Seguidores

segunda-feira, 14 de dezembro de 2015


Últimos poemas da primavera

Ensaio para um poema …
Mesmo que avancemos a madrugada ainda ei de escrever
algo que vale a pena ao menos para mim,
nestes últimos dias de primavera.
Talvez eu passe, meus poemas passem.
A vida passa.
Mas tenho a certeza que somos eternos.
Um passo de dança em meio ao trabalho.
E olha que nunca dancei.
Um cantar para mim mesmo e já gravei e cantei
uma música.
Nem sei se tudo vale a pena !
Como Fernando Pessoa nos ensina !
Mas seu Jesus Cristo que nasce numa aldeia
de Portugal pode nascer em nós.
Um dia de compra,
Caminhar pela cidade que tanto amo.
A vida é risco mas é prazer.
Arriscar não é nada para possuir algo
que ainda não temos.
Velas acesas, cair de joelhos diante
de forças que realmente com a razão
não compreendemos mas sentimos.
E tudo é belo uma borboleta caída
morta em meu quintal de puro cimento
onde não espaço para uma flor !
Um dia terei um lugar em meio a Serra
da Mantiqueira.
Onde realmente tenha possibilidade daquele
Cristo nascer em meu coração.
Por enquanto vou brincando com água
no trabalho.
E sonhando ter um quintal de terra onde as
borboletas possam descansar em paz.
Simplesmente elas possam voltar ao pó.
Que tal dançarmos uma ciranda em plena
avenida central de nossas cidades !

Joka

João Carlos Faria

Nenhum comentário: