Seguidores

quinta-feira, 4 de junho de 2015

São José exclui Via Banhado de financiamento do BID

Boa reflexão de Sérgio Carvalho na matéria deste jornal no site. É uma pena não participar
ali não consigo acessar o cadastro.
Pode até parecer que não esta melhorando mas a politica e as cidades estão sendo debatidas
como nunca. Cada vez mais teremos um acirramento de opiniões e participação politica
acabei de ler Nayara Fernandes convocando um panelaço pela saudê no facebook.
Quero muito ver o resultado de participação milhares de pessoas estão indo as ruas desde 2013.
E descobrimos que na pratica não funciona. É uma pena partidos políticos terem donos no caso
grupos que mantêm o controle sem oxigenação da participação.
Já participei de dois e vi que por dentro não tem nenhuma chance de mudar. Então cabe a sociedade
e o cidadão com qualquer opinião ideológica ou não descobrir novas formas de participação
politica e buscar influenciar nas decisões de governo.
No caso da favela que esta no Banhado vejo este debate improdutivo desde os anos noventa. Acho que as pessoas que moram lá devem ser indenizadas de maneira justa. Se uma família tem uma Chácara deve receber o valor para que tenha uma nova chácara.
Nada de colocá-las em pequenos apartamentos. Já não bastou a cidade investir em apartamentos no
cento para moradores de uma favela e hoje ser sede da SDS.
As pessoas tem fome de trabalho, tem necessidade de saudê de forma correta e plena.
A saudê no Brasil é universal mas a qualidade deve ser universal seja em governos do PT , PSDB
sempre haverá problemas cabe aos gestores públicos fazer um debate amplo com a comunidade
as redes sociais estão ai para isto. É uma importante ferramenta para se aprimorar a participação
do cidadão.
Já não vejo o governo Carlinhos Almeida como inábil e imcopentente já se tem inúmeros
avanços.
Cabe ao governo melhora a comunicação com o cidadão sem precisar gastar recursos públicos
com publicidade.
Estas publicidades são dinheiro público escoando pelo ralo.
No mais não fiquemos isentos ao debate público.

Joka

João Carlos Faria   

Nenhum comentário: