Seguidores

terça-feira, 18 de março de 2014

João Carlos Faria

Mas pode haver algo novo no céu. Além de um avião desaparecido?

Nunca escrevi novelas sempre as assisti. Parei um tempo e me vejo novamente
assistindo a novelas.
Na verdade uma só. Sempre as quis escrever mas só sei escrever algo real nunca chego
ao reino da fantasia.
Escrever poemas para mim ficou raro. E adentrei a cronica ao ensaio e ao artigo.
Mas que coisa fiz tantas misturas que me perdi. Preciso achar a saída do labirinto.
Me alternar entre os gêneros. Mas o desejo da escrita sempre esta vivo não me importa
o gênero.
Mas como se escreve novelas? Para não ser feita?
Escrever sempre. Eu que não acredito em gêneros. Não sou mais afoito a movimentos.
Já bebi de vários. E não adentro a mais nenhum. Escrever novelas deve ser divertido.
Exercer a escrita de forma profissional parece-me algo distante?
Ma a muito para crescer. Ser reflexo não é ser espelho.
Devemos nos contentar com que o mundo nos oferece?
Sempre ousei e quebro a cara. Fracassar parece divertido e não é. Temos muito por realizar
e nos prendemos no centro deste labirinto.
Quantos espelhos? Quando arriscarei na ficção? Hoje assisti a um documentário sobre os grandes filmes Americanos.
E nunca escrevi um roteiro se quer. Nunca escrevi novelas.
Mas sempre ou quase nunca as assisto. E perder tempo. E o que é o tempo?
Quando não o temos?
Tentam sufocar o artista no cinema transformando em industria em maquina de propaganda
das mais variadas ideologias.
Seja elas a do mercado, capital ou de que chamamos de esquerda.
Nunca vejo um pensador que ousa realmente pensar. E nos fazer chegar a algo novo para
esta humanidade.
E nos prendemos em nosso egoismo. Sem ousarmos.
Mas pode haver algo novo no céu? Além de um avião desaparecido?
Alguém me falou que o espaço anda cheio de naves espaciais. E fingimos não ver?
Para que mesmo escrever novelas?
Não sei deve ser divertido.


Joka   

Nenhum comentário: