Seguidores

sábado, 30 de abril de 2016


Do aprender a caminhar

A senhorita Poesia anda sempre por ai e não
liga se não derem atenção para ela.

Joka

sexta-feira, 29 de abril de 2016


Anjos dançam em volta da fogueira !
Não são meras esculturas nos cemitérios.

quarta-feira, 27 de abril de 2016


“ No fundo do abismo tem um alçapão “

Que lastima ver este Brasil mergulhado neste caos !
Não temos dinheiro para nos mandar deste pais.
E o túnel anda sem nenhuma luz.
“ E no fundo do abismo tem um alçapão “.
A classe politica que esta ai. Esta porque foi eleita.
E não vejo muita esperança em renovação este
congresso foi eleito depois de junho de 2013.
A esquerda e a direita estamos rumando para o
abismo.
O desemprego e a deterioração dos serviços
públicos esta grande.
Tem estados entrando em colapso vide
Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul.
São Paulo emite sinais de desarranjo nas
contas públicas e os serviços públicos
estão ruins.
E a classe politica se agarra ao poder e vive
na ilha da fantasia “ Brasília “
Derrubar uma presidenta não vai melhorar
em nada a situação.
Os empresários e a centrais sindicais, Fiesp
não tem liderança nenhuma.
Não temos lideres que nos tire deste caos !
É necessária uma grande mobilização e
refletir e buscar saídas dentro do estado
democrático de direito.
A classe politica não ousa. Defende seus
mesquinhos interesses.
É urgente surgir novas alternativas para
sairmos deste caos.
A vaca caiu numa areia movediça.

Joka

João Carlos Faria

terça-feira, 26 de abril de 2016


Ocupemos as escolas

Sai de casa no inicio da noite com um casaco e um guarda -chuva !
E passo no Sesc uma multidão para ver e falar de poesia !
Isto mesmo poesia. Inúmeras pessoas ficaram de fora da festa.
Voltei ao SESC arrumei um lugar em sua sala de leitura.
E la vi a juventude se divertindo e debatendo a literatura.
E os jovens de ensino médio reclamam que o jeito que é dada
a literatura nas escolas ela é bem chata.
Dá para perceber que a educação no Brasil precisa de uma imensa
mudança.
No mesmo SESC um velho professor com muita tarimba reclama
da falta de apoio aos educadores.
E nas escolas muitos educadores sempre adoecem.
A educação precisa se reinventar. E é papel de todos nós cidadãos
brasileiros.
No chão da escola vejo inúmeros avanços.
E cabe em época de crise se debater a educação.
Acredito que as escolas devem ser palco de arte, cultura e afins
em finais de semana e feriados.
Nos cabe o debate.
Ocupemos as escolas.
E no estado do Rio de Janeiro a um grande movimento de
ocupação das escolas.
Enfim a sociedade se mobiliza !
E lanço a proposta de se usar a Ademar de Barros em frente
ao SESC São José dos Campos para manifestações artísticas
após o Sesc fechar !
Precisamos criar espaços de debates além das redes sociais.
Como diria um colunista do Entrementes olhando nos
olhos.
A vida é breve.

Joka

João Carlos Faria

segunda-feira, 25 de abril de 2016


O LUGAR DE REVOLUCIONÁRIOS E NA RUA

Neste fim de semana quero estar viajando mas a idéia de sarais
em frente ao SESC São José dos Campos continua vamos aproveitar
este espaço e como sempre nos falava Harley Campos vamos é
tomar conta do espaço !
O espaço esta lá aproveitem a rua é do povo !
Com quatro pessoas fizemos meia hora de sarau imaginem mais
gente se apresentando.
Daqui a pouco alguém na mídia da um novo mote.
Não podemos é ficar aqui nas redes sociais achando que fazemos
“ revolução “ é no ajuntamento de pessoas que tudo acontece as
redes sociais é uma ferramenta não mais que isto.
Para quem ousar um bom sarau.
Enquanto isto ouçamos as canções de Santos Chagas em seu DVD.

Joka

João Carlos Faria



Joka Faria, Josefina Neves Mello, Bete Bino, João Nicolau 
no Sarau em frente ao Sesc São José dos Campos no
sábado 23 de Abril de 2016.  

domingo, 24 de abril de 2016



Que tal um sarau das ' Belas e recatadas “ próximo ao SESC em um sábado por volta
das 7 da noite.
Com muito bom senso ! kkk



Sarau Belas recatadas e do lar !
Ontem em frente ao Sesc
Com  Josefina Neves Mello Bete Bino Beatriz Galvão João Nicolau Joka Faria

Sarau “ Bela Recatada e do Lar “ em São José dos Campos.
Na avenida Ademar de Barros em frente ao SESC.
As 19 H
Venham para que tenham outros sarais !
E quem não vir neste vai perder !
Quem sabe terá outros ?




 Wangy Alves Eu topo!!!
João Nicolau
Bete Bino
Bete Bino
Bete Bino Oba saudades Josi
Josefina Neves Mello
Josefina Neves Mello estou por aqui visitando a terrinha... volto ao Rio na terça-feira...
Joka Faria
Escreva uma resposta...
Joka Faria
Beatriz Galvão
Beatriz Galvão Já combinamos, neste sábado, 19h. Josefina Neves Mello, Bete Bino e eu presentes!!!
Vou chegar pouco mais tarde, pq vou fazer o workshop com a Denise Weinberg e assistir a peça dela. Mas estarei na área.
Já preparamos material pra levar!
Beatriz Galvão
Beatriz Galvão e dali vamos pra fccr.
Bete Bino
Bete Bino Vou com meu recem nascido poema...Lugar de mulher.
Beatriz Galvão
Beatriz Galvão
Beatriz Galvão E quem mais estiver a fim de mostrar seus dotes! Emoticon wink
 
 
 Me desculpem os recatados ! Mas do jeito que estão tentando
tirar as liberdades civis daqui a pouco estaremos todos na
marcha das vadias !
Não devemos e podemos tolerar tantas tentativas de retrocesso
no Brasil.
Querem mandar o povo a fogueira !
Vamos para a rua !
Confiram o artigo de Ruth Manus !


quarta-feira, 20 de abril de 2016

Me desculpem os recatados ! Mas do jeito que estão tentando
tirar as liberdades civis daqui a pouco estaremos todos na
marcha das vadias !
Não devemos e podemos tolerar tantas tentativas de retrocesso
no Brasil.
Querem mandar o povo a fogueira !
Vamos para a rua !
Confiram o artigo de Ruth Manus !

http://vida-estilo.estadao.com.br/blogs/ruth-manus/livre-respeitada-e-do-bar/

terça-feira, 19 de abril de 2016


A rua da infância !

Na rua Itororó tinha circo,
tinha parque !
Na rodoviária nova.
Jogávamos bola.
Aprendíamos a andar de bicicleta.
Carrinhos de rolemã.

Na rua Itororó
Brincávamos eramos crianças !

Tinha quintal na minha casa
e um pé de abacate.

Vila Piratininga ?
Era centro ..
Cotação de historia em uma casa.

E as descobertas da vida.
Íamos estudar no Marechal Rondon.

Na rua Itororó a descoberta da
mistica em encontros espirituais numa casa.
Cotação de historia, dançar catira.

Brincar em circos, parques !
Ir a cidade com amigos.
SESC, Parque Santos Dumont.
Infância, bola de gude !
Empinar pipa …

Na rua Itororó descobria-se
a vida !
E tinha-se as duvidas do viver.

Joka

João Carlos Faria

Rua Itororó em frente a Rodoviária Nova
São José dos Campos SP.
Eram os anos 70 !
Sou nascido em 1969.



Olhares

Sempre estamos entre o preto e o branco.
E com uma infinitude de cores diante de
nossos olhares.

Joka

Para que escrever !

Nem sei deste negocio de ser bom ou mal poeta
me interessa mesmo e a vontade de escrever.
Mas eu gostaria de saber escrever romances, contos a
prosa também liberta !

Joka

segunda-feira, 18 de abril de 2016


Querem o fim da liberdade de comunicação



Estão querendo despejar o povo brasileiro da internet de maneira
cruel e sacana !
Com a balela de criar pacotes limitados.
Acordai povo Brasileiro os reaça estão vindo com
a arma em punho.
Cortar a internet e encarecê-la e restringir a liberdade de
pensamento !
Em um encontro numa festa tinham nos avisado desta
tramoia.
Querem a todo custo surrupiar a “ democracia “ das
maneiras mais ardilosas.
Combatemos o bom combate !

Joka
João Carlos Faria


http://blogs.estadao.com.br/link/presidente-da-anatel-diz-que-era-da-internet-ilimitada-chegou-ao-fim/J

domingo, 17 de abril de 2016


Pela democratização dos meios de comunicação

A luta politica é árdua !
Muitos que saltam foguetes hoje.
Estarão amanhã na luta para não perder direitos !
A democracia é isto ! Viva a democracia.
Vamos ao senado.
E cabe a esquerda se reavaliar e repensar suas
estratégias.
Novas ideias, lideranças devem surgir.
Esta mídia hegemônica não passará !
O BRASIL se transforma e o povo não
deve abandonar as ruas.
Deve – se criar canais de TV da classe trabalhadora !

Joka

João Carlos Faria

Que Brasil teremos ?

Este discurso de que a historia irá julgar os fatos de hoje. É de uma utopia desnecessária
não existe tempo a vida é hoje.
Estamos é aguardando a votação. E depois a historia ira continuar.
Depois da invenção das redes sociais a politica esta se transformando e rápido.
O cidadão irá dar as respostas nas urnas em outubro deste ano em 2018.
Na minha cidade os trabalhadores ontem estavam divididos em pró Dilma e
fora Dilma.
Frente Brasil Popular X PSTU.
A partir de segunda se der impeachment estarão juntos se Dilma ficar
não sei.
Mas a CLT e muitos e muitos direitos estão correndo risco.
E se a economia não melhorar teremos um enorme colapso vide Rio
Grande do Sul, Rio de Janeiro.
Acordemos e estejamos atentos paz na politica é uma mentira.
É um jogo de forças. Lutar é o caminho !
As ruas é o palco da liberdade.

Joka

João Carlos Faria

quinta-feira, 14 de abril de 2016


“ Consertar vitrola para ouvir música “

Como diria mestre Raul Seixas “ concertar vitrola para ouvir música “ e eu sem minha caixa de
som ! Opa já consertei.
E de novo com uma música ! O que seria a vida sem música, poesia e politica. Que o amor esteja
em tudo que fazemos sem amor nada vale a pena.


Joka

Musa hibrida

https://www.youtube.com/watch?v=lZqVj4Zm6Ps&ebc=ANyPxKq8YZa_B8y2cpgKmN4TtJFEUMq7

quarta-feira, 13 de abril de 2016


Fonética

“ nossa língua nossa pátria “

Cachorro / kaxoro
Taxi / taksi

E as palavras se formam
entre as letras.

E vem os porque ?
Da norma culta !

Culta e bela …

A ciranda das palavras.
Uai mergulhamos dentro
da língua.
E deciframos a palavra.
Só nos resta decifrar a
língua de Camões e Caetano.
Para que o monstro não nos
esmague.
Decifrar a língua é preciso.
Naveguemos pelas palavras.
A língua é nossa !

Joka

João Carlos Faria



terça-feira, 12 de abril de 2016


Sou contra o latifúndio que nos tira os quintais

O quintal na casa de Laerte Coutinho quando da
uma entrevista para a Carta Capital.
É um quintal daqueles que todos querem ter.
Em Minas Gerais chamam de “ quintar “
nas grandes cidades sonhamos com quintais.
Sou contra o latifúndio urbano que nos tira
os quintais.
O meu quintal é reduzido então imagino que
seja grande. Com inúmeras arvores.
E Laerte serenamente fala da crise !
E eu observo o quintal.
A “ crise “ nos traz algo bom ?
Nos faz refletir o Brasil que queremos.
E ainda não é. Enquanto a uma crise
politica o desemprego aumenta e a economia
desaba.
Daqui a pouco a rua será a casa de muitos.
E não teremos quintais.
Não sei é utópico querer ter um quintal.
Viva a democracia que nos permite ter
crises.
Numa ditadura o quintal seria usado
para nos metralhar.

Joka

João Carlos Faria

https://www.youtube.com/watch?v=EwZwXHqFR-U

domingo, 10 de abril de 2016


Qual é o lugar da arte ?

Duas matérias emblemáticas da arte e cultura em São José dos Campos no jornal O VALE.
Joseenses se apoderam do Vicentina e a cidade ganha á área da antiga Tecelagem Paraíba. Cabe a cidade começar a debater que rumos que terá a cultura oficial no caso a Fundação Cultural Cassiano Ricardo já não é hora de um debate para a sede da Cassiano Ricardo ir para o Vicentina Aranha com inúmeros galpões reformados ? Não tem lá uma estrutura preparada para receber a Fundação ?
O lugar que a Fundação esta instalada nos dias de hoje tem um acesso muito difícil para cidadãos
que não possuem automóvel. E a noite as proximidades do Parque da Cidade não é um lugar tão
seguro assim. Já solicitei diversas vezes ao 156 da prefeitura de São José dos Campos a criação
de uma passarela. Restabelecendo a antiga passagem que tinha a Tecelagem a Vila Maria e
recebi uma negativa. Que cidade é esta que sempre privilegia o uso de automóvel para nos locomovermos e termos segurança ?
Esta reivindicação sobre esta ligação já se fazia nas antigas comissões setoriais da Fundação.
O lugar em que o Vicentina Aranha esta instalado e próximo a corredores de ônibus que corta
toda a cidade. Facilitando a qualquer cidadão ter acesso as atividades artísticas da cidade.
Então cabe aos cidadãos joseenses fazer este debate se quer que a Fundação permaneça
onde esta ao vá para uma região que já tem uma tradição na arte da cidade que é o SESC ?
Somando força no oferecimento de atividades de lazer, arte e cultura para os munícipes.
O Vicentina Aranha já tem inúmeras atividades artísticas de grande participação do
público com a Fundação tendo sua sede lá irá aumentar ainda mais.
Cidadãos joseenses debata, discuta a cidade é de todos.

Joka

João Carlos Faria

terça-feira, 5 de abril de 2016


A jornada de Ícaro

Quase madrugada aquele sono vem andando devagar.
Leio poemas ser ou não ser poeta não nos
importa.
Mera multidão dentro de mim.
Descobrir uma maneira diferente na escrita e encantar-se
com a palavra em suas infinitas variáveis.
Mergulhar numa sala de leitura, ouvir tantas e tantas
historias.
Eu poderia ir além das palavras.
Sei que não domino as técnicas da gramatica.
Então abolir as virgulas e pontos para mim
é uma imensa bobagem.
Em um parque perguntam se sou poeta ?
Em que isto importa. Só nos resta quando
quase chega a madrugada é escrever.
Não tenho complexo de vira lata.
Nem quero ser doutor em nenhuma coisa.
Não tenho tempo para reinventar a ciência,
muito menos a educação.
Nestes dias só quero um ganha pão para
que me sobre tempo para ler e escrever !
Descobrir sinais ao ver as estrelas, perceber
o som que chega da Rodovia Dutra.
As crianças nos percebem a todos os
instantes.
Tenho a imensa vontade de voar,
tornar-se pássaro.
Seguir a jornada de Ícaro rumo ao Sol.
Jovens dizem não entender poesia
não decifram Drummond.
Conheci um dono de banca que me dizia
o mesmo. Mesmo sendo ele letrado.
Dizia que nunca iria a um sarau.
Mas e dai a poesia me toca desde que
Pessoa me bateu a porta pedindo
um gole de café e um pão com
mortadela.
A poesia de Maria Gabriela Llansol
foi um mero acaso numa rede social
qualquer.
Quero os livros dela, seus pontos
e virgulas e pontos, pontos , pontos
que nos faça sentir a poesia mesmo
que seja a urbana do ruido de uma
rodovia.
O sol nascerá amanha devo construir
minhas asas e voar. Quero nascer
dentro dele o Sol !!!
Me transformo em pássaro bem
longe de uma gaiola.

Joka

João Carlos Faria
Quem sabe faz a hora

Defender que a área da tecelagem Paraíba torna-se um espaço publico faz
parte da cidadania.
Defender uma saída pela Vila Maria é justo.
A Fundação Cultural Cassiano Ricardo se isolou naquele buraco que
quem não tem automóvel não chega com segurança.
É hora de um debate com profundidade dos rumos da arte e cultura
na cidade.
Ninguém com bom senso vai apoiar as cegas a lei proposta pela
fundação.
Querem um conselho enorme e burocrático.
E esqueceu-se da real importância das comissões setoriais que eram
espaços de ajuntamento e formação do cidadão que se interessa
por arte.
Em politica ninguém é santo. Mas a comunidade pode aprender a
decidir seus rumos.
E as comissões setoriais eram espaços de aprendizagem. Onde tínhamos
sim conflitos mas aprendíamos muito.
Coisas que as redes sociais não nos trazem.
Cabe a comunidade joseense tomar os rumos da cidade !
O modo atual de organização da vida politica via partidos políticos
esta desgastado e sem nenhum crédito.
Nos cabe o bom debate !


Joka

João Carlos Faria


Tecelagem Paraíba um patrimonio do povo de
São José dos Campos

Estamos no aguardo das decisões politicas. O complexo da
antiga tecelagem Parayba é um patrimonio de São José dos Campos.
Cabe um pouco de bom senso ao governador Geraldo Alckmin.
Cade os posicionamentos dos deputados Eduardo Cury e
Helio Nishimoto e da bancada de vereadores do PSDB ?
Prejudicar São José dos Campos e fazer o município gastar
uma verba não planejada e falta de visão politica do governador.
E conseguiu colocar o prefeito Carlinhos de Almeida como
vitima de um ato de má-fé do governo Estadual.
E prejudicar a cidade. Aquela área é um patrimonio da cidade
e pode ter um destino bem melhor que virar alvo da especulação
imobiliária. Enquanto prefeita Angela Guadagnim conseguiu
deixar um legado para a cidade que é o Parque da Cidade.
Esperamos que o governador Geraldo Alckmin volte atrás
desta decisão.
E recupere aqueles galpões e deixe a Fundação Cultural
Cassiano Ricardo permanecer no local enquanto não
se termina a reforma do Vicentina Aranha. Que é estrategicamente
o melhor lugar para a Fundação Cultural Cassiano Ricardo nos
dias de hoje.


Joka

João Carlos Faria

sábado, 2 de abril de 2016


Entrementes edição de Outono de 2016

Como diria Caetano Veloso “ sem lenço nem documento nada nos bolsos ou na mão “ hoje
tive um dia de sábado memorável daqueles inesquecíveis.
Um encontro em um museu para debater a arte e a cultura na cidade. E mesmo cansado fecho
com chave de ouro com a leitura ou passando a vista na revista Entrementes e sua edição
de outono de 2016 . No fim do século passado foi editor com vários poetas do JORNAL LITTER que foi editado a ter ser fechado.
E hoje Elizabeth Souza edita o site a revista com independência editorial. E sem nenhum apoio
do poder publico. Graças aos deuses. Independência de pensamento e editorial em relação
ao poder publico algo raro no Brasil.
Hoje temos uma enorme facilidade tecnologia que nos permite quase tudo que possamos
imaginar e Murilo Mendes dizia “ Só não existe o que não é imaginado “
E temos mais uma edição que esta ai se faz real na internet. Registrando a arte de hoje
e de ontem.
A revista que cada vez mais tem um cuidado editorial e de diagramação. Registra uma
infinidade de poetas, escritores.
E tem um infinito coração que pode abraçar muitas e muitas gente deste pequeno planeta 'TERRA”.
Todos sabemos das inúmeras dificuldades de fazer arte e cultura no Brasil.
E hoje caminhei como sempre fiz com alguns amigos pela cidade Sesc, Vicentina Aranha,
Santos Dumont. Mercado Municipal, Calçadão da Rua 7, Praça Afonso Pena.
A cidade vista e revista em suas entrelinhas o Brasil e o mundo sendo dissecados por
poetas, filósofos, políticos.
Experiencia iniciada na década de 90 na Comissão de Literatura da Fundação Cassiano
Ricardo. Até que um dia descobrimos os poetas na Praça Afonso Pena estavam lá
Solfidone, Kharistos, Elizabeth Souza, Edu Planchez e nestas idas e vindas onde aprendemos
sobre tudo e algo mais. E a aprender a andar em grupo e perceber o mundo através de
muitos olhares críticos.
Experiencia intensa até 2002. E hoje quase sempre andamos sós. Em busca daqueles
paraíso quase perdido.
E nestes grupos de politica, arte, filosofia. Descobrimos que é sempre possível transformar
o mundo. E para isto devemos começar por nós mesmos.
Hoje a cidade e o mundo vive sua efervescências. Sei que nestes dias de março sobre um
documentário sobre a musica em São José dos Campos nos dias de hoje.
Deve ter até gente produzindo algum longa-metragem por ai. Gente produzindo
livros, cds.
A vida e arte sempre continua. Novas gerações estão ai só nos resta criar, fazer
arte.
Hoje na conferencia de cultura. Sugeri que se crie a função de coordenador de
arte e cultura nas escolas da rede municipal. Para que as escolas não se fechem
a noite e aos sábados domingos e feriados.
Já temos a experiencia da escola da família na rede estadual de São Paulo.
A arte transforma vidas. Nos faz sermos outros. E temos que conhecer nossas
cidades e nosso povo.
Sempre escrevo a vida é linda. Mesmo durante as tempestades.
Vamos nos dar as mãos e fazer arte !
Só nos cabe a refletir, filosofar e reinventar o mundo.
Parabéns a empreendedora Elizabeth Souza que nos traz mais uma edição
de sua revista Entrementes.
Que retrata a cidade hoje, ontem e nos amanhãs.
Seu canto de cultura nos enebria nos traz baco e estamos em festa !
Irael Luziano nos brinda em suas paginas.
A cidade em luz em cantos e encantos. Com todas as imensas dificuldades
de viver a arte nossa de cada dia.
Viva artistas e poetas na cidade das palavras.
Seja ela qualquer cidade deste planeta “ Gaia “.

Joka

João Carlos Faria 

https://issuu.com/elizabeth296

sexta-feira, 1 de abril de 2016


Que Brasil queremos ?

Enquanto em Brasília a guerra politica vai longe.
No mundo quase real a economia desaba.
Que políticos em Brasília estão realmente preocupados
com um universo enorme de desempregados no Brasil?
Brasília espalha a miséria com esta tentativa de golpe.
Se tiver eleições não vote nesta gente.
Estamos vendo a Fiesp, CUT preocupadas com o
desemprego ?
Nas cidades os velhos toma lá da cá para se
formar as chapas de vereadores.
Esta gente “ políticos profissionais “ muito
habilidosos estão afundando o Brasil.
E não vemos um debate para que surja novas
alternativas a esta “ democracia “ onde só
vale o capital para eleger pessoas.
A politica partidária é um terreno “ minado “
onde uma gente de “ bem “ faz um esforço
enorme para continuar mamando na vaca
“ estado “
Vemos um marketing grosseiro nas
cidades para conquistarem o coração
do senhor eleitor.
A cidadania no Brasil vai ser conquistadas
as duras penas e muitas destas siglas
partidárias serão varridas do mapa.
Estamos no século vinte e um e devemos
buscar outras maneiras de organizar a
vida politica, econômica da sociedade.
Este caos instalado no Brasil mostra a falência
de um modelo de fazer politica.
É urgente que novos grupos surjam que
proponham novos modelos e ações no
mundo real.
Enquanto isto milhões de pessoas perdem
seus empregos.
Acorda Brasil a corda esta no pescoço
do povo.

Joka

João Carlos Faria