Seguidores

terça-feira, 1 de abril de 2014

João Carlos Faria

A poesia nos causa um Tsunami de emoções


Acabei de ler o poema O LOBO MAU de Adriane Garcia publicado pelo poeta Ruben Jardim em seu blog como a poesia em meio a Tsunamis no caso a do Chile nos contagia e ainda mais aos solitários que na noite uivam pelo amor que nunca vem.
A poesia retornou a minha vida de uma maneira calma e serena. Hoje sem querer aparecer tanto eu navego em seus mares bravios.
Sei que eu talvez até mau poeta mas ouso sim meus versos. Ler estas mulheres na noite nos importa e muito.
No silencio de Abril entrando na madrugada do dia dois. Quantos temores querem nos tirar a esperança? Mas aprendo a duras penas a ter a tranquilidade requerida na meditação. Nos que não sabemos abrir mares. E nem mudar os rumos dos ventos.
E a vida a nos levar para qualquer lugar somos náufragos como no filme Limite de Mario Peixoto?
Sempre a deriva. Leio estas divas da poesia selecionadas por Rubens Jardim e elas me inquietam.
E me causam emoções das mais variadas. E noite e minha alma se amedronta e meus anjos me inspiram em meus tortos caminhos.
Desligo o celular e apago a luz e tento aprender a joelhar para orar.
A vida sempre segue em qualquer dimensão do universo. E tantas conturbações neste mundo.
E tentamos o equilíbrio na corda bamba e a poesia nos alivia, nos faz refletir.
Quantas ideias um poema para o povo Líbio. Uma defesa da Palestina.
Um golpe a cinquenta anos atras. O anseio de um lugar ao sol e sempre sombra e medos.
Tudo mera ilusão. E tudo se faz real ao ler O LOBO MAU de Adriane Garcia.
Embora esteje adormecido vou tentar dormir. Boa noite.

Joka




Nenhum comentário: