Seguidores

sábado, 2 de maio de 2015

O que nos resta além da utopia?

Nossa Jorge Xerxes venho participando de inúmeras cenas artísticas da cidade desde os anos noventa. É parece até estranho uma ação como o Entrementes durar já todo este tempo. Nos ligados a guerrilha artística estamos acostumados a ver os projetos se esfarelarem ao chão.
Inúmeros coletivos, criação de ongues e por ai vai e ver um trabalho dedicado de Elizabeth Souza
é algo prazeroso.
Vivo repetindo em meus escritos recentes as ideias quase utópicas de montar editoras, gravadoras e produzir cinema.
Mero desabafo estamos tragados por este capitalismo que transforma a união dos próximos em mero sonhos.
Meu delírio recente e bem quixotesco foi propor em algumas mensagens no face e enviar aos nossos
queridos vereadores a ideia de recuperar o Cine Paratodos.
E você vem com esta bela junção de textos deste coletivo juntando audaciosamente por Elisabeth Souza gente que aprendo a ler e reler quase que diariamente.
Fazemos estas experiencias ao vivo e acores no jornal LITTER bancado pelo poder público na cidade e ver um site e uma revista existir de modo independente ao poder público em qualquer esfera é um sinal que devemos continuar sim.
Caminhos são muitos. A vida é breve já não temos um Edugair a transgredir e cortar o caminho
do Parque Santos Dumont.
Mas temos este portal que registra nossas idéias, amores, desejos de mudança.
Este portal nos mostra que devemos continuar a ser Quixotesco.
Ainda não cheguei a todos os textos desta segunda revista. Mas já vejo os resultados.
E ele é instigante não devemos nos deixar tragar pela vida cotidiana e comum. Ela fruto também
de nossa arte.
Devemos ir além. Não sei qual é o portal que nos faz transportar a Terra Sem Males.
Mas quem sabe um poça se situar no banhado.
Ter lido esta junção de escritos numa tarde de sábado.
Me alivia.
Vivemos em nossas guerras internas tentando transformar chumbo em ouro. Palavras , arte
é pura alquimia.
Das durezas e desafios da vida nos transformamos em escritos, concões.
E o mestre Abujanra nos dizia o que é a vida.
Espero que surjam encontros reais da junção desta gente que escreve neste portal nesta revista.
Gente espalhada pela cidade pelo Brasil e pelo mundo.
Com diversos pontos de vista que se juntam neste portal.
A vida é bela , curta . Ideias na cabeça milhares e caro Gláuber Rocha cade a câmera?
Fiquei emocionado com este escrito.


Joka


João Carlos Faria       

Nenhum comentário: