Seguidores

domingo, 31 de maio de 2015

Da eterna jornada dos cães nas terras de Cassiano Ricardo

O que seria de nós sem os cachorros ?
Ceberus a nos guiar para o inferno quando se atravessa
o lago.
Quantos soltos pelas ruas e nem sempre podemos fazer alguma coisa.
Um dia Harley Campos soltou um cachorro no palco do cine Teatro Santana.
E a loucura de Harley no palco era tanta que se precisa-se eu faria
o personagem cachorro.
E os cachorros andam soltos no parque da cidade.
E o teatro na cidade a quantas anda?
E o silencio da chamada classe artística nos dá a impressão que
tudo vai bem ?
Bem e Mal na vida politica da cidade ?
Silenciar - se diante de tudo ?
E cachorro late e as almas vagam na madrugada.
E no centro da cidade o Cine Paratodos esta lá fechado pronto
para ser alugado ?
E a cidade em eterno silencio.
E cães ladram e a caravana passa.
E ceberus nos guia na jornada ao inferno.

Joka


João Carlos Faria
Que pais é este?

Lendo duas matérias no Jornal O VALE neste domingo vemos as velhas disputas de poder
da politica continuarem do mesmo jeito em todos os níveis da politica mesmo após protesto
de 2013 a 2015 acontecendo no Brasil.
É duro enquanto cidadão ver estes jogos sórdidos sendo feitos e não ter força nenhuma para
mudar isto só nos cabe escrever.
Eu estava num dilema por estes dias escrever ou não escrever ?
Vemos durante a semana o debate da reforma politica acontecer é de fato só mudou a não manutenção da reeleição ainda não consegui entender se já é valida para a próximas eleições?
Os grandes e nefastos partidos políticos tentam criar causas de barreiras para a criação de novos partidos políticos mas ao meu ver deveria se extinguir o fundo partidário.
Partidos devem sobreviver com recursos que arrecadam de maneira própria e serem fiscalizados
pela receita federal e tribunais eleitorais.
Acredito ser uma bobagem este fora Dilma o Brasil tem outras pautas mais urgentes para se reenvidar.
Não vejo nestes protesto uma organização da sociedade civil com maturidade politica
para se chegar a avanços políticos e sociais.
Entidades como a receita federal multam cidadãos por errarem na declaração de imposto e os
obriga a acompanhar sempre o site e nunca avisam da possibilidade de se cair na malha fina
estas questões ninguém debate?
Nosso Brasil tem uma carga burocrática ou meu ver burrocratica enorme que nunca se altera.
E não se debate estas questões?
Vi no senado federal um discurso do senador Cristóvão Buarque que usa a metáfora do navio
a elite Brasileira esta dentro do navio e simplesmente jogou-se algumas boias enfim bolsa família
e outros benefícios mas não se constrói a escada no caso uma educação bem elaborada e de forma séria implantar o piso para professores esta sendo uma enorme dificuldade para prefeituras e
governos estaduais e qual a parcela e responsabilidade do governo federal na implantação do
piso salarial?
No Estado de São Paulo professores avançam na pauta e reivindicam equiparação ao salario de quem exerce função de terceiro grau no Estado.
Não é hora de se desestabilizar um governo legitimamente eleito.
E sim avançar na organização da sociedade e ter participação politica. A sociedade precisa se fazer presente na politica ir além das ruas.
Estamos construindo um Brasil novo. Dificuldades econômicas passam. E a politica é por natureza
um grande exercício de cidadania.

Joka

João Carlos Faria



sexta-feira, 29 de maio de 2015

O dançar de uma estrela

O sol por entre nuvens pensam em dançar.
Gira em torno de si mesmo.
E dança dança dança …
Enquanto isto percebemos o tom de sua luminosidade num inicio
de uma tarde de outono.
E o sol dança dança dança.

Joka


João Carlos Faria
 

quinta-feira, 28 de maio de 2015

As diversas faces do criador


Quantas mascaras estão coladas em meu rosto ?
Quantos personagens estão em cena neste exato momento?
Tantos disfarces que já nem sou o que de fato estou representando.
Mascaras mascaras em minha em sua face ?
Construções de personagens desde a infância.
Não ser se reflete em ser ?
E nas canções Sufi se canta ao amado e este amado é Deus ou qualquer
nome que possamos dar.
Qual a solução para a vida?
Que caminhos nos levamos.
Em uma palestra senti a presença do Deus no amor entre uma mulher
e um homem na idade média.
Ou o que chamam os católicos de santificados.
Ocidente e Oriente se encontram nas tradições da alquimia e do tantrismo.
Para se chegar a Deus é necessário amar.
Oriente e Ocidente se encontram na Andaluzia descrita pela primeira
vez para mim pasmem no livro O alquimista de Paulo Coelho.
Depois encontrei numa biblioteca um livro de uma tradição Inglesa que
contava a lenda que deu origem a este livro.
E assim os trilhos da vida nos levam a infinitos caminhos na estrada
da vida.
E uma palestra pode nos trazer algo novo. Ou nos fazer repensar sobre
nossa efêmera existência.

Joka

João Carlos Faria

Reflexões sobre a palestra de Juraci de Faria no ponto de
cultura Bola de Meia durante a Cirando da Poesia em
Maio de 2015


Da desconstrução de utopias
O grande dilema de alcançar a maturidade é já não acreditar em nenhuma
utopia.
E começamos a viver só para ganhar o pão que o diabo amassou.
Talvez isto seja a força para se buscar algo novo e realista.
O ser humano não deve se acomodar ao seu provável destino.
Deve lutar contra si mesmo e contra as mascaras que a sociedade tenta
fazê-lo usar.
A que se destina viver?
Se somos meros personagens de um sistema que se auto sabota?
Ousadia enquanto estivermos vivos.
Deixemos de ser sobreviventes.
Ousemos viver.
Joka
João Carlos Faria
Quando a razão da politica se desfaz e não achamos nada na filosofia
só nos resta a emoção da poesia.
Joka
As peripécias do dragão da maldade
Brasil
Os peitos nús da liberdade.
Em um sistema corrosivo, onde a justiça
de cega não tem nada.
Onde a desilusão ronda a sociedade.
E a morte se manifesta entre apunhaladas.
Tudo se faz breve.
E a ausência de garra,
fé.
E o monstro da lagoa nos devora,
E a bala de perdida nada tem. Ela
nos acha.
Mãos ao alto , pega ladrão …
Sem emprego, sem teto.
E cade o salário?
E o pão de cada dia bem amassado
pelo demônio chamado sistema.
Brasil.
E o castelo de areia se desmorona.
João Carlos Faria

terça-feira, 26 de maio de 2015

Nos reinos de Nahemah
Desnacer, na selvagem selva de seres petrificados, margens vazias.
O olho nú,
Margens.
Sertão
Minas.
Desnacer, ilusória.
Medusa, Molock, Lilith, Nahemah
Reinam na imensa ausência de consciência desta incivilizada
civilização,
descaminhos.
Desnacer, fragmentos de nossa inexistência.
Em que abismo Shophia anda ?
Joka
João Carlos Faria
Os helicópteros em voos rasantes, a nuvem rasgada como tulipas. 
Flores iceneradas com o voo repentino da libélula vermelha.
E as margens do Parayba o homem toca sua viola,
enquanto um disco voador sobrevoa o rio.
Elas adentram a trilha das cachoeiras.
Contemplam um quadro de Adão Silvério.
Cria-se historias as margens do olho esquerdo.
Gaivotas solitárias no rio de esgoto.
Margens alheias ao deserto insignificante de zumbis urbanos.
Não existe tempo nesta imensa ilusão.

segunda-feira, 25 de maio de 2015

Rabisco da nudez

Assim escreveu Edu Planchêz
esse planeta é uma pérola
pendurada no bico
do seio esquerdo dela

Inspirado no poema pérolas sobre os seios de Edu Planchez

Nas margens de Copacabana,
no além mar.
Perolas que ilustram os seios da
musa de poetas.
Em sarais vespertinos.
Seios de Deusas inefáveis,
Que nos eleva a alturas.
Onde poucos ousam chegar.
Entre a queda aos abismos e a escada
que nos leva aos céus.
Os seios, alma, corpo e coração.
Na sublime busca da imortalidade.
Entre alcançar a terra que emana leite e mel.
Ou a queda onde só a choro e ranger de dentes.
A mulher é a porta do caminho.
Na alcova se nasce demônios e anjos.



João Carlos Faria

domingo, 24 de maio de 2015

O homem que nos deu asas


Cancões em noite de estrelas sorridentes. A poesia flui em todas
as dimensões.
Poetas cantantes nas tardes de outono.
Desconectados do mundo. Entre o céu e o inferno.

 the Doors 

Se faz ouvir.

E a vida entre ocasos e nasceres …
Bailam as estrelas bailarinas.

Tarde tarde sem opções,
e a vida assim mesmo resiste ante o
tédio.
O coração bate e homens em silencio,
ganham livros e riem.
Fernando Pessoa diante de sua retinas?
E não era simplesmente Santos Dumont
e suas criações.
O homem que nos deu asas.
Nestas eras de discos voadores.
Queremos voar , quero ao menos ganhar um
livro de Fernando Pessoa.
E sua metafisica.
Ir além de Trobana nos canta Camões.
É a vida por entre frestas e festas.
Na dura batalha do dia a dia.
Quem sabe a felicidade econômica esta
em aprender a fazer massa de pastel?

Joka

João Carlos Faria



Cancões ao sábio chines

Nas trevas de um sarau no limbo poetas estão presentes
Dailor Varela recita seus poemas. José Moraes Barbosa
brada em gritos sua poesia.
Harley Campos canta canções de Rolling Stones ao lado
Edu Planchez toca harpa. E o demônio vestindo a face
de Ricardo Faria dança dança dança com seu garfo na
mão e brada morte aos poderosos e corruptos.
E no sarau mulheres cantam por toda a noite. E eu ando
meio perdido nesta noite interminável batalha entre demônios
e anjos.
E o mundo gira. Poetas gritam em ousadas canções que ninguém
nem percebe.
Todos adentram ao túnel da Igreja São Benedito que sai
no banhado.
E entram num imenso lago. Divertem-se cantam canções contra a
mentira. E todos estamos adormecidos neste jogo de cartas
marcadas.

Joka


João Carlos Faria   
Ela não ousa se jogar numa ponte para começar a voar


Identidade Camila caminha pela ruas, navega. Nunca andou de patins. Nem leu Sartre só o viu em
um documentário na TV. Camila acorda sobressaltada a noite vê vários fantasmas que lhe fazem companhia nas noites mal dormidas. Nestes dias de outono quase não sai a noite.
E a vida sempre segue e Camila vasculhas sites e mais sites e não acha nada, sua fé anda abalada
mesmo não tendo nem trinta anos acha-se velha. Quantos livros que leu e nada de desvendar
o mundo?
Começou a ouvir Creendence quer sair por ai ? Mas o que aprendeu em seus anos de faculdade é inútil. Tudo parece inútil mas não ousa se jogar numa ponte para arriscar a voar. Deixa para os pássaros. Camila após as horas sem trabalho numa escolinha. Entra em todas as igrejas assiste missa, vai a cultos. Frequenta tudo. Diverte-se ao ver as vaidades daqueles que se dizem poetas, artistas
e nada entendem sobre a vida. A vaidade lhes cega.
Camila adora entrar em lojas e comprar tudo que acha pela frente mesmo sendo tudo inutilidades. A vinte cinco de março em Sampa é seu paraíso.
lotada lhe traz prazer. Pessoas freneticamente comprando, comprando como se a vida fosse só ter.
É que ser dói. E o sol lá fora. E nas redes sociais tantos gritos em silencio. E Camila caminha, lé livros. Houve canções e todos os homens meros sapos.
Vai sobrevivendo pois viver é sempre um enorme desafio. E a ausência de humanidade lhe abre esperanças para buscar forças para saltar o abismo.

Joka

João Carlos Faria  

sexta-feira, 22 de maio de 2015

A agonia da era da informação

Porque precisamos estar tão atualizados assim?
Para que toda esta pressa de milhões de informações?
Em que realmente muda nossas vidas?
Nunca nos serve para muitas coisas. Esta era mais desinforma que
informa.
Esta era do conhecimento nos alienia e cria hábitos desnecessários
afinal sabemos como esta a lua hoje?
Olhamos os pássaros nos céus. Reparamos num sorriso de alguém?
As pessoas com os olhos no celular nem vem quem esta ao
lado delas ?
Cade o dialogo e o amor ao próximo? Numa era de competitividade,
devemos sempre estar entre os primeiros.
E acabamos no fim da fila ?
Todos são perfeitos. E não suportamos estas incertezas.
E a vida passa. O cansaço chega.
E não sabemos nunca o que é viver. Simplesmente sobrevivemos.
A vida não nos liga. E não nos conectamos aos universos metafísicos.
Dias destes que senti o sabor de um guarapá soube o que é degustar
e não ingerir.
Não somos seres viventes meros sobreviventes na agonia de não
viver.

Joka

João Carlos Faria

quarta-feira, 20 de maio de 2015



Recuperação do Cine Teatro Benedito Alves

Quero parabenizar o prefeito Carlinhos Almeida pelo projeto de revitalização do Cine Teatro Benedito Alves que estava abandonado a um bom tempo.
Cuidar da memória e criar pontos de cultura para uma cidade e ter uma outra possibilidade de Brasil.
Estes imoveis fazem parte da historia da cidade e do pais. Sei que a comunidade ainda tem enormes
desafios no centro da cidade temos ainda o Cine Paratodos sem um uso artístico no mesmo momento , que não temos o teatro municipal que se localiza no terceiro andar de um shopping?
Porque não devolver aos munícipes este espaço?
Hoje sei que a arte de uma cidade não se baseia em construções. Mas espaços assim podem ajudar
a desenvolver as artes.
A realidade da cidade hoje é de muitos teatros e uma comunidade envolvida com arte e cultura
nas várias regiões da cidade.
Já temos a conquista do Fundo Municipal de Cultura.
Mas recuperar o Cine Teatro é um grande avanço. E lanço o debate da recuperação do Cine Paratodos.
No mais vemos uma administração voltadas para os interesses de sua gente.
Parabenizo a atual diretoria da Fundação Cultural Cassiano Ricardo pela sensibilidade de trazer
de volta o Cine Teatro Benedito Alves.


João Carlos Faria   

domingo, 17 de maio de 2015

Bom domingo

Quanta farinha, rapadura é entendimento do que é a vida para
compor uma música como Accioly Neto pena que já partiu.
Mas a vida é assim descobrimos os grandes talentos de nossa
arte mais cedo ou mais tarde.
E vamos seguindo nos mercados municipais comendo pastel, tomando
guarapá.
E tentando entender o que é a vida. E Accioly Neto foi um grande
talento. E a vida segue e como o poeta nos disse coisa boa
é namorar.
Viva Accioly Neto.


https://www.youtube.com/watch?v=OCYYSqn-NMs

sábado, 16 de maio de 2015

E a morte cercada pela vida

Calar é viver.
Drones bombas explodem.
E as ruas desertas.
A cidade se estilhaça.
Viadutos ruas, zumbis da mais recente droga.
Drones bombas explodem.
E a morte cercada pela vida de todos os lados.
Silencio nas redes sociais.
Calar é viver.
Luta cibernética guerrilhas virtuais.
Desinformação.
Calar é viver.
O silencio é a ultima moda.
Descobriremos um dia que a vida
acontece fora das redes sociais.
E a politica se faz fora das redes sociais.
Calar é viver.
Drones bombas explodem.
Silenciar silenciar silenciar.
Medusa com olhos digitais nos transforma
em meros fantoches virtuais.
Calar é viver.
Drones bombas explodem.

Joka



João Carlos Faria

quinta-feira, 14 de maio de 2015

Tem gente que reclama do Face mas em dose moderada ver as opiniões
de todos é um grande prazer.
Aqui sabemos dos amigos que estão perto ou distante, familiares.
Vemos as opiniões sobre arte, politica e tudo o mais.
E enquanto isto os empregadores nos olhão. Os serviços de informação de
qualquer pais tem todas as nossas movimentações e informações.
As empresas fazem estratégias de marketing baseados nos desejos de consumo.
Os partidos políticos bolam suas estratégias e quem em sã consciência fecharia
sua conta?


Quem fizer que nos conte mas a vida acontece fora da internet.

segunda-feira, 11 de maio de 2015

Sorria ? Você foi enquadrado

Espelhos,
cacos
Espelhos,
cacos

E a noite adensa a percepção da retina.

Mergulhemos de volta ao útero.

Cães latem.

Inexistir.
Sorrir ao ser filmado.

Joka

João Carlos Faria



Da economia que se deixa levar pelo automóvel


Eu não sei nada e nada sei. O que acontece neste mundo neste exato momento. Daqui a pouco a mídia estará retratando a queda ou a subida do dollar ?
Um caso a mais de corrupção. A desrazão de governos vigentes.
E a brabeza da oposição e as defesas da situação.
E que tudo isto nos provoca ? Nos move ?
Enquanto isto quantos se calam ? Quantos se desesperam ?
E as almas que vestem estes corpos se arrasam. E muitos negam a existência de Deus. Mas negamos a existência da humanidade. Que deixamos de fazer parte.
E toda esta correria nas grandes cidades. Oito doze horas de trabalho quando se tem trabalho.
E as pessoas se deliciando nestes celulares sem se dar conta da vida ao seu redor. E do fim de um dia de outono.
Já sei que não mudaremos o mundo nem daremos um rumo nesta nave chamada vida.
Estamos ao sabor dos ventos da economia das desrazão dos empresários. Da economia que se deixa levar pelo automóvel.
Da destruição do meio ambiente. Dentro de automóveis que produzem gás carbônico e cidades sem arvores sem vida.
As pessoas fixas neste horários de pico. E a vida se esvai o tempo passa e nossa pressa nos levará a uma simples vala e voltaremos a ser pó sem memoria e sem sentimento.
E a economia estará firme e forte e as redes sociais continuarão.
Liberdade ?

Joka


João Carlos Faria      
Da estranha crueldade dos professores

Ontem assistindo a um filme Argentino no Tele Cine Cult uma garotinha de uns dez anos começou a fazer poesia. E ganhar uns prêmios.
E a professora disse que bom que faz poesia vai se acostumando a passar fome.

Joka

João Carlos Faria


sábado, 9 de maio de 2015

Ao dia das mães

O sol que ilumina nosso coração. E nos dá a força de viver.
A mãe em suas formas natureza, Deusa e simplesmente a
nossa mãe.
O que seria de todos nós sem a presença da mãe.

Joka



João Carlos Faria


Dançar dançar dançar até alcançar a estrela que existe em nosso coração


Joka   

sexta-feira, 8 de maio de 2015

João Matador de Cobras

Inspirado no curta de Sérgio Ponti

E João estava lá sentado almoçando e um menino observava.
E uma bela cobra apareceu e João a matou?
E o que foi feito daquela cobra ?
Queimada na dança do fogo. Devorada em chamas. Estraçalhada
pelo porrete de João.
Que crime ela cometeu ?
E João voltou a sua rede em sua casa os dias se passarão. E João tinha
o hábito de contar estrelas.
Naquele bairro num canto bem longe da cidade mas onde Judas não tinha
nem perdido as botas.
E João num sonho meio pesadelo sonhou com a cobra que venha lé pedir
explicação porque me mataste ?
O que fiz a você e aquelas crianças?
E João não tinha explicação. E se viu cercado de outras cobras que havia
matado pois esta era seu oficio.
Se viu transformado em cobra e também se viu como João Matando
a cobra.
E acordou e nunca mais ousou matar uma cobra.
E começou a plantar arvores.

Joka


João Carlos Faria
Desencontros

A moça caminhava por uma rua e eu outra.
Ela acabava de sair eu chegava.
E assim idas e vindas nunca nos conhecíamos.
E o tempo passou. E nos passamos.

Joka

João Carlos Faria


quinta-feira, 7 de maio de 2015

Taubaté estuda ter linha de ônibus gratuita para o centro




Lendo esta matéria de O VALE vemos que o estudo desta idéia já é um avanço. Espero que seja implantada e sirva de modelo para outras cidades do Brasil.
O transporte de pessoas por carro esta chegando no limite. Em São José dos Campos já estamos vivendo inúmeros congestionamentos. O uso de carro deve ser racionalizado e cabe ao poder público implementar outras opções.
Em São José dos Campos no governo Carlinhos Almeida esta tendo os debates. O uso de cartão eletrônico e um grande avanço hoje se tem o tempo de duas horas para se fazer a integração de ônibus já melhorou bem o cartão é um grande exemplo de politica pública.
Já fiz uma sugestão pelo 156 para se aumentar este tempo e não foi bem recebida. Cabe a todos debatermos de onde viria os recursos.
O transporte de automóvel vai se tornando um problema para as grandes cidades. Mas a economia de países tem uma forte participação da industria automobilística.
Isto é um enorme desafio que a sociedade enfrenta. Mudar os aspectos de desenvolvimento econômico e gerar emprego e qualidade de vida.
As industrias vem diminuindo o número de funcionários por causa da automação. É uma pena
que Sindicatos e Centrais Sindicais não debatem isto e não se atualizam buscando novas formas de
geração de empregos.
A palavra empreendedorismo para o sindicalista deve ser algo que ainda não faz parte de suas reflexões e lutas. E cooperativismo deve ter sido esquecida.
Neste ponto o MST se mostra bem mais avançado com inúmeras cooperativas Brasil afora.
Enfim vamos acompanhar Taubaté. E esperar que as autoridades joseenses, prefeito, vereadores
e sociedade civil estejam atentas a estes desafios do século vinte e um.
Pois a qualidade do ar na cidade não é tão boa assim. E os automóveis são a maior causa de poluição.



João Carlos Faria

quarta-feira, 6 de maio de 2015




Horário Eleitoral Facista


É um desafio assistir a um programa eleitoral na TV acabo de assistir via yotube
o do PT. Sou eleitor do partido.
Mas parece que o Brasil foi fundado pelo PT ?
Tudo de bom e ruim que acontece e aconteceu aqui no Brasil parece ter acontecido nestes
últimos doze anos. Que fascismo deste marqueteiros que criam estas peças de publicidade mal elaboradas e de uma falta de inteligencia e respeito a quem assiste. Não só estes programas
eleitorais mas como qualquer programa governamental de qualquer governo do PT ao PSDB.
Estes programas deveriam ser proibidos de vincular na TV aberta. Meus colegas de esquerda
criticam tanto as organizações Globo e na hora que vão a TV fazem pior.
Acabo de estudar para um concurso os planos econômicos que o Brasil vivenciou desde os anos
oitenta plano Funaro, Bresser, Collor e finalmente o Real. Várias tentativas de estabilização da
economia brasileira já senti como muitos de minha geração o que é uma crise econômica.
E não acho esta atual CRISE tão grave que não passa de uma continuidade da de 2008.
Mas a politica Brasileira virou uma mera torcida de futebol entre vilões e mocinhos.
E pelas noticias que se vê do congresso brasileiro continua -se as nomeações para se
conseguir votos para se votar no Congresso.
A classe politica Brasileira não esta entendo os sinais das ruas das redes sociais e nos
comentários nos sites de jornais.
Precisamos de inúmeras reformas na justiça na educação na segurança.
E elas não acontecem a pauta do Brasil não pode ser só o de ajustes econômicos.
E um partido politico sozinho não transforma a realidade de uma nação.
Por mais que Lula seja uma grande e carismática liderança ele não é o mítico
Dom Sebastião.
A vida acontece nas ruas não somos profissionais de politica mas estamos
atentos ao que acontece no Brasil.
Vivemos uma imensa crise moral. E falta caráter a classe politica Brasileira.

João Carlos Faria



https://www.youtube.com/watch?v=zytysVTYPmQ













https://www.youtube.com/watch?v=zytysVTYPmQ

terça-feira, 5 de maio de 2015



Ao desaparecer das abelhas

Não pensar , não existir é um imenso desafio.
Na sociedade fast food onde tudo é digerido sem
sentir o sabor.
As abelhas lentamente desaparecem.
E entre acertos e fracassos a vida segue.
O que comemos é artificial. O que bebemos esta
envenenado.
A arte a politica é digerida sem reflexão sem digestão.
E as abelhas desaparecem.
Que e enigma real é este?
Seremos devorados por nossa imensa ausência.
E se existisse a Deusa Abelha ? Deusa Natureza ?
E se todos nós formos parte de um imenso organismo
vivo, desaparecendo as abelhas também estaremos mortos ?

Joka


João Carlos Faria  

segunda-feira, 4 de maio de 2015

Vi novamente neste fim de semana duas matérias sobre o desaparecimento das abelhas
parece coisa de ficção ?
Mas é algo real e difícil de entender.
Uma matéria na Folha de São Paulo e outra num programa muito bom no Mais Globo Sat.
Onde um instituto desenvolve abelhas robôs. E não era um programa de ficção cientifica.
Talvez as causas sejam poluição, agra toxico e muitos outros desequilíbrios que nossa bela
sociedade de consumo vem promovendo no mundo desde o século dezoito.
E quantos outros males nossa civilização humana promove que nem chegamos a saber?
E no SESC São José vi uma exposição do mal que refrigerantes, salgados nos fazem.
E a vida sempre segue.


sábado, 2 de maio de 2015

O que nos resta além da utopia?

Nossa Jorge Xerxes venho participando de inúmeras cenas artísticas da cidade desde os anos noventa. É parece até estranho uma ação como o Entrementes durar já todo este tempo. Nos ligados a guerrilha artística estamos acostumados a ver os projetos se esfarelarem ao chão.
Inúmeros coletivos, criação de ongues e por ai vai e ver um trabalho dedicado de Elizabeth Souza
é algo prazeroso.
Vivo repetindo em meus escritos recentes as ideias quase utópicas de montar editoras, gravadoras e produzir cinema.
Mero desabafo estamos tragados por este capitalismo que transforma a união dos próximos em mero sonhos.
Meu delírio recente e bem quixotesco foi propor em algumas mensagens no face e enviar aos nossos
queridos vereadores a ideia de recuperar o Cine Paratodos.
E você vem com esta bela junção de textos deste coletivo juntando audaciosamente por Elisabeth Souza gente que aprendo a ler e reler quase que diariamente.
Fazemos estas experiencias ao vivo e acores no jornal LITTER bancado pelo poder público na cidade e ver um site e uma revista existir de modo independente ao poder público em qualquer esfera é um sinal que devemos continuar sim.
Caminhos são muitos. A vida é breve já não temos um Edugair a transgredir e cortar o caminho
do Parque Santos Dumont.
Mas temos este portal que registra nossas idéias, amores, desejos de mudança.
Este portal nos mostra que devemos continuar a ser Quixotesco.
Ainda não cheguei a todos os textos desta segunda revista. Mas já vejo os resultados.
E ele é instigante não devemos nos deixar tragar pela vida cotidiana e comum. Ela fruto também
de nossa arte.
Devemos ir além. Não sei qual é o portal que nos faz transportar a Terra Sem Males.
Mas quem sabe um poça se situar no banhado.
Ter lido esta junção de escritos numa tarde de sábado.
Me alivia.
Vivemos em nossas guerras internas tentando transformar chumbo em ouro. Palavras , arte
é pura alquimia.
Das durezas e desafios da vida nos transformamos em escritos, concões.
E o mestre Abujanra nos dizia o que é a vida.
Espero que surjam encontros reais da junção desta gente que escreve neste portal nesta revista.
Gente espalhada pela cidade pelo Brasil e pelo mundo.
Com diversos pontos de vista que se juntam neste portal.
A vida é bela , curta . Ideias na cabeça milhares e caro Gláuber Rocha cade a câmera?
Fiquei emocionado com este escrito.


Joka


João Carlos Faria       

sexta-feira, 1 de maio de 2015

Dia do trabalho o que estamos comemorando?

As barbaridades que vemos nas postagens no Facebook são um retrato de uma sociedade
extremamente conservadora e alienada que se manifesta.
Defender pena de morte não resulta em nada. Nas periferias do Brasil e do mundo as pessoas
são mortas a todo momento pelas forças do estado.
A exclusão esta presente nas periferias. A juventude tem poucas chances. No Brasil foi criado o bolsa família que tem dado chances a um enorme contingente de famílias.
Mas o partido que implementou estas mudanças hoje vem sendo alvo de denuncias constantes de
corrupção e alguns ingênuos acham que é o fim deste partido. Esquecem que este partido é fruto de
movimentos sociais fortes e organizados. Uma grande parcela da população que sabe se organizar politicamente e do outro lado vemos um partido politico que insiste em praticas liberais que ferem
sempre o direito dos trabalhadores.
Acredito que deve sim e ter correções éticas e a volta aos valores. O Brasil mergulha num conservadorismo politico.
E já estamos sentindo isto na pele o governo Dilma Rousseff vem propor via medida provisoria cortes nos direitos ao trabalhadores.
Porque não enviou um projeto de lei para se debater ou fez consulta pública?
Enfim cabe a sociedade sim aprender a se organizar politicamente mas o mecanismo usado
os partidos políticos estão em descredito. E é natural que o PT partido que esta a doze anos
no governo sofra este desgaste que vemos.
Mas dai acreditar que seja seu fim é uma grande bobagem.
Não sabemos qual os rumos do pais os debates estão ai redução da maioridade penal mas
sem um debate sobre o estatuto da criança e do adolescente?
Estamos vivendo o enigma tostines? A sociedade influencia a mídia ou a mídia influencia
a sociedade?
Não sou daqueles que acreditam na tese da impressa golpista. A imprensa tem seu lado
os do dono de jornais, revistas emissoras e de rádio e televisão.
Deve sim haver uma pluralidade de concessões para que todas as opnioes estejam representadas
na mídia das mais conservadoras as mais liberais da esquerda a direita.
Acredito que o brasileiro esteja se inteirando e aprendendo a participar da vida politica do
pais.
E hoje cade o pronunciamento de nossa presidenta Dilma Rousseff?
Amarelar não cabe a um estadista?

Joka


João Carlos Faria