Seguidores

segunda-feira, 29 de junho de 2015

E não sabemos o que vem depois
do esquecimento ?

1

Inverno
Segunda -feira debatemos
todos os problemas do mundo.
E o dia passa.
E a vida lentamente passa.
Lemos inúmeros poetas.
Inventamos canções.
E não sabemos o que vem depois
do esquecimento ?
Falta nos uma ousadia para
entender o mal que nos habita ?
E o bem que irradiamos.
E anjos cantam ao nosso lado.
E numa praça um senhor simplesmente
planta suas arvores e só o observo.

2

Inverno

Segunda -feira debatemos
todos os problemas do mundo.
E não reinventamos a economia ?
Não sabemos nada novo que
nos possa fazer dar um paço
além de comunismo e capitalismo.
Estamos velhos e o esquecimento
nos aguarda.

3

Inverno

Segunda -feira debatemos
todos os problemas do mundo.
E não nos reinventamos uma mera
fotografia colorida numa rede social.
Não nos protege de nossa ausência
de ousadia.
E nada novo nasce nas já cansadas
redes sociais.
Estamos velhos e o esquecimento
nos aguarda.




4

Inverno

Segunda – feira debatemos
todos os problemas do mundo.
E não criamos uma nova maneira
de ver o mundo.
E o ódio nos toma e nos achamos
tão amáveis e cordiais.
Estamos velhos e o esquecimento
nos aguarda.


Joka


João Carlos Faria  

domingo, 28 de junho de 2015

Porque não temos um Sistema Único de Segurança?

É tão bonito ver o Parque Vicentina Aranha no domingo a tarde repleto de crianças pequenas
uma sala de leitura que leva o nome do amigo Reginaldo Poeta ver uma jovem aprendendo a
tocar violão. E descobrir que tem uma sala inteira onde podemos aprender a jogar xadrez
com os amigos.
Mas tinha uma pedra no caminho na verdade uma marreta atirada num ônibus em que eu
estava na altura do viaduto perto da Câmara Municipal pasmem perto da Câmara Municipal.
A cidade a noite e nos fins de semana revela sua face violenta como a sociedade BRASILEIRA
pode aceitar que usuários de crack uma epidemia social possam andar livremente pelas ruas ?
A peça jogada quase atingiu uma garota de uns sete anos que estava no banco da frente com
a mãe.
O motorista parou desceu. O pai da criança desceu transtornado e deu uns safanões na pessoa
visivelmente perturbada pelo uso desta droga covarde. E muitos ousam querer a liberação
da maconha?
Eu fiquei observando e como vi que ninguém teve a iniciativa de ligar para o 190 o fiz.
Um bom atendimento só que a atendente não tinha a menor noção de onde era São José dos
Campos e nestas horas esquecemos os endereços de nossa cidade.
Que pais é este que tolera que estas pessoas não sejam internadas e tratadas mesmo contra
sua vontade ?
Um cidadão neste estado alterado é uma ameaça a si mesmo e a todos nós. E deve
ser retirado do convívio social.
É uma pena a visível preocupação com o patrimonio por parte dos funcionários da empresa de ônibus e a visível falta de cidadania em ninguém atentar -se a avisar a PM para mandar uma
viatura ao local. E retIrar uma pessoa desta da rua. Que pode gerar uma tragédia maior ainda
a sociedade. E para que servem estas Câmeras do COI ?
Gosto de caminhar pela cidade e não vejo nenhuma câmera nestes pontos estratégicos
que eu cidadão já conheço e que nossas autoridades públicas deveriam conhecer.
Segurança é uma responsabilidade do governo do Estado mas segurança é uma
responsabilidade de todos nós cidadãos Brasileiros.
O senador Cristóvão Buarque defende um Sistema Único de Educação e porque não
temos no pais um Sistema Único de Segurança?
Educação nos falta no pais da pátria educadora. São José dos Campos avança na área
da cultura e arte criando este centro de arte e cultura chamado Vicentina Aranha e as
ações de descentralização com as Casas de Cultura pela Fundação Cultural Cassiano
Ricardo que ao meu ver devem abrir aos domingos e feriados levando lazer e
cultura a toda a cidade.
Mas a democracia na gestão pública é uma árdua luta que nos envolve com fé e
amor.

Joka



João Carlos Faria

sexta-feira, 26 de junho de 2015

Meus ouvidos já não estão tão cegos assim
a NOVA MPB chega a eles.
O novo nasce deixemos de sermos mortos ...
Jorgilene Maciel 3 semanas atrás
O Cícero é muito bom! E não se enganem ta cheio de gente boa fazendo sons muito bons no Brasil. Eu convido vocês a ouvir : Castello Branco, Flavio Tris, Luiz Gabriel Lopes (que é da banda Graveola e o Lixo Polifônico, que também é foooda!), Luiza Brina (Também do graveola), Jennifer Souza (da banda Transmissor ,que é muito boa tb!), Gustavito, César Lacerda,Pedro Moraes,Rafael Martini, etc...enfim, tem uma geração de músicos muito bons fazendo um som incrível e todos eles tem material publicado aqui no Youtube. Tem um canal da Mostra Cantautores onde dá pra conhecer muitos desses músicos lindos. Boas ouvidas aí! Beijas!

As mentiras dos príncipes

Enquanto vejo a fervura na cena nacional.
As mazelas da politica.
Ouço a nova MPB OUÇO CICERO
E me desligo da indigestão mental de cada
dia e da não ação do brasileiro
médio.
Bater panelas, sair as ruas de nada
resolve.
Precisamos descobrir os segredos da
arte de Maquiavel.
E decifrar as artimanhas dos novos
príncipes.
Afinal rasgaram-se os tratados da politica
não sabemos de nada.
E morremos na ilusão de achar que
podemos ser diferentes.
Militantes estão mortos na arte de gritar
em redes sociais.
Nada se diz e se faz de novo só nos
cabe ouvir a nova MPB.
E tentar decifrar os caminhos da nova ordem
dos principes.
Afinal alguém já escreveu um tratado desta
sórdida politica contemporânea ?

Joka

João Carlos Faria

Para mal entendedor meias palavras não são verdades.
Querem garfar Lula, culpá-lo prendê-lo e arrebentá-lo.
Por acaso existe alguma prova que ele seria mandante

da morte de Zumbi dos Palmares ?  
Hoje pensei em atravessar as Américas a nado e chegar
ao Alasca.
Mas quando fui atravessar o canal de Ilha Bela
descobri que não sei nadar tão bem assim.

Joka


João Carlos Faria
Dante nas ruas de Belo Horizonte


Inverno,
Inferno,
Antes Dante quebra os
dentes ao cair na esquina.
Mentiras mal contadas.
O cardaço de seus tênis desamarram.
Caminhava no sol de inverno na tarde.
Antes havia apreciado um helicóptero da Policia
Militar.
E pensava em jeitos de voar naquele helicóptero.
Tinha estudado equações na manhã.
Enquanto Diógenes não lhe telefonava.
Precisavam falar com Pitágoras para lhes
ensinarem uma formula de passar
num concurso da policia federal.
Dante daqui a pouco alcança os cinquenta anos.
E não sabe a arte que Maquiavel escrevia em conversas
no bar da esquina de como enganar o povo
e estar no poder.
Dante não quer voltar ao inferno.
Inverno,
Inferno,
Dante quer um emprego de funcionário
público.
Dante anda longe de querer empreender.
Dante quer um encontro com Penélope.
Dante ama a vida, não sabe os caminhos
da corrupção.
E já não se engana ao votar.
O sistema é um ilusão, caie a noite.
Inverno.
Dante conta as estrelas enquanto
o trem não o leva a Aparecida do Norte.
Inferno.

Joka

João Carlos Faria




quarta-feira, 24 de junho de 2015



E o barco esta afundando salve -se quem puder ?

Hoje pela manhã estava lendo o Estadão numa Casa de Cultura ler jornais
as vezes se torna tão indigesto e ainda mais num dia de São João e olha
que não passei pelo editorial mas sou daqueles que gosta de ler um bom
jornal mesmo no caso extremo do Estadão sou da tradição dos que gostam de
ler a Folha de São Paulo ela é mais plural não tem o radicalismo de direita do
Estado ou a cruel cara de pau de uma Globo News.
E só agora a noite depois de um toque de um mestre de nosso cinema lendo o
resolvi desatar a escrever para tirar o nó da garganta.
Estão literalmente queimando o PT, lula, Dilma ou o PT que se queimou na
busca desenfreada e na ausência de ética no fazer politica ?
Também né caminha-se para quase dezesseis anos de governo numa das
reflexões mais que Getúlio Vargas e menos que a cruel ditadura militar.
De economia confesso que não entendo nada mesmo lendo jornais, revistas
e sites. E gostaria de saber se de fato alguém entende ?
Mas na real estamos em dias difíceis sem marolas. Acho um exagero em
nossa sociedade exagerar na industria automobilística como carro chefe
da economia. Falta criatividade a quem manda na economia no caso
governos e empresários nos do povo sonhamos com a chance de montar
um negocio mesmo antes dessa moda chamada de empreendedorismo.
Mas quando se foi fácil no Brasil ?
Li a bem construída biografia de Dona Lili Figureira aqui do Vale do Paraíba
e lá vi tantas e tantas crises econômicas ao longo do século vinte no narrar
de uma família Brasileira.
E agora tivemos a estabilidade da moeda com Fernando Henrique Cardoso
e os dourados anos Lula ?
E vem nos o pesadelo Dilma ?
Ou estávamos sendo enganados por bons pino quios ou a economia deu
uma grande escorregada. E agora Levi poderá nos salvar ?
Com as cretinices do liberalismo na economia ? E um bom pacote de maldades
que prejudicam o trabalhador e a classe média.
Elite é elite e se da bem em qualquer economia.
Nos do povo estamos sujeitos a inúmeros planos econômicos.
E a esquerda será seu fim ?
Foram quase desseis anos de um governo que criou um mercado
interno mas que não buscou novas alternativas ao velho capitalismo
deve ter sido bom para Lula frequentar as festas da elite.
Mas esqueceu que deles não fazia parte. E agora não sabe
para onde ir ?
Mas tudo passa até este governo Dilma Rousseff que se abre as
maldades de Levi que prepara o terreno para os neos conservadores.
E a esquerda no poder por desseis anos se aliou a ideias pragmáticas
e agora vai voltar a Senzala.
Mera mania de feitores que acham que pertencem a Casa Grande.
O PT sempre foi um pequena classe média que alcançou o poder
e nele se acomodou em nomes de Utopias que nem sei se quer acreditam
e agora o ouro volta a Casa Grande.
E a senzala volta ao seu lugar.
Mas a historia nunca termina e voltas vem e vão.
E o barco PT esta afundando ?

Joka


João Carlos Faria

terça-feira, 23 de junho de 2015

Canção a chegada do inverno, metafisica e físicas na eterna
canção a vida enquanto se houve Engenheiros da Havaii.


Inverno

Ciclos e mais ciclos
No mutuo perpétuo
A vida é sempre.

Inverno

Cercas no separam das
almas.
A aflição de ter nos
distancia da força de ser.


Inverno

Caminho pelas estradas,
geadas não esfriam nossa
vontade de alcançar a alma.

Inverno

Esperança, o brilho da estrela
que se apagou.
Ilumina a jornada em busca da alma.

Inverno

Metamorfose entre a alcova, desejo.
Construção da eternidade.

Inverno

A alquimia se faz entre o sentir
e amar.
Corações em chama a subir
a montanha.

Inverno

Nunca desistir da vida enquanto
se sobe o morro de volta ao lar.


Inverno

Entre poesia, música.
Quem sabe uma canção.
Inverno

A vida é sem saber o que
desejamos.
O coração é sábio a razão mera ilusão.

Antes tarde do que nunca saudar a chegada de mais uma estação no acaso
canções dos Engenheiros do Havaí, poemas no face publicados por Nydia Bonetti
e vontade de registrar os desejos da inexistente alma em poesia.
Devemos silenciar ? A vida esta e é como é. Nada além.

Joka

João Carlos Faria



Engenheiros do Havaii

Da pagina de Nydia Bonetti no face alguma coisa da poesia para o inverno …

Doente de viagem,
meus sonhos vagueiam
pelo campo seco.
Bashô
Mais fria que a neve,
Sobre os meus cabelos brancos,
A lua de inverno.
Jôsô

A lua fria —
Sobre o templo sem portão,
O céu tão alto.
Buson

Desolação de inverno —
Ao passar pela pequena aldeia,
Um cão late.
Shiki

A solidão
Após matar uma aranha —
Noite fria.
Shiki

Estrelas, surgindo
Aqui e acolá —
Ah, o frio!
Taigi

Início de inverno —
Minha filha de dois anos
Ensino a usar "hashi"
Gyôdai

Enquanto eu não crio nada para esta bela estação do ano como são belas todas
as estações. Gosto da idéia de hakai falta-me a paciência do estudo.
O poeta José Omar de Carvalho sempre nos falava da concisão da poesia num
poema pode caber toda a idéia de um romance. Eu ainda nem sei escrever romances.
Nem sei se sei escrever. Não tenho a menor noção se realmente existo. Mas a poesia e consição
emoção enquanto ouço Cazuza escrevo estas linhas e poesia é poesia.
Se disserem que não existimos literariamente montemos nossas editoras, criemos
nossos sites divulguemos a literatura dentro e fora das academias.
E por acaso quem me diz que Nydia Bonetti, Edu Planchez não são poetas ?
Poesia agora e sempre como gritei na ponte da Flip.
Poesia hoje em intermináveis bate papo com Gustavo Terra.
Poesia tatuada na alma na luz brilhante de Elizabeth Souza com seu entrementes.
Ou a editora de Wilson Gorj a Penalux …
E assim caminhamos e existimos.
Viva a chegada do inverno. E uma nova edição da Revista Entrementes mais cá
entre nós prefiro a revista em papel.
Poesia em cada dia nas leituras diárias no Facebook … Tudo se faz breve este planeta
é uma poeira na galaxia.
Eu juro que ainda não encontrei nenhum ET na rua. Mas e Solfidone ?
A vida é breve amanhã ou hoje tem São João no Vicentina Milton Blau, Kardec
Gonzaga e Cabelo de Milho.

Inverno

A tarde caie .. A luz se apaga.
Acendamos a fogueira em nossa alma

Joka

João Carlos Faria   

segunda-feira, 22 de junho de 2015

Viva Cazuza, Viva Ricardo Chacal ...

Na época que Cazuza morreu eu ainda estava trabalhando numa rede de Supermercado e já escrevia
poesia e fazia música e tentava tocar um instrumento para montar uma banda.
Queria fazer música, cinema e o tempo passou mais quebrei a cara e continuo querendo fazer poesia
música.
Só abandonei os partidos políticos. Errar é humano persistir e se jogar ao abismo.
A vida deve ser exagerada. Acabei de ler um post do Ricardo Chacal em plena forma fazendo a
arte dele.
Só nos cabe saltar ao abismo.
Viva Cazuza hoje nos céus ou tomando conhaque com o Capeta.
Afinal em que circulo infernal nos encontraremos ?

Joka


João Carlos Faria

domingo, 21 de junho de 2015

A imensa aldeia da intolerância

Que sociedade intolerante em que estamos vivendo na Venezuela se prende defensores da democracia seus ex membros da oligarquia Venezuelana pais que o Jornal da Globo fez um ataque
enorme na ultima sexta-feira. Que tentaram criar a tal Revolução Boliviana mas qualquer tentativa
de criar algo diferente do velho sistema Capitalista na América Latina ou qualquer lugar do mundo
sofre um grande ataque.
E ai uns senadores nossos foram lá se solidarizar com os presos e não conseguiram chegar a prisão
mas quem conhece um pouco das guerrilhas politicas sabia que iria dar no que deu ?
Jó Soares chama a presidente Dilma Rousseff para entrevistá-la no momento mais difícil de seu inicio de segundo mandato. Com um pais numa enorme crise e pichão em frente a sua casa que morra?
Vivemos numa sociedade onde a intolerância e o fascismo atua indictivamente na esquerda e na
direita a intolerância e o desrespeito a democracia acontece nas duas linhas que dividem as opiniões
politicas e econômicas da sociedade.
E neste inicio de século vinte e um não vemos nada novo além de um grande desenvolvimento
tecnológico mas não vemos ideias inovadoras e ações no campo da politica, economia e filosofia.
Que aldeia global é esta que já não nos toleramos ?
Que não ousamos pensar de modo diferente desta mesmice ultrapassada de pensamentos de esquerda e direita.
Não ousamos pensar e agimos de uma mesma maneira nascida no século dezenove.
Cade a Primavera Árabe a Grécia se vê pressionada para seguir a velha cartilha do Fundo Monetário Internacional.
Afinal a quem interessa manter tudo do jeito que esta?

Joka



João Carlos Faria
Canção aos não ateus


O que seria de nós seres humanos sem os Deuses.
Acreditemos ou não eles estão ai presentes a todo momento.
Na nossa doce jornada entre Bem e Mal.
E o sol surge por entre as nuvens neste domingo.
A vida esvai-se na ampulheta eu por acaso consigo reter estas
areias ?

Joka


João Carlos Faria

sexta-feira, 19 de junho de 2015

Precisamos realmente da Via Banhado ?

O que faz um governo do PT de Carlinhos Almeida propor uma via Banhado se estivéssemos
num governo conservador como estivemos por desseis anos nos governos de Emanuel Fernandes
e Eduardo Cury ai seria até natural mas num governo de centro esquerda.
Enquanto ativista social tento analisar de modo coerente este governo que aqui esta administrando
esta cidade que tem tido até posturas avançadas na cidade responde a uma Comissão de Inquérito de
nossa Câmara pela aquisição dos kits escolares que deve ser bem esclarecido pelo prefeito e seus
assessores as vezes vejo um pouco desta CEI na TV Câmara mas televisamente é muito chata prefiro os pinga fogo este canal da Câmara é importante mas ainda não retrata toda a comunidade joseense e já deveria ter documentários mostrando os bairros da cidade.
Mas voltando a questão da Via Banhado é estranho saber que Carlinhos Almeida enquanto deputado
estadual criou a proteção ao Banhado e infelizmente pelo que sei as regiões próximas a Vila Industrial , Tesouro e Eugênio de Mello tem alguma proteção ?
Os dois debates promovidos foram insuficiente cabe ter estes debates nas várias regiões da cidade
e em fins de semana.
Afinal quem governa as cidades prefeitos e vereadores que fiscalizam o poder executivo.
Ou as cidades estão sendo pautadas pelos interesses de empresários, construtores ?
Que saia justa para o PT nos responder partido surgido dos movimentos sociais dos anos oitenta.
Carlinhos Almeida de qual lado você esta ?

Joka


João Carlos Faria  

terça-feira, 16 de junho de 2015

Cinzas são as estatuas caídas no meio do oceano Atlântico

Eu atravesso o dia em frangalhos me espanto com os monstros que me habitam.
Na década de 90 dois amigos pegaram uma carona de São Xico a Joanópolis em um fusquinha
escutava-se Janis Joplin.
E o que será liberdade ?
E tudo passa e a tal liberdade ?
E Raul dizia na canção que o sábio chines não sabia se era a borboleta ou um sábio chines.
E numa noite num sonho eu não era eu era outro sendo eu.
E quantos eus cabem dentro de nós ?
Eu não sendo não sou. Confiro os desenhos de um poeta. E não sou sendo.
E Janis Joplin desliza em ondas em meus quase surdos ouvidos.
Eu não eu. E acordo sem despertar.
E alguém me fala para estudar grego, latim e apaixonar-me pela mitologia do antigo Egito.
Quantas palavras sem sentido?
E não sou quem sou ?
E as paginas de antigos rituais deslizam diante de mim no culto de eras de povos.
Cinzas são as estatuas caídas no meio do oceano Atlântico.
E diante de um espelho que se quebra em milhões de pedaços muitas partes de mim
que não sou.
E diante de mim no espelho vejo demônios, anjos.
Corpos sedutores e não me deito.
Como numa velha canção que escrevi no final da década de oitenta.
E perdida para o mundo.
Hoje me levantei querendo deitar, me sinto cansado pois eu vi o meu
passado.
Tantas canções que compus que estão perdidas para a eternidade.
E a vida segue e não me reconheço no espelho.
Eu atravesso o dia em frangalhos me espanto com os monstros que me habitam.
Eles ainda me devoram enquanto não os decifro ?
Estou morto. E morto ouço Janis Joplin.
E o fusquinha cegue sua estrada e todos nos perdemos na velha curva da vida.
Ao som de Janis.

Joka

João Carlos Faria


Afinal de onde somos ?

Que sangue é este que circula em minhas veias sei de
sua cor vermelha.
Mas quando se é migrante nascido em Minas, Bahia,
ou qualquer estado desta nação.
E crescer neste imenso Vale do Paraíba.
Onde a dutra nos corta, como a ferrovia já cortava.
O que é ser um cidadão Valeparaibano com sua
cultura caipira ?
Seus bolinhos de milho, festa junina.
Sei que não somos festeiros.
Nossa festas são as visitas em casa de família.
E num ônibus circular alguém falava de uma comemoração
em família no Bairro do Souza em Monteiro Lobato.
Contava de como assara o pernil na casa de sua mãe a
moda de viola a noite toda.
E fiquei ouvindo aquele cobrador de ônibus com suas
historias numa segunda-feira bem molhada.
Fogão a lenha.
E lembrava do Sul de Minas Gerais.
Não sabemos quem somos quando somos
migrantes.
Nossa identidade é múltipla mas quem é de
São Paulo, Minas Gerais e de Goias.
É Caipira. Que um dia eu possar circular
por este imenso Brasil e conhecer cada
cultura de nosso povo.
Enquanto isto ouvidos atentos a sabedoria popular.

Joka

João Carlos Faria

domingo, 14 de junho de 2015

Mensagem ao ser humano que esta por trás da maquina ou porque fui ler Walt Whitman

Minha escrita nasce das ruas no sol e na chuva na relação com o próximo
nos conflitos e nos afago.
Nos dias frios. Tento olhar no seu olho, mesmo sem saber olhar.
Minha escrita não se faz em redes sociais.
Ela é a busca de superação. Ela busca entender o ser que esta diante
de meus olhos.
Minha escrita vem dos meu conflitos dos seus conflitos.
Minha escrita e erro pois ela é humana.
Indecisão, desespero e fé no próximo.
Sem o próximo não existimos.
Meus passos são vacilantes assim como minha escrita.
Tenho os olhos de uma criança que descobre o mundo.
Tenho toda desconfiança e confiança no próximo.
Eu não existo sem você.

Joka


João Carlos Faria   
E por acaso vamos esquecer dos Evangelhos Apócrifos
achados num deserto?

Ler Walt Whitman é de uma infinita possibilidade tem hora que a palavras nos
arrebata será a escrita a religação do homem com sua divindade ?
Ontem numa praça com velhos militantes da luta politica, começamos a falar dos
grandes escritores que o Brasil já produziu Machado de Assis e Guimarães Rosa
falei de meu encanto pela escrita de Guimarães e outro falava do mesmo encanto
por Machado e nos esquecemos dos males do fazer politica.
E a literatura chegava a praça viva e pulsante.
E assim a escrita e a literatura transforma as pessoas nesta era tecnológica e hoje li
um poema dedicado a Stve Jobs sim ele mesmo um dos construtores desta imensa
aldeia global. Não achei a assinatura do autor ? Por isto não republiquei.
E o que é a escrita, poesia e arte ?
Quantos mistérios que faz uma pessoa sozinha se desligar do mundo e simplesmente
ler e escrever eu escrevo com a companhia e a música de Janis Joplin.
Mas poderia estar em silencio. Num programa sobre a guerra civil Americana antes de falarem
me veio na cabeça o velho Walt Whitman que cuidava das pessoas doentes no acampamento.
E agora releio, leio suas frases poemas, sua vida diante de meus olhos.
Ele que cantava ao homem do futuro e chega num rápido clicar de uma página além da
velocidade do pensamento.
E num inscrito o torno personagem numa visita na cidade em que moro.
E quem disse que a metafisica não pode fazer ele estar aqui neste exato momento seus
pensamentos chegaram a mim a você.
Quem disse que não caminhamos na velha Atenas? Ou não estivemos nas Caravelas
de Pedro Alvares Cabral ?
Ou simplesmente aprendemos a arte de viver ou morrer em Esparta.
Quem nos diz que daqui a seculos, milênios não estaremos aqui quem sabe indo além
do bem e do mal.
E a vida pulsa em nossa alma, coração e fé em nos mesmos. Pois Walt Whitman diz para
amarmos a nós mesmos. Ai descobrindo a amor em nós podemos nos ver no próximo
como Jesus O Cristo nos ensinou.
Eles os grandes e pequenos escritores fazem parte de nossa vida a partir de que
nossa retina chegue a suas palavras escritas e muitas vezes encenadas num palco de
teatro, numa novela num filme.
Palavras escritas nunca se acabam e por acaso vamos esquecer dos Evangelhos Apócrifos
achados num deserto?
Quem sabe muitos dos livros da grande biblioteca de Alexandria não estejam por ai
parem serem novamente descobertos.
Ou no fundo de algum oceano esteja uma biblioteca de uma civilização perdida
esperando para serem achados ?
A vida é vida e vai além da vida. A literatura abre nos portais e infinitas chances de
encontrar o caminho da alma. Que dizem os velhos sábios que ainda não possuímos
mas devemos lutar para achar o fio de Ariadne que nos leva a alma.

Joka


João Carlos Faria            
E Walt Whitman e Janis Joplin passearam pelas vielas do Banhado


Grande mulher Janis Joplin musa dos loucos, bárbaros e caminhantes. O que seria a vida sem canção, mulher e sonhos, poesia e arte.
Hoje uma ciranda nos encantou num Parque de uma cidade qualquer do interior do Brasil.
E Walt Whitman passeava pela feiras de trocas de livros, debatia poesia e politica.
Eu o vi mas não ousei chegar perto deste velho bardo.
Mas prestava atenção as suas palavras uma a uma e aqui lhes conto. Ele se indiguinava por uma cidade querer expulsar seus moradores de uma área para
criar uma enorme avenida.
E Janis Joplin o acompanhava com o violão nas costas e eles iriam em direção ao Banhado de São
José dos Campos para conferir como estas famílias moram enquanto uma mera ordem judicial pode
tirálas daquele lugar.
E assim o mero capital é mais forte que qualquer desejo de qualquer comunidade e o poder do dinheiro se faz sempre mais forte que a mais simples razão.
E uma canção uma ciranda nos une por alguns mágicos momentos Walt Whitman, Janis Joplin nos
davam as mãos numa eterna ciranda e a vida o sol, música num mágico momento enquanto as balas,
prisões e a força do estado que nasceu em nome do povo não expulsa famílias que estão lá a quase
um século.
E a vida sempre segue Pinheirinhos vão e vem. E o bardo vê diante de seus olhos mais uma
tragédia anunciada é povo contra povo na cidade criada para vender armas e que se sucumbe
ao mero desejo do capital.
E Wat Whitman escreve um poema que vira uma canção cantada por Janis Joplin.
E a vida segue enquanto a policia não sai do quartel para cumprir mais uma ordem judicial.

Joka

João Carlos Faria


https://www.youtube.com/watch?v=jmRUzoXFonM

sexta-feira, 12 de junho de 2015

Aos que ainda não encontraram o amor

Poderíamos estar fazendo uma infinidade de coisas nesta manhã
que a chuva ameaça cair.
Mas a poesia vem fluir e acender nossos olhares e lembramos
das estrelas.
Todos os dias são para os namorados ou os que buscam o amor.
Não vivemos olhando o calendário.
Que o amor entre homens e mulheres seja a porta para alcançar
as estrelas.
E a vida acontece numa manhã de reformas. Procura por trabalhos
e na busca da imperfeição do poema.
Ser perfeito deixemos para os Deuses nossa imperfeição e erros
nos ensina o segredo da vida.
Li em algum lugar que para se chegar a anjo e necessário ter sido
demônio.
Bem e Mal estão dentro e fora de nós.
E nos cabe encontrar ao outro para equilibrarmos nossas forças.
A vida leve, pesada as vezes amarga as vezes prazerosa.
O dia inicia-se e o amor é uma eterna e intensa busca.

Joka


João Carlos Faria   

quinta-feira, 11 de junho de 2015

Na escuridão do abismo

Outono,
Sol por entre nuvens.
Ruas vazias.
Sem cartões de credito
Contas a pagar.
E na nostalgia de quando
tínhamos asas.
Entre anjos e demônios
Caminho na escuridão
Trevas,
Quando se fará a luz ?

Joka


João Carlos Faria
No capitalismo todo os partidos até os que dizem defender você estão
complometidos com as leis de mercado você é mero eleitor e não ouse
tentar se organizar. Não insista tentar pensar por si mesmo.
Você será socialmente eliminado e será um párea.
  • Joka Faria
    Escreva um comentário...

Feed de Notícias

O capitalismo te adoece, te envenena e te tira a possibilidade
de sonhar com um mundo de outa forma.
Você é simplesmente consumidor, eleitor e não ouse pensar
por si mesmo.
  • Joka Faria
    Escreva um comentário...

Feed de Notícias

O sistema capitalista empurra toda a sociedade para
o consumo desenfreado e predador.
  • Joka Faria
    Escreva um comentário...

Feed de Notícias

No capitalismo os sindicatos fazem o jogo dos
empregadores.
E desaprenderam a força de cooperar e criar cooperativas
ou outras formas de geração econômica e rezam
a cartilha do sistema.
  • Joka Faria
    Escreva um comentário...

Feed de Notícias

Feed de Notícias

No capitalismo as pessoas que passam dos quarenta
anos são simplesmente descartadas.
Jogadas na lata de lixo do desemprego.
E a sociedade simplesmente não reage ?