Seguidores

sexta-feira, 31 de julho de 2015

Trilha estreita ao confim

Fim de tarde, Inverno.
Uma casa em construção recebe as ultimas luzes
do Sol.
O canário ainda canta.
Leio as histórias de Basho.
Seus relatos de viagem tão fresco na
memória do tempo.
E uma voz na rua avisa padeiro.
Em cem anos nem lembranças seremos.
Então porque os homens costumam manter
o medo vivo dentro de si?
Só nos cabe o hoje.
Basho encanta-me.

Joka

João Carlos Faria

Livro : Trilha estreita ao confim

Autor : Basho

Editora : Iluminuras

Tradução Kimi Takenaka
Alberto Marsicano



Nos labirintos do inferno

Durante uma caminhada entre a reflexão das estratégias profissionais para chegar ao mercado geralmente de gados marcados e ônibus lotados nas grandes cidades onde ter uma carteira registrada
já dá para ter o cartão de crédito ou um mera posição de funcionário público bem comportado. Sempre estamos nos encaminhando para o matadouro sem perceptiva de luta.
E a arte e a politica sem opções revolucionárias ? Nem falo da economia.
Por onde anda a inventiva humana nestes dias inglórios. A arte não se renova tentando enxergar
movimentos vemos as velhas revoluções de hoje sempre reinventores da roda ?
Que geração é esta que não se reinventa o facebook não nos trás novidades no dia de hoje.
O cinema Brasileiro não passa de uma cópia mal feita das comédia americanas. Deve ter a até suas excessoes ? Mas não me vem no momento. Assisti dias deste Lucy de Luc Besson ai sim algo
para nos prender a atenção. Mas tem mais e nas artes plásticas ouvimos falar de quem ? Ou algum
coletivo ?
Precisamos respirar nos reinventarmos enquanto indivíduos e enquanto coletividade. Mas queremos
deixar nossa zona de conforto ?
A esquerda deliciou-se no poder por anos a fio e agora esta posta em cheque ? Pela direita coxinha.
A vida da imensas voltas e a massa sempre massa. Agora sem chances os empregos se escasseiam
e a roda do consumo gira ao contrário.
Mas nossa economia se baseia em consumir ? Em adquirir tudo ?
Mas o pobre planeta Terra nossa Mãe Gaia suporta tanto ?
E novas ideias de junção humana para criar cooperativas ? Coletivos de trabalhadores ?
Nada vejo nas redes sociais ou nas buscas pelo já velho Google talvez eu nem saiba os
caminhos da pesquisa ?
A vida é muito breve. Entender de fato e vivenciar os ensinamentos esotéricos é um imenso
desafio e diante do abismo não criamos asas ?
O século vinte um deve se renovar. Novidades devem ir além da capacidade tecnológica
e acabo me empolgando com a idéia do Windows 10 e esqueço-me da coletividade do Ubuntu na verdade preciso dos dois sistemas. Nos dividimos tanto e somos unidade.
E entre entrar no absoluto ou ser tragado pelo abismo entramos em uma imensa entropia. Devemos
sair de nossa miséria humana. Mas como ?
Se somos cegos a guiar cegos. E arte pode realmente nos salvar ?

Joka



João Carlos Faria
Bom dia
A vida é leve mesmo durante a tempestade

Entre as velhas e cansativas noticias da politica a tentativa de golpe
contra Dilma Rousseff.
A economia sem rumo. Mas a GM investe uma fabula.
E uma matéria bem divertida dez novas angels para nos encantar.
Então uma marca de lingerie chama mais atenção que os fatos da
politica a subida do dólar.
A vida é leve mesmo nestes dias sombrios onde não temos
lideranças e o Brasil é uma nau sem rumo.
Sem lideres quem ousa sair as ruas ?
Quem tem moral para liderar as massas acéfalas ?
A esquerda e a direita sem rumo e o PSTU encontrou seu descaminho
numa barca furada golpista.
E a Veja dissemina suas fofocas todas as sextas feiras
qual é a de hoje ?
Que Dante nos possa tirar deste inferno.
É agosto época de cair presidentes que Dilma tenha todas as proteções
que viva a democracia.
E a esquerda se deliciou por anos comendo caviar e fumando charutos cubanos
e a Casa Grande não quer a Senzala no poder.
O poder deve ser bem divertido e o Brasil vai sair deste imenso abismo?
Todos em nosso silencio somos omissos diante deste imenso caos.
Como diria o Ultraje a rigor inúteis.

Joka


João Carlos Faria

quinta-feira, 30 de julho de 2015

O circo de horrores da politica

Por estes dias escrever sobre politica é de uma grande inutilidade.
O caos impera em todas as comunicações as disputas ideológicas
estão vazias de sentido.
É melhor dar uma caminhada pelo Sol da manhã ler poemas
e não escrever nada.
Deixar o tempo passar em que qualquer cidadão pode interferir
neste caos ?
Tudo parece um imenso jogo de forças e a vida é bem mais
que este mero jogo de poder.
A mais sentido no dia a dia comum da vida do que no mero
estresse das redes sociais.
Quantos bons poetas para se achar no meio das mensagens
de degradação humana.
Quantas musicas novas para ouvir e grupos e cantores que
tenham muito a nos dizer.
Nada novo se propõem e nas ruas a vida acontece.
E o poder que nunca teremos não deve nos incomodar.
Deixemos o circo se incendiar.
Não devemos estar em baixo da lona.

Joka


João Carlos Faria
Quando resolvi buscar um livro na Fundação Cultural Cassiano Ricardo

O sol saiu na tarde.
Ilumina o canto do pássaro.
Caminhamos pela vida mais
errando que acertando.
Muitos tropeços.
Tantas porradas, tantas solas de tênis.
E numa simples passagem por um
lugar de calor humano.
Redescobrimos o prazer de viver.
Parece que o velho poema de Fernando Pessoa faz parte
de nosso dia a dia.

Joka


João Carlos Faria  

terça-feira, 28 de julho de 2015

A cegueira e a arte de criar historias

Que arte é esta de se criar historias, meus neurônios e minha
imaginação não dão conta desta arte de escrever um livro
um roteiro e até mesmo uma novela ?
Sempre me desafio e nunca sai nada.
Técnica, talento, imaginação.
Já arrisquei uma peça no inicio de minha odisseia de escritor
e parei nela.
Mas esta inquietação esta sempre ai a me desafiar e sempre jogo este desafio a quem gosta da arte de escrever. Porque não se sente
tranquilo e confortável quem nunca arriscou um roteiro ?
Tantos desafios filosóficos, poéticos que se pode por
num roteiro para um longa – metragem.
E hoje em dia que a questão técnica para se fazer um filme
é fácil.
E as idéias não brotam.
E a pergunta sempre no ar ?
Escrever a que se destina ? A arte a que se destina ?
Se a vida é bem mais interessante que a arte.
O sol, manhãs, dias nublados.
Confrontos sociais. Desafios econômicos.
Viver é real. Escrever nunca se decifra a realidade ?
O amor sempre um imenso desafio estamos cegos
absolutamente cegos não nos percebemos.

Joka



João Carlos Faria

segunda-feira, 27 de julho de 2015

Eita chiqueza esta tal indesign

A diagramação sempre é esquecida e ninguém comenta sem este oficio o que seria
das revista e sites. Hoje inventaram um nome chique americanizado o tal in indesign.
Eu gostaria de entender de como se diagrama ou se constrói sites. Tem arte ai seja na
diagramação de Filipe Oliveira para a revista Entrementes ou os sites de Paulinho da Site
Vale. Recentemente no Laboratório de Paulinho vi um site que desenvolve sobre
uma teoria. Confesso que de sua teoria não consegui entender. Mas fiquei vendo
a bela construção do site. E viajei nas inúmeras possibilidades que artistas como
Paulinho e Felipe Oliveira podem desenvolver afinal arte é sensibilidade, capacidade
inventiva, filosofia e domínio técnico seja em qualquer área escolhida pelo artista.
Afinal eu conseguiria escrever um romance sem o domínio técnico ou elaborar um roteiro?
Hoje vi um reflexão do poeta Cláudio Daniel sobre o romance e a poesia. Eu mesmo arriscando
versos sempre achei o romance uma arte Maior e o pensamento de Cláudio me ajuda a fazer
uma desconstrução.
Como faço aqui apontando e classificando como artistas pessoas como Paulinho e Filipe
Oliveira confesso que até agora me encantei mais com a diagramação que com os escritos.
Imaginem uma diagramação mais ousada ainda as tecnologias de hoje nos permite continuar
os passos dos poetas concretos.
Mas não saberia fazer sozinho. Li uma reflexão sobre Ubuntu as crianças ganharam
umas guloseimas e deram as mãos e comeram juntas não entraram no jogo de competir
de nossa sociedade ocidental.
Dada as inventivas de Elizabeth Souza as possibilidades sempre se abrem a arte é junção
de pessoas temos a invenção solitária mas temos as coletivas eu no momento estou fora
de qualquer coletivo não porque queira mas ultimamente nada dá liga. Talvez devemos
entender a filosofia Africana do Ubuntum entender a tal economia criativa. E compartilhamos
nossos desejos com o próximo.
Criar é algo divino e humano. Vamos conectando as ideias mas devemos criar ações reais
e de modo coletivo para enfrentarmos os desafios políticos,filosóficos e econômicos
desta sociedade da qual fazemos parte.
Dar as mãos ao próximo tornou-se um imenso desafio hoje nos achamos Deuses mas e se
Deus for algo coletivo ?
Deus como uma imensa ciranda de homens reais ?
O universo esta ai com seus imensos desafios em infindáveis dimensões.
Nos cabe enfrentar estes desafios. A arte tem a possibilidade de junção e fico com os mestres
Darcy Ribeiro, Jorge Mautner vamos além.
Conectar ideias, conectar ações afinal vamos Celebrar o Renascimento da Poesia e do Humanismo
como nos disse Allen Ginsberg antes de partir.
E Edu Planchez a quase vinte anos juntou gente nas praças da cidade. E tudo ecoa ecoa ecoa.

Joka



João Carlos Faria

sábado, 25 de julho de 2015

Nota de esquecimento

Eu minotauro
devorador de labirintos.

Esquecer-se
de si mesmo.

Esquecer-se do
próximo.

Esquecer-se do fio
que se faz sair do labirinto.

Eu minotauro
devorador de labirintos.

Eu esqueci de achar
o caminho da alma.

Nota de esquecimento
cade a chave para
sair de dentro de nossa memoria ?

Nota de esquecimento

O mar diante de nós.
Quantos mares bravios a desvendar ?
A alma fria nos aguarda …
E o Sol a iluminar o coração.

Nota achada na rua.
Alma deserta.

Eu minotauro
devorador de labirintos.

Joka


João Carlos Faria  
Poema sem conclusão

As cidades explodem dentro de mim
sou duas cidades.
Minha alma despida de mar.
E a solidão do planalto.
Em tempos de mensagens instantâneas.
Estamos adimiravelmentes sós.
Quase ninguém lembrou de meu aniversário.
Quero adentrar dentro de mim mesmo
e ser versos.
Mas tudo se esvazia e se perde
no tempo.
Não sei voltar a grande cidade
despedaço – me diante de suas
imensas avenidas.
Medusa transforma -me em jardim de pedra.
E o mar esta dentro de mim.
Não sou …
E o grande Oceano Atlântico
agora bem longe.
E o que me prende a grande cidade ?
Desculpem não sei escrever sem usar
infidaveis pontos de interrogação.
Nem ouso mergulhar nas noites de Caraguatatuba
e agora São José dos Campos.
E alma vaga pelo mar.
Imensos desafios e perco-me no labirinto
de meus desejos.
E o Minotauro diante de mim ?
Tudo se faz breve. Insisto não existo.
E vejo o garoto desafiar o mar com seu
pedaço de pau.
E o mar silencia-se diante da inocência.
Tento perceber minha não existência.
Desisto de pensar e mergulho na noite da
não existência.
E aquela pessoa na foto que tirei realmente
existe ?

Joka

João Carlos Faria


A cor a luz e a imagem num quadro de Diego El Khoury
Um velho tênis numa desproporcionalidade.
E as ondas do mar dentro de minha cabeça,
Velha Capela,
Cocanha …
Caraguatatuba parte de mim ..
E a cidade a grande cidade dentro de mim.
E torno-me duas cidades.



segunda-feira, 13 de julho de 2015

Segunda - feira depois da correria do dia resolvi assistir um pouco de TV uma
passagem pelos malucos da direita no Manhattan Connection uma pitada do jornal das seis na Globo News e ao acaso Olivier na Serra da Canastra depois de um final de semana lotado no Revelando São Paulo. É estamos em crise. 
Segundo um executivo esta crise é pura armação do PSDB tentando junto com
uma direita mesquinha dar o golpe no PT. Se finalizar esta crise politica o Brasil entra nos eixos. O mal da esquerda no poder é não ter democratizado a mídia onde
a Globo impera e com muita qualidade em seus canais pagos.
Enquanto isto o amigo Davi Fernandes Faria começa uma exposição de seus quadros no Shopping Faro em São José dos Campos SP.
E o Entre Mentes publica sua revista de inverno na ueb.
E assim seguimos nossa vida real enquanto o PSDB tenta dar seu golpe.
Mas cabe ao PT também se repensar e mudar a maneira de agir. Como diria
o velho ditado quem nunca comeu melado quando come se lambuza. A democracia deve prevalecer.

domingo, 12 de julho de 2015

Não existir

Esquecer-se
Banco de um parque
Luz do sol por entre as arvores
Silencio de pássaros
A mata solidão
A vida na ocasião
Tudo na bacia das almas
Esquecer-se

Joka


João Carlos Faria
A arte esta morta na sociedade de mercado ?

Ontem em um casamento vi um grupo musical muito bom.
Uma bela voz feminina um instrumentem tal e fiz minhas viagens
enquanto produtor que ainda não me tornei.
Gravaria com eles uma dúzia de canções de Edu Planchez e Paulo Rafael.
Acho que estes dois compositores valem a pena serem bem gravados.
Mas nos dias de hoje gravar CDs tornou-se obsoleto ?
E não gosto muito desta ideia de leis de incentivos. Porque o Estado a comunidade
tem que bancar nossas ousadias ?
Ação Cultural deve beneficiar a comunidade como um todo. São recursos públicos
suor do trabalho do povo Brasileiro.
Alguém me fale que qualquer movimento de ruptura e transformação nas artes
aconteceram com incentivos públicos ?
E vai nesta Cinema Novo ? Tropicália ? Poesia Marginal ?
Semana de Arte Moderna ?
E aqui só citei as mudanças nacionais ?
E nossa geração irá morrer na praia ?
O único movimento que influencia ultimante e o Hip Hop ?
Que já da sinais de cansaço.
Talvez até podemos estar no olho do furacão e não percebemos nada
além da revolução tecnológica.
Nasce um cinema sem infra e independente. Bem ao estilo do faça
você mesmo do movimento panque rock.
Mas afinal estamos na covarde e egoísta sociedade capitalista.
E a necessidade de ganhar dinheiro e garantir o leite das crianças
e mais importante.
Já ouvi isto de um jovem politico que tem os holofotes na
minha cidade.
Só os reacionários e conservadores vem ganhando espaço.
A liberdade nas artes esta sendo vendida por trinta moedas.
Pelos judas das artes.
Acho que visionários andam fora de moda e bem longe
de qualquer holofote.
Cade Diógenes com sua lanterna a nos mostrar artistas
de verdade ?

Joka


João Carlos Faria

sábado, 11 de julho de 2015

Canção aos demônios

E alma anda por ai calma.
Mesmo vendo todo o mal que
carregamos em nossos corações.

E alma anda por ai calma.
Enquanto nos silenciamos diante de tanta
dor.

E alma não se constrói se ficamos em
silencio diante de tantas coisas
mal contadas.
A injustiça amordaça nossa alma.
Nosso silencio leva a humanidade
diante de um imenso abismo.
Estamos presos as algemas da injustiça.
Presos a caverna.
Desaprendemos o caminho do amor.

Joka


João Carlos Faria  
E Saci resolve sair por ai. É que a mata anda pequena.
E Saci vê tantas coisas na cidade grande.


E almas tão vazias nas cidades.


Que o trabalho seja pouco e não breve. Que tenha para todos.
E que achemos novas trilhas. Novos rumos para a economia.
Que tenhamos fartura e acabemos com os disperdicios.
Ousemos pensar além do combalido e predador capitalismo.
Ou isto ou caos. A continuidade das guerras da opressão.

A maior parte das pessoas não sabem que são escravizadas
pelas ideologias capitalistas.
E tudo é uma ilusão que não nos faz ser.
Simplesmente o valor é ter.



No capitalismo tudo é comerciável a alma a calma.

sexta-feira, 10 de julho de 2015

Teatro interditado gera despesa de R$ 18 mil por mês à prefeitura


Porque a Fundação Cultural Cassiano Ricardo insiste em manter este teatro que fica no terceiro andar de um shopping?
E porque o corpo de bombeiros ainda aprova que continue lá ?
A cidade e a comunidade não pode buscar outras alternativas ?
Recentemente fiz uma campanha para as pessoas da comunidade cultural sugerindo como uma
alternativa o antigo Cine Paratodos que já tem sua fachada protegida por lei.
A administração Carlinhos de Almeida tem dado um salto de qualidade e investido em arte
e cultura o Vicentina Aranha esta virando um polo de arte na cidade.
E não vemos a logomarca da prefeitura bem colocada pela ongue que administra o espaço
que fica a impressão que a prefeitura não investe ?
O PT assim perde espaço para si mesmo. Não mostrando que investe em arte e cultura.
E bem estranho uma matéria como esta sair quando a cidade esta em festa no Revelando
São Paulo.
Em época de crise porque não criar algo permanente com a tipica culinária do Vale do Paraíba
como o Mercato de Quiririm.
Acredito que cabe a Fundação achar a solução para a questão do teatro.
E temos um prédio histórico no centro da cidade o antigo Cine Para todos.

Joka


João Carlos Faria   

quinta-feira, 9 de julho de 2015

Tantas informações inúteis que produzimos estamos dando muita descarga na internet. A merda é muita. Somos uma merda.

quarta-feira, 8 de julho de 2015




Em breve um poema uma cronica e uma vela acesa pela felicidade.
Quando fiz minha alfabetização na Escola Marechal Rondon no Monte Castelo em
São José dos Campos fasianos a composição a partir de uma imagem.
Então volto a exercício de criação.
Criar existir e tudo se faz Verbo.
E o amor cria almas. Ainda lunares e na forja do ciclopes nascem almas.
E no amor a alquimia. E alquimia não é transformar chumbo em oro.

E sim criar do lodo a alma. A eternidade é o agora.
Uma crise midiática

Boa tarde passei no Face, Folha, O Vale para
ver as noticias do dia.
E a guerra santa entre quem quer se manter no poder
e quem quer voltar ao poder.
Enquanto isto como não consigo subir nenhum muro
me posiciono.
A vida é breve e o mundo fora das redes sociais
o desemprego aumenta os preços sobem.
E a economia desaba. E vejo na TV Câmara e Senado
os debates entre governo e oposição.
E entre as postagens uma do MST querendo pregar
a guerrilha.
Neste pais quem pegaria em armas a direita mal acomodada
a esquerda burocrática que vive no poder público?
A verdade é que não temos culhões para dar uma virada
e as campanhas eleitorais continuarão com seus
rios de dinheiro podre e sujo.
E a corrupção de quinhentos anos ou mais firme e
forte.
O governo do PT é rendido ao mercado mas com
um certo avanço nas politicas sociais.
Por isto ainda ouso apanhar e bater a cara nas
redes sociais.
Mas que esquerda é esta ?
O Brasil esta longe de uma republica Boliviana
o capitalismo é a força que mantém os partidos
e a politica Brasileira.
Vivemos a desordem vigente respeitemos ao
menos a constituição.
Quem sairia as ruas com pedras e paus ?
Dilma ao menos teve coragem em sua juventude
e nisto merece nosso respeito.
O Brasil vai superar esta crise midiática.
Já a real econômica é um imenso desafio.

Joka


João Carlos Faria  

segunda-feira, 6 de julho de 2015

A felicidade na bolha virtual

Encerrando as transmissões sobre politica. Hoje pela manha
pensei em escrever uma cronica sobre produzir cinema.
A ideia era um roteiro de cinema de arte como O incrível
exercito de Branca leone.
Ou Alma Corsária, O homem que virou suco.
E por ai vai o cineasta Vinícius Santos de Jacarei prova que
se faz cinema sim com pouco orçamento.
Já tivemos o Núcleo Ethos na Fundação Cultural Cassiano
Ricardo nos anos noventa.
Mas Vinícius Santos produz sem apoio oficiais.
Mas depois de comer um pastel no mercado a leitura da Folha
de São Paulo foi bem indigesta com uma ameaça de
golpe contra uma presidente ou presidenta legitimamente
eleita.
Vivemos num momento em que a sociedade só se faz
presente nas redes sociais.
Na biblioteca Cassiano Ricardo me perguntaram se existe
algum grupo que debate e realiza cinema em São José ?
Ou literatura ? Artes Plásticas ?
Não consegui dar uma resposta pelo que sei só a
Academia Joseense de Letras ?
Enfim devemos estar muito felizes em viver na bolha
virtual ?
Desaprendemos a arte de viver em comunidade o egoismo
da sociedade capitalista chegou a arte.
Sinto muito a sociedade esta morta.

Joka


João Carlos Faria   

domingo, 5 de julho de 2015

Vamos alugar o Brasil ?

Enquanto assistia a Globo News Painel

Frase inicial do programa :

Enquanto nos América Latina construíam shopping os Asiáticos criavam
fabricas.

E agora um raciocínio meu : A tentativa de desestabilizar o governo Dilma Rousseff é uma grande
tolice.
Precisamos sair desta crise econômica e vivemos uma crise artificial na politica.
As redes sociais perdem o foco. E esta desunião gera desestabilidade econômica.
Lula e Dilma sempre se renderam ao Capital lembram da tal carta ao povo Brasileiro?
Temos dois PT o que governa e sua militância e não falam a mesma língua.
A militância só serve para levar porrada.
E vive se desesperando aqui no FACE. Enquanto na Capital Nacional o congresso coloca
uma agenda cada vez mais conservadora e reacionária.
Falta uma percepção politica as militâncias e os poderosos devem rir de tantas tolices.
Enquanto o Brasil real o desemprego aumenta.



Para que colecionar livros ?

Numa quase tarde de domingo no
frio de inverno. Cismei de ouvir Clarice Falcão
e ler poesias. Entre uma colocação e outra
no Facebook. E algumas leituras no Entrementes.
E acabo me esquecendo de procurar livros nas estantes das livrarias.
E que ultimamente me faltam alguns trocados para adquirir livros.
E vivo indo ao Vicentina Aranha levar meus velhos livros.
Para que colecionar livros ?
A uns anos atrás a Josefina Neves Mello me pediu e ao Marcelo
Planchez para fazer uma performance onde quebrávamos
uma estante e fizemos.
E isto ficou registrado em mim. Livros devem ser lidos e não
servem para enfeitarem as estantes.
E por falar em performances eu já não as faço já não tem
nenhum sentindo para mim.
Algo que temos que explicar o porque fizemos é arte ?
Nestes dias em que vivemos se coloca na caixa da
arte quase todas as neuroses humanas.
Froid iria adorar todas estas nossas bobagens.
Tudo isto quem começou a fazer foi um tao de Duchanp
colocando um bide numa exposição.
Gosto das artes plásticas mas não sei desenhar, gosto
de musica e não sei tocar nada.
Mas vamos seguindo nossa jornada quando tiver uns trocados
compro uns livros de poesia.
Para ler numa casinha cravada na Serra da Mantiqueira
que ainda irei comprar.
A vida é uma enorme desventura em busca de um significado
que não achamos ?

Joka

João Carlos Faria



Clarice Falcão

sábado, 4 de julho de 2015

Ego palavras ao vento no mar do silencio

Entre um livro e outro de Samael Aun Weor ouço o bater de meu coração.
A consciência sempre adormecida no silencio da
noite cansada.
É hora de fechar os olhos. Silenciar as vozes dissonantes
que atuam e imaginar o bater do coração. Imaginar o coração
esquecer-se do mundo.
Silenciar as vozes dissonantes esta legião que insiste em prender
nossa consciência.
E quando Jesus Cristo a ela perguntou e ela disse meu nome é legião.
E os porcos se jogarão ao mar.

Joka


João Carlos Faria
O circo eleitoral já esta sendo armado

Vendo os jornais na TV e sentindo a mera manipulação,
e a sensação que a internet poderia ser um marco contra
a desinformação e alienação da população não só
no Brasil como no mundo vira pó.
Hoje peguei um ônibus numa manhã e fui atrás das montanhas
da Serra da Mantiqueira.
E vi uma periferia em minha cidade sem asfalto, sinal
de telefone.
Sem uma presença do poder público.
E ai como transformar um pais se as pessoas estão correndo
atrás da mera sobrevivência ?
Sem nenhuma ou pouca chance de mudar suas realidades.
E ano quem vem tem eleições municipais e o circo já
deve estar sendo armado.
A questão econômica dita as regras e as chances de todos
e vivemos esta falsa sensação de democracia.
E as mídias, partidos políticos são meras maquinas de
manipulação em nome da democracia.
E a Senzala sempre permanece senzala com a ilusão de
um dia chegar a Casa Grande.
Quanto nos custa uma eleição de vereador ou de prefeito?
Os partidos políticos pertencem a grupos privados.
E fazem o jogo da especulação financeira das empreiteiras
e das grandes empresas.
A mídia e sua democratização é uma imensa mentira.
Precisamos descobrir trabalhos na base da sociedade,
sem dar atenção as mentiras do poder público.
Uma maneira diferente de fazer politica precisa surgir
sem a desajustadas competição da mentira de partidos
políticos a esquerda ou a direita.
Precisa-se nascer associações que busquem gerar rendas
para as comunidades periféricas.
Cooperativas de trabalho e por ai vai o poder público
no Brasil é um mero instrumento da manipulação deste
sistema. E já não dá as devidas respostas as comunidades.

Joka

João Carlos Faria



quinta-feira, 2 de julho de 2015

A esquerda esta sendo jogada no fogo da nova inquisição

Não entendo porque as pessoas se assustam com esta explosão
de rancor, medo e conservadorismo no Brasil esta é a cara
verdadeira do Brasil.
Na cidade em que vivo ou em qualquer lugar.
O Brasil é extremamente conservador e reacionário isto quero dizer nosso povo é assim
não me excluo só me esforço um pouquinho para acabar com minhas misérias humanas.
O governo Lula e Dilma estava nas graças do povo enquanto
a economia ia bem.
Enquanto se podia consumir. Mas esta crise é passageira
já vi muitas desde os anos oitenta.
E os ajustes de Levy estão sendo aplicados.
Enquanto isto o PT esta sendo queimado na verdadeira caça as bruxas
talvez a prepotência de seus dirigentes os levaram a isto.
E perdemos a chance de ter uma agenda mais libertária.
Lula e o PT abriram as pernas para o Senhor Capital e agora a mídia
serviçal e bem liberal os jogam na fogueira.
A esquerda Brasileira volta a ter seu tamanho ou seja quase nenhum e
nenhuma influencia.
Os pelegos dirigentes da CUT perderam a chance de emancipar
os trabalhadores e desenvolver e aperfeiçoar as ideias de cooperativas.
Os movimentos Sociais se perdem em suas infrutíferas reuniões.
Quando tudo desaba tudo pode ser reconstruído. E os tolos sempre
riram dos anarquistas e libertários.
Só a união de força e amor ao próximo pode mudar o rumo de
nossa sociedade.

Joka


João Carlos Faria   

quarta-feira, 1 de julho de 2015

A cultura pop é o entulho de imagens em nossas
retinas

É tão divertido criar textos , poema e reflexões que
nunca serão lidas.
Afinal em tempos de mensagens instantâneas.
Estamos cegos, surdos e mudos.
Em tempo de crise financeira, politica e
de identidade entre esquerdas e direitas.
Que direitos o cidadão tem nenhum afinal ?
Já estamos mortos em nosso dia a dia.
Não sabemos pensar, sentir e viver.
Não sabemos reagir as mazelas midiáticas.
Milhões de informações entopem nossos
neurônios de merdas.
A mídia defeca em nossas cabeças.
A academia aprisiona a reflexão e a ação.
E a velha esquerda se vê devorada pela
matilha de cães da direita.
O egoismo é o maior marco de nossa
realidade.
Deus não enche os templos pentecostais
é o poder do dinheiro que enche.
O idealismo não junta as pessoas nos
partidos políticos mas o dinheiro
as fazem estar lá.
O dinheiro compra nossas consciências.
E já estamos mortos.
Já nascemos mortos nessa sociedade
de cultura pop.
Não pensamos desistimos de qualquer
chance de ser criativos.
Para vivermos em formas de bolos
sociais.
Já estamos mortos.
Precisamos realmente nascer.
Que ser humano no silencio em
si mesmo se acha importante?
A impotência e a derrota e a nossa
sina.
O super-homem é um cadáver
dentro de nós.
E Nietzsche em um imenso desespero
gritou É NECESSÁRIO POSSUIR UM
CAOS DENTRO DE SI PARA QUE
NASÇA UMA ESTRELA BRILHANTE.

Joka

João Carlos Faria

Em comemoração aos setenta anos

de Raul Seixas.