Seguidores

quinta-feira, 6 de novembro de 2014

Ao alvorecer da bestialidade

Enquanto ouvia Ensaio Sobre a Cegueira, Detonautas, Edu Planchez.

Belzebu caminha pela cidade.
Nem se percebe.
Nem nos percebe.

A praça virtual, ideias, almas, vida.
A vida pulsa na rede.
Entre bem e mal.
Estamos longe da terra sem males.
Onde emana-se leite e mel.

A vida pulsa. O pássaro canta.
Não sabe sobre liberdade.
As vezes nos vemos pássaros em gaiolas.

Belzebu caminha pela cidade.
Nem se percebe.
Nem nos percebe.

Lagos se esvaziam, margens secas.
Almas sedentas de respostas.
A dor dilacera almas, corpos.
Numa sociedade que se decompõem.

Joka

João Carlos Faria

Nenhum comentário: