Seguidores

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2016


Uma canção um poema e a vida


Dias e dias sem a delicadeza da inspiração. Concentrado em mudar hábitos nada de ficar muito
tempo nas redes sociais. Mas sem canção ? Ai não dá não devemos exagerar nas medidas de austeridade. Precisamos de um pouco de melado para encarar as realidades da vida.
Viver é sempre desafiador especialmente para a maioria da população. Mas sem perceber a
poesia é muito triste. Tem diferença entre poesia e poemas o poema é um registro desta
realidade metafisica. Nem sei se já consegui chegar a um poema na vida.Sou dado a imperfeição.
Transmitir as sutis dimensões da vida é um imenso desafio. E as dimensões que aqui falo é um
canto de um pássaro. O sorriso das crianças e adolescentes. E porque não de vez em quando dar
uma passeada fora do corpo. Chegar a lugares que minhas pernas nunca alcançarão.
Mas fazer uma caminhada avistando a Serra da Mantiqueira que parece que nunca farei um poema
a altura de representá-la mas Ricola já os fez. E seu poema Canoa de Ossos onde nos conta de
um Rio Paraíba nunca imaginado por nós. Hoje o helicóptero da TV Vanguarda fez um sobrevoo
em cima do Rio em Caçapava que imagem de nosso Rio que talvez seja difícil eu ver lá de cima no
céu.
Mas a vida sempre se faz surpresas nunca me imaginei professor alfabetizador e agora tenho este
imenso desafio. Entender este universo de sala de aula é algo magico. Sei dos desafios da educação
no Brasil. Mas um professor e uma sala de aula é uma aventura comparada a que Camões nos descreveu nos Lusíadas. Esta semana assisti a um filme da vida de Confucio um sábio Chines e acho que ele não sonhou se era uma borboleta ou um sábio chines conto musicado por Raul Seixas
e que um jovem professor levou a uma terceira serie primaria. É algo filosófico chegando a
crianças de oito anos.
Mas viver é assim mesmo sempre nos surpreendemos com o cotidiano esta é a magia da
vida e cabe aos cronistas registrarem esta metafisica diária. Que saudade de uma revista como a
Planeta dos anos sessenta e setenta.
Faço este escrito ouvindo Musa Hibrida que musicou um poema de Arnaut Daniel o poema Aura Amara canção e grupo que nunca me canso de ouvir.
E viver se faz vida. E quem sabe ainda escreva um poema que retrate a minha metafisica e se faz
noite e meu coração quer que eu silencie a mente.
A vida é breve. Mas o verão nos incendeia.

Joka

João Carlos Faria

aURA AMARA

Nenhum comentário: