Seguidores

quinta-feira, 21 de agosto de 2014

WOODSTOCK

A noite a poesia se faz valer em nossas vidas como uma velha canção de
Peninha na voz de Caetano Veloso através dos tambores ecoam desde 1969 em
Woodstock
Nesta época estava eu para vir de novo ao mundo. Nem sei ainda onde eu tinha ido mas estava
para voltar a este plano.
E estes tambores de Woodstock ecoam em nossas almas até hoje. Aqui no Brasil mais pra frente teve o Festival das Águas Claras reflexo desta época.
Anos sessenta e setenta o mundo explodia em liberdade, experimentalismos.
Nascia na França a Revista Planeta bíblia do esoterismo publicada até hoje no Brasil agora com o enfoque ambiental aqui posteriormente teve a ANO ZERO.
Enfim a partir de 1962 o mundo se transformou e vem se transformando. Os anos 90,
foram essencialmente conservadores e já no seu fim a internet começa a ser divulgada.
Hoje vivemos as redes sociais. Site e Web Sites. Tivemos a Primavera Árabe no mundo e
tudo se transforma varias revoluções acontecem a todos os momentos tento sintonizar-me pois como diz Elizabeth Souza na revista Entrementes agora os ativistas são outros.
Mas de fato o que é revolucionar-se?
Em tempos de terrorismo de um ISIS no Iraque onde pessoas perdem a cabeça diante das câmaras?E pessoas saem da Europa para revoluções armadas por causa de religiões mundo afora.
Quantas vezes nos ativistas quase não caímos nestas ideias barbaras. De se explodir shopping ou espaços públicos revoltas sociais, psicossociais. A morte nos cerca.
Mas a arte esta ai para nos salvar ou fazermos descermos aos infernos?
Na praça Afonso Pena estava meu portal para acender a escada da perfeição ou me precipitar aos infernos?
Quanto caminhar para se entender no universo. E tudo se faz paralelo no mundo. Só o amor pode nos transformar.
A razão aumenta nossa besta. E o coração nos liberta.
Eleições, fome, guerra.
A besta esta solta. Esta em nós. Qual caminho seguir?
Tudo se faz metafisica WOODSTOCK liberdade?
Arte, ciência, metafisica.
Quantos universos.
Quem sou eu neste dilema?
Mero navegador neste imenso planeta.
Santana e seu som nos leva a um Êxtase a arte nos faz lembrar e nos mostra nossa sombra e nossa luz.
Que a luz nos traga nosso sol do interior de nossa caverna.
Será que existo. Consigo resistir aos encantos da ilusão.
Que a luz se faça dentro de mim. Existo na indelicadeza de ser. Que ainda não sou, fragmento de uma estrela distante. Quimera ilusória.

JOKA

João Carlos Faria


https://www.youtube.com/watch?v=AqZceAQSJvc

Nenhum comentário: