Seguidores

sábado, 12 de março de 2016


A megera que domou o diabo

Teatro o palco continua sendo uma das grandes experiencias no campo das artes. O teatro é a arte que a vida pulsa. Depois de uma peça grandiosa não consigo sentar em frente a uma TV ou ficar diante de uma tela de computador o melhor é estar numa roda de amigos.
Hoje nos acostumamos a viver cercados de inúmeras tecnologias. E podemos criar e recriar. Mas nada como ver dois atores interagindo no palco com um texto leve e reflexivo. Na mitologia grega me empolgo com o barqueiro Caronte que leva as almas para o inferno. E ver Caronte diante de meus sentidos olhar, audição e emoção e algo que não se descreve precisa ser visto. Jorge Peronelli encenando Caronte na peça foi magico. Algo que já mais verei novamente mesmo que assista novamente a peça. A peça que lança esta dupla que tem uma química teatral é muito boa. E falando de teatro e com minha experiencia enquanto publico tem peças que não resistimos a cinco minutos e quando podemos disfarçamos e vamos embora esta não. Você senta e assiste e não percebe a passagem do tempo. O teatro é fascinante. E tem muitos que repetem que preferem a experiencia do teatro a literatura eu fico com toda as manifestações artísticas. Esta peça lança a dramaturgia de Marzia Gatto no teatro e fiquei impressionado com a riqueza do texto pois ali tinha a cultura de uma maneira rica dos gregos a cultura nordestina ricamente reunida no texto.Marzia inspirou-se na comedia de William Shakespere A Megera Domada. Fazer teatro não é fácil assim como qualquer arte. Precisa de dedicação conheço Jorge Peronelli e Marzia Gato a muito tempo e sei da dedicação destes dois para com esta arte. Atores sempre são exemplos de dedicação e trabalho e esforço pelo oficio. Vencem sempre todas as dificuldades econômicas em nome do oficio de ator. E o amor a arte. Para artistas reconhecimento sempre deveria vir com apoio financeiro para que possam avançar com suas pesquisas. E hoje abre se oportunidades com as leis e editais mas editais sempre vem com suas dificuldades burocráticas tornando o acesso ao apoio quase impossível para uma
grande maioria. Artistas nem sempre são burocratas ou especialistas em leis. Artistas são estudantes do fazer. No Brasil não se tem apoio da iniciativa privada para a arte. Só as obras de grande aceitação da massa ocupam espaços e tem apoio econômico.
Peças de teatro como estas deveriam circular em escolas publicas e privadas deveriam estar
em locais com grande circulação de pessoas no dia a dia cansativo e tumultuado das pessoas.
Sinceramente acredito que escolas não deveriam estar fechadas a noite e em fins de semana
em muitos lugares e bairros as escolas são a única fonte de acesso a arte e cultura.
Enfim estes artistas foram gentis em oferecem seu trabalho de forma gratuita ao publico da
Casa de Cultura Chico Triste.
A apresentação é memorável e nos instiga a querer ver mais e fazer mais. Um espetáculo
como este deve circular Brasil afora. Na linguagem das artes ele nasce redondo deixo
para os críticos de festivais apontarem o que deve ser melhorado eu sou mero publico.
Sucesso a este grupo. Que nasce numa São José dos Campos repleta de talentos e grupos
no teatro a muitas décadas.
Marzia Gatto também tem um canal no yotube onde faz vídeos sempre criativos. Enfim
uma dupla perfeita. Não deixo de falar da sonoplastia de Alexandre Campos também ator
do Grupo Velhos Novatos.
Enfim o teatro em nosso Vale do Paraíba continua repleto de imensos talentos que superam
as inúmeras dificuldades que artistas tem nesse Brasil.
Sorte a este grupo Artepão e veremos muito mais destes grandes atores.







SINOPSE:

Filó e Ciço, dois simpáticos nordestinos apresentam a história de uma mulher arretada! Uma incrível viagem ao rico universo da cultura popular nordestina. Inspirada na comédia A Megera Domada de William Shakespeare.

Ficha Técnica:

Grupo Artepão
Elenco: Marzia Gatto e Jorge Peronelli
Texto: Marzia Gatto
Direção: direção coletiva
Figurino e adereços: Jorge Peronelli
Sonoplastia e iluminação: Alexandre Campos
Linguagem: Teatro narrativo
Classificação etária: Livre
Duração: 45 min
















u

Nenhum comentário: