Seguidores

sábado, 4 de julho de 2015

Ego palavras ao vento no mar do silencio

Entre um livro e outro de Samael Aun Weor ouço o bater de meu coração.
A consciência sempre adormecida no silencio da
noite cansada.
É hora de fechar os olhos. Silenciar as vozes dissonantes
que atuam e imaginar o bater do coração. Imaginar o coração
esquecer-se do mundo.
Silenciar as vozes dissonantes esta legião que insiste em prender
nossa consciência.
E quando Jesus Cristo a ela perguntou e ela disse meu nome é legião.
E os porcos se jogarão ao mar.

Joka


João Carlos Faria

Nenhum comentário: