Seguidores

domingo, 7 de junho de 2015

Canto a cidade

A cidade sem palavra , adormecida,
E os raios de Sol,
A cidade se descortina diante a neblina.
De longe avisto a Serra da Mantiqueira,
E o gigante eternamente adormecido.
Ruas tortas , estradas quase mortas.
A cidade sem palavra , adormecida.
E os raios de Sol,
Ilumina por entre as frestas a mata.
E a serpente desliza dentro do rio.
E a serpente por entre os caminhos
do nascer da alma.
E a cidade indiferente a seus caminhos,
Turvo, Taquari, Lavras, Guirra,
Igrejinhas, asilos …
Caminhos indiferentes.
Da Vila Industrial avisto a Serra da Mantiqueira.
E o azul a distancia, guardado em minhas retinas.
São José dos Campos te cantamos em alma, corpo
e desejo.
Cidade, alma, alcova, esperança, fé.

Joka



João Carlos Faria

Nenhum comentário: