Seguidores

sábado, 14 de novembro de 2015


A poesia dos tambores

Um sarau ? Não muito mais que um sarau uma festa de arte, música, poesia
com o lançamento do livro de Gustavo Terra. Cantata dos Ventos.
Com a animação da poeta, musicista Mirian Cris em um sábado quente de primavera.
Após um choque ocorrido na França. Estes encontros são sempre mágicos com enormes
surpresas. Este teve danças populares das mais variadas e emocionantes que toca a alma
de todos. E eu que nem sei diferenciar todas estas danças anunciadas pela atriz Bete Bino
cadeiras afastadas e a dança tomou conta de nossos corpos. Lindas mulheres nas danças
sagradas e populares da diversidade da cultura popular.
Presença do grupo mineiro Tambolele com seus tambores.
Enfim uma festa que ao meu ver deveria ser semanal já que a cidade possui uma enorme
diversidade que vai desde a cultura erudita a popular e este sarau sempre com gente
talentosa de outros lugares brasileiros.
E toda a este diversidade encontra-se ali em um sábado por més as três horas da tarde.
E enfrentamos o sono da tarde, calor. Pois ali encontra-se um celebração a vida.
O poeta Gustavo lança um livro mas sua presença nas artes da comunidade vem desde
os anos noventa quando trabalhava na Biblioteca Cassiano Ricardo e mantinha um contato
com Ricardo Balieiro editor do fanzine Poesia Industrial e Edu Planchez na época coordenador
da comissão de literatura e um dos editores do jornal LITTER e os poemas de Gustavo sempre
estavam lá publicados nestes memoráveis jornais.
E a cidade pulsa a poesia, arte popular e erudita e tudo sempre se misturas neste incontáveis
sarais este sarau que é realizado a alguns anos pela Fundação Cultural Cassiano Ricardo
e o das ultima quarta-feira do més no Bola de Meia fazem da literatura um encontro de gente que ama as artes seja ela poética, musical e tudo o mais que possamos imaginar como num frase de Murilo Mendes colocada na inauguração da Casa de Cultura do Dom Pedro nos anos noventa.
Enfim este fazer pulsa em nossas veias, coração, alma e mente.
E a cidade não se isola no mundo esta presente. E a liberdade destes sarais nos liberta
de nossas algemas invisíveis.
Que venham outros livros de Gustavo.
E a liberdade não é uma mera utopia é algo real que se materializa neste espaços
onde a ação cultural nos toma.
A vida pulsa e a vida esta ai liberta.

Joka

João Carlos Faria

Grupo Tambolele



Nenhum comentário: