Seguidores

sábado, 28 de março de 2015

Que nova sociedade esta nascendo?

A vida na cidade e o que é a CIDADE hoje?  Numa passagem pelas redes sociais vejo inúmeras atividades coletivas sendo organizadas e me sinto fora da TRIBO. Nestes dias estou dedicando –me a preparar-me para um concurso público. Enquanto isto troca de ministro no governo federal, greve de professores da rede pública um artigo meu no jornal O VALE foi respondido pela Secretaria de Educação do Estado de São Paulo ainda não li a resposta e neste momento que estudo o ECA e a Lei de Diretrizes e Bases. E a cidade e o Brasil fervilham e disputas internas pelo poder entre PT e PMDB. Não vejo mocinhos nem vilões nestas eternas disputas políticas que geralmente são de poder. E o tão chamado BEM COMUM a sociedade se reorganiza em diversas frentes nem sempre de forma institucionalizada. A educação formal está em cheque?  As artes e a cultura abrem caminhos novos? A economia criativa se fortalece. Já conheço pessoas que vivem do comercio on line. E de uma maneira independente seguem abrindo caminhos. Temos hoje várias novidades sociais sendo construídas. E como estamos no olho do furacão não percebemos tudo. Mas a festa está ai nas ruas e nas redes sociais e internet em geral. Que nova sociedade está nascendo? As vezes sou pego de surpresa e ninguém me avisa antes não temos todas as antenas. Mas a esperança se faz novamente neste ciclo parece algo como nos anos sessenta do século vinte? Esta era virtual está modificando nossa maneira de ver o mundo e de como nos inserimos nele. E tudo se transforma que imensa ciranda. Tudo rápido e devagar. As vezes devemos nos desligar. Dias destes fui numa tarde para um canto qualquer das Minas Gerais e pude ver as estrelas. E na manhã seguinte voltar a Urbanidade. Como sobreviver na Serra da Mantiqueira?  Sem sentir a ausência das grandes cidades? Não consigo imaginar como escritores saem da cidade para escrever. O ritmo da cidade está dentro de nosso jeito de viver. Como desacelerar e aprender a contar estrelas. Não mudamos nem o mundo e nem a nós mesmo mas insistir nos faz sentirmos vivos. A vida simplesmente acontece como é bão comer um pastel em Paraisópolis MG. E lembrar dos que continuaremos sempre a amar. As pessoas são eternas eles continuam a existir. Nunca passaremos eternos passarinhos. Que viva o poeta Mario Quintana.  

Joka

João Carlos Faria









Nenhum comentário: