Seguidores

segunda-feira, 30 de novembro de 2015


Exercito de Brancanleone sempre em marcha

A poesia salva achando um poema de Tristan Tzara na pagina de Cláudio Daniel acabei escapando do JORNAL DAS DEZ da Globo News.
E uma conspiração inbox que não entendi nada nos faz acreditar na vida
estamos Vivos.
E a arte nos transforma. Afinal quer comprar um carro !!!
Que sociedade massante que tenta acabar com as possibilidades
utópicas do ser humano.
Ainda faço meu curso de cinema.
E o Harley Campos com quase nada montava peças geniais.
A vida é leve brisa …
A poesia cria revoluções !!!
Quixotes Quixotes Quixotes …
Exercito de Branca leones sempre em marcha.
Não temer nada para enfrentar o dragão da maldade.
Somos a estrela que caiu do céu.
Shophia busca a saida do labirinto !!!
Caiu quando viu seu próprio reflexo nos abismos.
E agora busca subir a escada de Jacó.
Só nos resta a árdua luta diária.
Entre o ranger de dentes.
A vida além desta caverna.
Vida além do universo de Maya.
Só nos resta dançar e cantar …
E Gaia dança na criação de universos.

Joka

João Carlos Faria


 http://www.revistazunai.com/traducoes/tristan_tzara.htm

http://www.revistazunai.com/traducoes/tristan_tzara.htm
CANTIGA

Je n’était que son ombre

Tristan Tzara

Penso em você eroticamente.
Até a fabulação
de outra margem,
na estranha habitação onde os números,
pares e ímpares, enlouquecem.

--------------------------------------------------------

--------------------------------------------------------

Um minúsculo leão branco habita a sua fenda.

***

a ferocidade
no limiar da noite,
quando a pele —
desmedida, irremissível,
se projeta em outra pele:
nenhum destino além do nervo tumultuário.


http://www.revistazunai.com/traducoes/tristan_tzara.htm


Transformações das impressões que não existem

Canção sufi Poema erótico encantador .
E a noite nua atravessa meu olhar.
 Como não encantar-se com a foto da mulher indo ao banho.
Cancões, sonhos … Vida !
Nos perdemos nas ilusões diárias.
E as fendas nos absorvem.
E tudo recomeça nas dimensões de alcovas indecifráveis.
E a ilusão se desfaz.
Na frustração de desejos não realizados.
Apenas um poema, uma canção sufi e uma foto.
 Transformar impressões que fazem nascer o dragão das maldades.
Universo desejo. Criação.
Preciso reler Samael Aun Weor. A esfinge nos devora ?

Joka

João Carlos Faria

Transformações das impressões que não existem

Canção sufi
Poema erótico encantador .
E a noite nua atravessa meu olhar.
Como não encantar-se com a foto
da mulher indo ao banho.
Cancões, sonhos …
Vida !
Nos perdemos nas ilusões diárias.
E as fendas nos absorvem.
E tudo recomeça nas dimensões de alcovas indecifráveis.
E a ilusão se desfaz.
Na frustração de desejos não realizados.
Apenas um poema, uma canção sufi e uma foto.
Transformar impressões que fazem nascer o
dragão das maldades.
Universo desejo.
Criação.
Preciso reler Samael Aun Weor.
A esfinge nos devora ?

Joka

João Carlos Faria

domingo, 29 de novembro de 2015


Navegar além … numa canoa ...

Anjos sem asas …
A morte em todos os cantos.
Paris não tem moça feliz.
Nem balsa nem balseiro.
Tarde de domingo.
E a existência se desfaz.
E cade a praia distante ​?
Cruzar oceanos em caravelas.
E no Rio de Janeiro mais um assassinato
das forças policiais.
Cruzar os caminhos da existência tudo
parece mero domingo.
Anjos sem asas …
E a morte vem na madrugada em bandidos
disfarçados de policiais.
Cade a justiça que deveria ter aqui ?
Nem Paris nem em qualquer lugar.
A morte em todos os cantos.
Anjos sem asas.
Rio Doce , Tiete, Paraíba do Sul.
A morte em todos os cantos.
E Ricola em sua canoa de ossos.
Nos receitas suas tarjas.
Anjos sem asas !!!
Estamos embriagados na desinformação.
Desistimos de resistir ousemos voltar
as ruas !!!

Joka

João Carlos Faria



Mesmo que a rima seja pobre  amar vale a pena.

sexta-feira, 27 de novembro de 2015


O jeitinho brasileiro continuará a reinar nas nossas
ações diárias ?

O que realmente esta mudando no Brasil nestes
últimos anos ?
Realmente estamos mudando do ponto de vista
ético ?
Ou tudo nos bastidores da politica, empresariado,
movimentos sociais continua sempre do mesmo
jeito sem uma transformação ética radical ?
E estes novos partidos representam de fato
algo novo ?
Ou a mera continuidade do que já vemos
por ai.
Partidos com caciques e donos e imensos
feudos ?
Eu não me arrisco a participar de nenhum deles.
Já não tenho paciência para ver tantas e tantas
manipulações dentro do meio politico.
Só me preocupa é que o cidadão eleitor vote em
gente e partidos que leve o pais aos cortes dos
avanços sociais.
Só saberemos realmente a opinião dos eleitores
cidadãos quando as urnas de 2016 forem abertas
o resto é sempre mera especulação e reflexão.
As noticias de bastidores sempre são as piores
estes ratos que ganham acima de mil votos
e não se elegem.
Exigem tudo dos prefeitos e vereadores e
mudam de partidos de acordo com suas
conveniências financeiras quem dá mais
leva.
E o sentido real do fazer politica trabalhar
para o bem comum ?
O bem de todos ?
Precisamos rever enquanto cidadãos a
politica de bastidores.
Como mudar uma velha pratica e que
cara de pau esta gente tem.
Num pais que políticos começam a ser
presos e algemados diante das câmaras
de TV.
Cabe ao cidadão tomar a atitude.
Preste atenção no candidato a vereador
que você ira votar.

Joka

João Carlos Faria

quinta-feira, 26 de novembro de 2015

Nydia Bonetti
2 h ·
Arquipélagos: ilhas que flutuam sós, na ilusão da proximidade.

Nydia

O que Oswald de Andrade diria da poesia de Nydia Bonetti ?
Que surpresa em suas palavras. Como uma poeta resume tudo
em poucas palavras. De uma maneira tão direta que nunca
encontrei num Hay Kay.
Saborear as poucas linhas de Nydia é um presente que José
Omar de Carvalho em suas lições sobre a simplicidade
da poesia se encantaria.
Ele sempre dizia que um livro inteiro caberia num poema.
Que seria de nossas leitura no Face sem esta poeta.
E agora eu encontro alguém que sabe nos demonstrar isto
na pratica com suas sutilezas.
A favor do ensino de qualidade seja ele publico ou privado


O desafio de uma educação de qualidade seja ela pública ou privada é enorme eu acabei de
me formar recentemente em Pedagogia e ainda não cheguei a sala de aula. Mas os estudos teóricos
são exaustivos e praz eros.
Afinal que educação queremos para todos ? E ao meu ver educação vai além da serialização e tudo o que conhecemos. A pergunta que muitos se fazem para que servem muitas das coisas que aprendemos dentro de salas de aulas ?
E no século vinte e um a escola ainda é dividida por sala de aula onde as crianças, adultos estão
presas em fileiras ?
Estamos tão acustamados a estas praticas e nem pensamos em algo diferente ?
E porque a escola aqui no Estado de São Paulo com seus muros enormes ?
A escola deve ser algo para todos assim como são os espaços de cultura , casas de culturas , pontos
de cultura.
A escola deve ser o encontro e o aprender a fazer politica. E ai sim estes alunos que ocupam muitas
das escolas de São Paulo estão corretos e la desenvolvem aulas de yôga, musicalização e tudo o mais que forma um ser humano. Não nego a importância da matemática e português. Mas sim a
maneira de como se ensina esta sim deve sempre ser repensada.
Porque temos que fragmentar tudo em nossa sociedade escolas, espaços culturais e esportivos o mestre Darcy Ribeiro criou os Cieps para que tudo se integre e Gabriel Chalita em quanto secretario
de educação do Estado de  São Paulo criou a Escola da Família.
O espaço das escolas devem ser abertos nos fins de semana para a comunidade. Fiz esta sugestão no
debate sobre a cultura para a Fundação Cultural Cassiano Ricardo de São José dos Campos .
E porque não se cria no Brasil o Sistema Único de Educação. O governo de Geraldo Alckmin conseguiu abrir o debate publico em nosso estado ao impor a população sua reorganização e
não debater alternativas com a comunidade de São Paulo.
Cabe ao governo aprender a negociar com a população. E enquanto isto nossos alunos fazem
uma saudável e segura ocupação do que nos pertence.
Ao contrario das tristes noticias que nos chegam sobre escolas onde alunos fazem o consumo
de drogas mas ninguém nunca denuncia.
Enfim que seja finalmente o inicio de um debate para transformar a educação publica no Estado
de São Paulo e com a participação de todos. Porque educação é um desafio para uma sociedade
e não só dos profissionais envolvidos.
Estamos ai a repensar e a construir novas ideias e ações para que se forme seres humanos em
sua plenitude e não meros trabalhadores mecanizados e consumista.
Educação , arte e cultura, esporte devem estar integrados parece que ainda não entendemos
os filósofos Gregos.

Joka

João Carlos Faria

Pedagogo pela Unicesumar.  
  
  

segunda-feira, 23 de novembro de 2015


A opressão nem tem fronteiras



Qual é o terror que nos atormenta ?
Somente o que há mídia nos impõem como
verdade ?
As periferias do Brasil , América latina, Africa
e dentro das nações imperialistas Estados Unidos,
França a opressão é sutil e também na nossa
frente.
No Estado de São Paulo vivemos a insegurança
pública permanente e ninguém se mobiliza
contra a ineficiência deste governo de mais de
vinte anos do PSDB.
Eles governantes acham que tudo podem e a
JUVENTUDE de hoje mostra que nem
tudo eles podem ?
Queremos educação, arte, cultura e segurança
pública em qualquer lugar.
A opressão não tem froteiras.
Queremos emprego. Queremos bancos que financiem
empresas coletivas do próprio trabalhador.
Chega da ausência do Estado no que lhe compete
a carga tributaria é alta.
O BRASILEIRO esta despertando sua consciência
politica !!!



Joka
João Carlos Faria

sábado, 21 de novembro de 2015

Para que falar dos que não existem !!!

Inspirado no poema FILHAS (OS) DE PORRA NENHUMA
Poema: Edu Planchêz


Na noite que se inicia o ultimo gole
de café.
Enquanto a cidade silencia no estrondoso
movimentar-se.
Leio a voracidade de poetas abissais.
Não me perco em hai kais que nada
me dizem na poesia da forma.
Versos livres , métricas , rimas.
Precisamos dizer sobre as alegrias
e as dores que estão dentro de nós.
Chega da genealogia de nomes que
não nos diz nada.
A poesia calada no silencio do século
vinte e um.
Viva em sites, redes sociais.
E o mundo explode em caos.
E respiro e fico em silencio.
Meu silencio cheio de caos onde
anjos e demônios adentram sem
bater na casa pensamento.
Quero silenciar-me alcançar
minha real existência.
Vivemos neste sonho nem borboleta
nem homem.
Fantasmas, zumbis.
Que não desvenda a ciência do
bem e do mal.   
Não ser discípulo e ousar saltar
os abismos. A vida é breve.
Tchau.

Joka

João Carlos Faria
 

sexta-feira, 20 de novembro de 2015


E quem ousa saber ?

Eu que não sei nada …
Não sei nem quem sabe … nada nada nada ...
E Deus as vezes anda por ai a ensinar -nos
a dança da criação.
A mesma dançada por Gaia.
E tudo esta ai e não esta.
Em nos céus e infernos em questão de segundos.
Eu que não sei nada nada nada …
E não canto e não danço.
E o inexistente tempo
passa ?
E eu corpo, alma e amor.
Eu que não sei nada !!!
Aprendo a arte do canto e da dança ...
Eu que não sei dançar e cantar … adentro ao
nada nada nada !!!

Joka

João Carlos Faria

A insegurança pública em São José dos Campos

O governo do PSDB que governa o Estado de São Paulo a mais de vinte
anos e deixa a segurança pública sempre a desejar.
Não vemos mais a policia militar em todos os lugares.
Foi preciso o acordar da juventude para o povo começar a acordar
para a necessidade de cobrar educação, segurança deste governo.
Espero que esta ação dos estudantes só seja o começo da saída
do PSDB no Estado.
Afinal os estudantes de hoje serão os eleitores amanhã.
A mídia só mostra a insegurança pública no Rio de Janeiro
e deixa São Paulo sem nenhuma cobertura da insegurança
pública em que vivemos.
O povo Paulista esta acordando.
Já soube de casos de estudantes que tiveram seus celulares
roubados as sete da manhã.
Acorda povo Paulista.
E quando os vereadores de São José dos Campos farão
um debate sobre a segurança pública na cidade ?

Joka

João Carlos Faria

quinta-feira, 19 de novembro de 2015



Usar o facebook depois de um dia de trabalho não tem preço.
Se quiserem comprar um bom carro usado me procurem
in box.
Já que não vendo livros então vendo carros.
Quem sabe seu vender muitos carros eu monte minha editora
e produza alguns filmes.
Tim 12 98- 13- 77631.
Para toda a região do Vale do Paraíba.
Compre um carro e eu poderei fazer minha pós graduação de cinema
no Senac de São Paulo.

quarta-feira, 18 de novembro de 2015


Uma luz para o fim de uma crise ficcional ?

Trabalhando no comercio se consegue perceber o quanto da crise econômica brasileira
tem um bocado de um fator psicológico negativo na economia.
Percebe-se que o poder aquisitivo das famílias e a renda em geral do brasileiro melhorou.
O número de pessoas com diplomas universitários subiu de 8 por cento para 13 por cento
nos atuais governos do PT.
Então o pais já tem vários ganhos conquistados na gestão Lula e Dilma.
A economia precisa é voltar a crescer. É necessário formar a população na ideia de empreendedorismo.
Chamar um governo que conseguiu criar consumo interno no pais de comunista
é uma bobagem da época da guerra fria.
A crise politica deste ultimo ano tem afetado a economia de forma negativa e
ela deve ser superada.
Não devemos deixar que a ideia de privatização da Petrobras ganhe força.
A democracia brasileira conquistada depois de muito sangue derramado
deve ser preservada.
Fazer politica não é em redes sociais elas servem para se fazer o debate
a politica acontece nos partidos políticos e movimentos sociais.
E frequentando debates sociais em minha cidade percebo que nestes
encontros continuam com pouca participação como sempre foi.
E a classe politica tem esta percepção e assim ela se mantêm sempre
a mesma inerte e arrogante deitada em seus berços de prepotências.
Cabe deixarmos nossas zonas de conforto e participar dos encontros
que governos promovem. E criar encontros pela própria iniciativas
dos cidadãos.
Cabe a opção de se fazer um saudável debate para avançar a economia
no Brasil mais com desenvolvimento sutemtavel que leve em conta
sempre a questão ambiental. E um respeito enorme pela população.
E porque não criar incentivos fiscais para compra de equipamentos
que produzam energia elétrica nas residencias ?
Debater e refletir os rumos da economia se faz necessário e é mais
saudável que as brigas ideológicas acéfalas das redes sociais.
Devemos sim estar nas ruas cobrando novas propostas na economia
do pais.
Sempre tem novas maneiras de se aprender a pescar.
Mas não devemos abandonar projetos que trazem um ganho
social para o povo brasileiro como é o caso do bolsa família
e as cotas para negros nas universidades.
Cabe cobrarmos a melhoria da educação no Brasil do infantil
a pós graduação.
Precisamos de uma escola gratuita e para todos com qualidade.
A visão empreendedora de um povo pode transformar
uma nação.

Joka

João Carlos Faria

terça-feira, 17 de novembro de 2015


Cidade intima

Livro esquecido no fundo
de um velho bau.

A rosa vermelha
Brilha na primavera.
O cheiro da cidade se
espalha no ar.

Entre o asfalto, carros.
Jogar um pouco de água
num pé de hortelã.
E ver seu cheiro espalhar.

A natureza sempre se
esforça para mostrar sua vida.
Um titulo de livro provoca
delírios ( Cidade Intima de
Leontino )
Livro esquecido no fundo
de um velho bau.

Minha imaginação entre
em delírios !!!
Antes de ler suas páginas.

Cidade Intima
Havíamos lançados
Cidade das Palavras.

É o que a intimidade de
uma cidade ?

Só abrindo o livro e
desvendando este segredo ?

E a vida é desejos não realizados.
Em meio a abstrata realidade.
Quando nos olhamos no espelho
não nos reconhecemos.

Cidade Partida
Cidade das Palavras
Cidade Intima

Joka

João Carlos Faria

Livro : Leontino Cidade Intima
Cidade Intima

Editoria Capa
Ilustração : Gustavo Luz

1991

Editora Queima Bucha

Rua Almeida Castro, 42
Mossoró – RN
CEP 59600


Poema Leontino

Ah,
nesta cidade
sou o apátrida
o sempre só
o difícil rasgo matinal.

Cada vez mais
passeio
no escuro silêncio
e encontro-me
sendo o teu verso
reverso
o teu fim.

Leontino.

segunda-feira, 16 de novembro de 2015


Os demônios do estado

Os eternos burocratas de uma sociedade pré – apocalíptica.
Cada dia descobrem suas maneiras de atrapalhar
a vida dos cidadãos.
Em seus raciocínios nada ingênuos inventam artimanhas
em seus editais …
E fazem os cidadãos passarem madrugadas inteiras
acordadas em nome da santa tecnologia.
Assim a impressa produz noticias diárias sobre a imcopetencia
pública.
E os liberais se vangloriam da ineficiência pública.
E os herdeiros das teorias de ADAM SMITH se vangloriam
e a vida de todos vira um inferno !!!
Para que ler a Divina Comédia nestes dias de esvaziamento
sociais.
A alienação nos engole … O diabo se traveste de burocrata !!!

Joka

João Carlos Faria
 
 
6 h · Editado ·
Em 2016, possivelmente esses serão os Candidatos ao governo de São José dos Campos, Sem á possível (não) candidatura de Emanuel Fernandes.
Quem vocês escolheriam ?
Um deles, ou nenhum deles ?
Anderson Farias Ferreira, PSDB.
André Miragaia, PV
Shakespeare Carvalho, PRB
Toninho Ferreira, PSTU
Hélio Nishimoto, PSDB
Ou será que Carlinhos de Almeida, ganha a sua reeleição ?
 
 
 
Os vassalos do capital

Eu irei votar em Carlinhos Almeida mas teremos as respostas quando
vierem as pesquisas eleitorais?
Já não tenho a ilusão que o PT seja o melhor mas tenho certeza quanto
a mediocridade do restante.
O fascismo reina nas redes sociais a sociedade brasileira mostra o
que realmente pensa.
O problema do PT e o salto alto que seus dirigentes tem o mesmo problema
do PSDB. Enfim a classe politica como um todo se esquece de
suas origens populares.
E são todos meros vassalos dos senhores donos do capital.
E vivemos numa cidade em que pobres operários se acham membros
das elites brasileiras.
E não fazemos parte de nenhuma elite nos cabe a insignificância
do consumo.
Estamos cercados de lideranças populistas que defendem a sua
mera manutenção no poder.
Em nome da tradição da família e da propriedade.
O PT se esqueceu de sua origem ?
E mergulhou na lama do populismo?

Joka

João Carlos Faria


domingo, 15 de novembro de 2015


Manhas de poesia na cidade das palavras

São José teve a presença do Cearense Costa Senna abrilhantando a já tradicionais
manhãs musicais do Parque Vicentina Aranha.
Nos anos noventa tive o prazer de conviver com ele nas filmagens do filme Urubuzão Humano de
Diomédeos Moraes filme que virou lenda no cinema brasileiro ninguém confirma se foi
terminado. Era uma proposta independente de produzir cinema em forma de cooperativa trazido
para São José por Diogo Gomes do Ethos Núcleo de Cinema da Fundação Cultural Cassiano Ricardo.
E o tempo passou e agora um breve reencontro com este artista que no seu show com sua bela
banda nos mostra a cultura Brasileira em suas vária vertentes.
Show com um belo publico participativo. Que ele volte a cidade para nos trazer mais informações
sobre arte educação e todos os afins que transformam para melhor o ser humano.
Poesia, arte e educação são os caminhos para as reais transformações de um ser humano.
Numa das suas palavras se se investisse mais em arte e educação não estaríamos convivendo
com uma sociedade tão desumana.
A arte pode ainda nos salvar.
Viva o poeta.

Joka

João Carlos Faria 






Costa Senna
Costa Senna é cearense de Fortaleza, apesar de ter vivido parte de sua infância e adolescência no Choró Limão, região de Quixadá. Ingressou na arte em 1980 e atuou nas peças teatrais A noite seca, Barrela, Deus lhe pague e O Caldeirão. Em 1990 muda-se para São Paulo, onde foi um dos precursores da nova face da literatura de cordel. Escreveu O doido, viagem ao centro da Terra (adaptação do clássico de Júlio Verne), Jesus brasileiro (em parceria com Marco Haurélio), Raul Seixas entre Deus e o Diabo, Jararaca, o bandido santo, A maldita ilusão, As lágrimas de Lampião, Escreveu, não leu, o pau comeu, entre outros. Cantor e compositor, Costa Senna funde o universal ao regional, com influências tão inusitadas como Luiz Gonzaga, Raul Seixas, Belchior, Alceu Valença, o rap urbano e o repente dos grandes cantadores nordestinos. Tem gravados os CDs Moço das estrelas, Costa Senna em cena e Fábrica de unir versos. Humorista, fez sucesso com o espetáculo cômico Ria até cair de Costa, de grande repercussão nos anos 1990. É um dos poetas pioneiros na utilização de temas ligados à educação na literatura de cordel. Em 2008, em reconhecimento à sua atuação, Costa Senna foi indicado, pela Câmara Municipal de São Paulo, para receber o título de Cidadão Paulistano.




Bibliografia
  • O Doido – Editora Paulinas ( esgotado )
  • O Raulseixismo – Editora Sampa ( esgotado )
  • O Casamento da Chapeuzinho Vermelho – Editora Anita Garibaldi ( esgotado )

Literatura de Cordel
  • Lampião e Seu Escudo Invisível – Editora Luzeiro
  • A Maldita Ilusão – Editora Luzeiro
  • Viagem ao Centro da Terra – Editora Nova Alexandria
Cordéis independentes
  • Água a Mãe da Vida.
  • QuatroTemas Sociais.
  • Os milagres dos Números.
  • Criança Que Bicho é Esse?

Cds de músicas
  • Moço Das Estrelas – esgotado.
  • Fábrica de UnirVersos
  • Cante Esse Refrão Por aí.
Cd de poesia
  • Costa Senna em Cena.



Pesquisa :


sábado, 14 de novembro de 2015


A poesia dos tambores

Um sarau ? Não muito mais que um sarau uma festa de arte, música, poesia
com o lançamento do livro de Gustavo Terra. Cantata dos Ventos.
Com a animação da poeta, musicista Mirian Cris em um sábado quente de primavera.
Após um choque ocorrido na França. Estes encontros são sempre mágicos com enormes
surpresas. Este teve danças populares das mais variadas e emocionantes que toca a alma
de todos. E eu que nem sei diferenciar todas estas danças anunciadas pela atriz Bete Bino
cadeiras afastadas e a dança tomou conta de nossos corpos. Lindas mulheres nas danças
sagradas e populares da diversidade da cultura popular.
Presença do grupo mineiro Tambolele com seus tambores.
Enfim uma festa que ao meu ver deveria ser semanal já que a cidade possui uma enorme
diversidade que vai desde a cultura erudita a popular e este sarau sempre com gente
talentosa de outros lugares brasileiros.
E toda a este diversidade encontra-se ali em um sábado por més as três horas da tarde.
E enfrentamos o sono da tarde, calor. Pois ali encontra-se um celebração a vida.
O poeta Gustavo lança um livro mas sua presença nas artes da comunidade vem desde
os anos noventa quando trabalhava na Biblioteca Cassiano Ricardo e mantinha um contato
com Ricardo Balieiro editor do fanzine Poesia Industrial e Edu Planchez na época coordenador
da comissão de literatura e um dos editores do jornal LITTER e os poemas de Gustavo sempre
estavam lá publicados nestes memoráveis jornais.
E a cidade pulsa a poesia, arte popular e erudita e tudo sempre se misturas neste incontáveis
sarais este sarau que é realizado a alguns anos pela Fundação Cultural Cassiano Ricardo
e o das ultima quarta-feira do més no Bola de Meia fazem da literatura um encontro de gente que ama as artes seja ela poética, musical e tudo o mais que possamos imaginar como num frase de Murilo Mendes colocada na inauguração da Casa de Cultura do Dom Pedro nos anos noventa.
Enfim este fazer pulsa em nossas veias, coração, alma e mente.
E a cidade não se isola no mundo esta presente. E a liberdade destes sarais nos liberta
de nossas algemas invisíveis.
Que venham outros livros de Gustavo.
E a liberdade não é uma mera utopia é algo real que se materializa neste espaços
onde a ação cultural nos toma.
A vida pulsa e a vida esta ai liberta.

Joka

João Carlos Faria

Grupo Tambolele



sexta-feira, 13 de novembro de 2015


Um debate pela cidade

Não sei se começamos a dar menos atenção a crise politica.
Minha preocupação enquanto cidadão no momento é com a
crise econômica.
Esta sim precisa ser resolvida é bem além das redes sociais.
Um grupo de empresários criou um encontro em São
José dos Campos para debater propostas com todas as
forças politicas da cidade.
Segunda-feira estarão presentes oposição e situação na
Câmara Municipal da cidade.
Lugar correto para este tipo de encontro que não seja
este o primeiro.
E porque não debater nos bairros com a população
joseense ?
Afinal o barco de todos nós esta entrando água ?
E numa sociedade em que as pessoas querem participar
virtualmente do debates do rumo da cidade e da
nação porque não promover estes encontros.
Espero que seja gravado e posteriormente transmitido
pela TV Câmara.
Ainda bem que as campanhas eleitorais foram diminuídas
as eleições não estão servindo para um debate sério
dos problemas das cidades e da nação.
Então encontros propostos pela sociedade civil são
sempre bem vindos.
Afinal os problemas da cidade e do Brasil é um
problema de todos.
Esperamos ver boas ideias e que ações sejam
implementadas a partir deste encontro na
cidade.
Estamos atentos aos rumos políticos e sociais
da sociedade.

João Carlos Faria

sábado, 7 de novembro de 2015

 A lama de cada dia no Brasil que se afunda no abismo

Manhã de sábado antes de sair para ver e sentir o mundo
estou divulgando  a boa música de MUSA MATO
para amigos …
E as redes sociais viver sem elas ?
E ontem revi um documentário de Raul Seixas …
E a MPB se renova em muitos e muitos talentos.
A poesia nem se fala.
E o fascismo demonstrado nas redes sociais revela
um Brasil sempre escondido.
E o SESC e a Fundação Cultural Cassiano Ricardo promovem um encontro
para demonstrar a não cordialidade do Brasileiro.
É Cazuza estamos mostrando a nossa cara e dentro
de nós demônios e anjos duelam.
E em Brasila os velhos acordos sempre são feitos ?
Que pais esta nascendo pós redes sociais ?
E a esquerda enxovalhada pelos fascistas.
Mas poder é poder e ninguém resiste a corrupção
de cada dia ?
Como mudar um pais ?
Se não mudarmos a nós mesmos em nossas
misérias.
O capitalismo é vitoria do egoismo.
Estamos sós. Cada um por si na selva
do mercado.
Tradição, família e propriedade.
Como mudar ?
E a esquerda se afunda no lamaçal da
corrupção pactuar com o sistema é um erro.
Tirar a lama e reergue-se e como diria um
fanke carioca esta  ( dominado esta tudo
dominado)
Viver é um imenso desafio.
E a nas ruas a economia real esta se deteriorando
e quem irá nos salvar ?
Não temos mais lideres estamos sós quem
sabe se articular ?
Esquerda e Direita no poder se unirão para
fazer corrupção.
E a lama esta chegando em todos os lugares
quem vai se salvar ?
Brasília esta enfestada de ratos.
Quando iremos sair deste lodaçal ?

Joka

João Carlos Faria
  























https://www.youtube.com/watch?v=o_rKVQHGT3w

quinta-feira, 5 de novembro de 2015



O inventor do xadrez

Num repente Caetano Veloso vem abraçar
nossos ouvidos. Beijando a melodia.
E olho para fora e vejo a noite. E o caos do dia e suas angustias dissipam -se.
E poetas numa foto qualquer em um lugar do Rio de Janeiro.
Entre nossos abismos, crises e a cidade sempre a mesma e as pessoas sonham com outras
vidas. E as vezes ante o divino e o êxtase da vontade
de cair de joelho numa rua e agradecer nossa singela existência.
Enquanto em nossos desespero para ganhar o pão de cada dia. Estudando para concursos.
Distribuindo currículos mas a poesia sempre nos tira de nossas ilusões.
E alguém vai montar Macbeth de Shakespeare. E um livro me conquista numa vitrine da
biblioteca O inventor do xadrez de Sebastião Nunes. Tão belo o exemplar e vindo da dura realidade
da leitura dos jornais do dia. Entreguei-me a sua rápida leitura. E porque as bibliotecas prendem os livros em prateleiras ? Livros deveriam estar em todos os cantos para nos encantar. Nas praças
nos bancos. Nas lojas. Editoras deveriam nascer em todas as cidades deste pequeno planeta que chamamos de Terra.
Os livros e uma boa leitura salvam um dia. Um ano e a nossas vidas. A muito além da mera sobrevivência. E um livro encontrado e um rápido contato entre leitor e autor. Eles enchem nossas vidas de inúmeras possibilidades. Sonhar será só algo humano ? Existir a que se destina. E saber que nunca mais verei muitos que já foram para outras dimensões.
E uma moça a muito tempo enviou uma carta a Carlos Drummond de Andrade e tornaram -se amigos e se corresponderão pelo resto da vida e agora esta historia virou um lindo documentário.
E uma hora desta acabarei chegando a este documentário.
E um cachorro meio perdido na rua nos encanta. E não vi a noite chegar vou sair as
ruas para redescobrir a existência das estrelas. E achar o Deus que esta perdido dentro de mim.

Joka

João Carlos Faria

Biblioteca referida no escrito Cassiano Ricardo em São José dos Campos SP.
Um lindo prédio que foi um teatro. Um oásis no centro da cidade.
Imagem da foto o poeta Edu Planchez e dois amigos. 



terça-feira, 3 de novembro de 2015







Não existir

Adentrar dentro de
si mesmo.
E a serpente ?

Eva
     Eva
           Eva

Do céu a terra

O signo
Sinal

Abraxas
             Abraxas
                           Abraxas

Entre bem e mal …
Realidade e Sonhos.
Sem nada dizer.
Pedaços de almas.
Ilusão. 

Não existir

Joka

João Carlos Faria

Criado após a leitura do LIVRO : Demian de Hermann Hesse  


Duelos de gigantes ou a falta de criatividade
na vida politica ?

Carlinhos Almeida X Emanuel Fernandes o duelo ?
A próxima eleição promete boa diversão.
O circo vai pegar fogo.
E a cidade agradece nada como a boa
e velha democracia.
Não tem nada novo na velha São José
dos Campos.
A velha disputa entre PT e PSDB.
E qual dois dois ganharem nada muda
pois o conservadorismo da provinciana
São José sempre vence.
E como um poeta nos dizia São José com
sua mentalidade de século XVIII.
E Sobral sempre presente no teatrão
sem acústica.
E a memoria se apaga com a queda de
um galpão na Tecelagem Parayba.
No final das contas alguns sempre continuam
a mandar.
E a maioria nem percebe.

Joka

João Carlos Faria


https://www.youtube.com/watch?v=bGwgQYLdXj8