Seguidores

terça-feira, 5 de abril de 2016

Quem sabe faz a hora

Defender que a área da tecelagem Paraíba torna-se um espaço publico faz
parte da cidadania.
Defender uma saída pela Vila Maria é justo.
A Fundação Cultural Cassiano Ricardo se isolou naquele buraco que
quem não tem automóvel não chega com segurança.
É hora de um debate com profundidade dos rumos da arte e cultura
na cidade.
Ninguém com bom senso vai apoiar as cegas a lei proposta pela
fundação.
Querem um conselho enorme e burocrático.
E esqueceu-se da real importância das comissões setoriais que eram
espaços de ajuntamento e formação do cidadão que se interessa
por arte.
Em politica ninguém é santo. Mas a comunidade pode aprender a
decidir seus rumos.
E as comissões setoriais eram espaços de aprendizagem. Onde tínhamos
sim conflitos mas aprendíamos muito.
Coisas que as redes sociais não nos trazem.
Cabe a comunidade joseense tomar os rumos da cidade !
O modo atual de organização da vida politica via partidos políticos
esta desgastado e sem nenhum crédito.
Nos cabe o bom debate !


Joka

João Carlos Faria


Tecelagem Paraíba um patrimonio do povo de
São José dos Campos

Estamos no aguardo das decisões politicas. O complexo da
antiga tecelagem Parayba é um patrimonio de São José dos Campos.
Cabe um pouco de bom senso ao governador Geraldo Alckmin.
Cade os posicionamentos dos deputados Eduardo Cury e
Helio Nishimoto e da bancada de vereadores do PSDB ?
Prejudicar São José dos Campos e fazer o município gastar
uma verba não planejada e falta de visão politica do governador.
E conseguiu colocar o prefeito Carlinhos de Almeida como
vitima de um ato de má-fé do governo Estadual.
E prejudicar a cidade. Aquela área é um patrimonio da cidade
e pode ter um destino bem melhor que virar alvo da especulação
imobiliária. Enquanto prefeita Angela Guadagnim conseguiu
deixar um legado para a cidade que é o Parque da Cidade.
Esperamos que o governador Geraldo Alckmin volte atrás
desta decisão.
E recupere aqueles galpões e deixe a Fundação Cultural
Cassiano Ricardo permanecer no local enquanto não
se termina a reforma do Vicentina Aranha. Que é estrategicamente
o melhor lugar para a Fundação Cultural Cassiano Ricardo nos
dias de hoje.


Joka

João Carlos Faria

Nenhum comentário: