu na Revolução dos Cravos
e circula o mundo. Enquanto minha aldeia é São José dos Campos as vezes me ausento de
minha aldeia.
É a vida quanta gente talentosa que escreve e não escreve. Conheço escritores não escritores nesta
minha jornada. E o parque cheio de vida ! Almas corsa rias … escritores devoradores de bebidas
etílicas nos contando de suas literaturas e nós sempre eternos anônimos poetas né.
A vida é curta mas estes encontros transcendem a inexistência do tempo.
Queria eu cumprimentar Ricardo Chacal reverenciando sua geração. Ele se disse hipe confesso eu
minha primeira influencia na contra – cultura !
Não sou jornalista não que não tenha vocação. Mas escrever é um oficio um árduo e prazeroso
oficio mesmo anonimo estar eu entre mestres roteiristas eu que ainda sonho com o fazer cinema
neste Vale do Paraíba.
Uma única foto e colegas de jornadas ali na temporária imortalidade. Ganhei uma linda historia
em um livro de Mirian Cris !
“ Tuco o catador de palavras “
Edson Prata e suas inúmeras historias sobre o mundo com saberes profundos sobre politica e
piracemas !
Em uma consciência ambiental que poderia estar em qualquer mesa a nos contar suas historias.
Santos Chagas que saie de um portal e vende seus DVDs . As novas e quero conhecer as canções
de seu show A primeira missa no Brasil.
É a vida, sol, luz, lua quase cheia !
Poetas, quase profetas . Ricardo Aleixo poeta desconhecido para mim lá das bandas de Minas Gerais estado que nasci ! Mas sou caipira.
Valeparaibano e São José faz divisa com Minas no alto da Mantiqueira la nas bandas de São
Xico onde construo minha imaginaria casa em forma de vagina Dailor Varela só gostou
deste poema meu !
É a vida … João Nicolau e suas quase ironias onde um coelho verde queria esbofeteá-lo !
É a vida .. e tinha uma mesa “ Cidade das Palavras “ nome de um projeto com poetas daqui
realizado por mim e Marcelo Planchez chove em nossa aldeia preciso encerrar
esta cronica quem sabe virão outras sobre esta “ Festa “ é uma pena a Semana Cassiano
Ricardo não me gerar este prazer !
É que não existe mais comissão de literatura na cidade das palavras e os escritores da
cidade silenciam-se não existe comissão de música e os músicos não cantam !
E a cidade e seus artistas, cidadãos não se articulam para fazer valer suas vozes e suas
utopias.
O silencio é uma perversidade ... em tempos de fora qualquer coisa.
A democracia é como ouroboros se devorando. Ela nasce de reflexão suor e lagrimas !
Quiça festivais como este alcançem e aconteçam em escolas. Afinal nos anos oitenta assisti na
escola Ana Candida de Barros Molina uma palestra de Ignacio Loyola Brandão.
E estou aqui o menor entre os mestres ! 

Joka

João Carlos Faria


Nenhum comentário: