Seguidores

sexta-feira, 7 de março de 2014

João Carlos Faria

Eu só quero amar enquanto ouço Tulipa Ruiz
Se ela efêmera eu abstrato ...


Nada se faz mais importante que ler pessoas.
Degustar pessoas.
Se os assuntos são politica.
Vida domestica.
Nada demais.
Poesia, arte.
Quanto tempo nos resta?
E veio me a mente um velho poema

Via láctea caminho de leite derramando estrelas

Cometi o delito em bonete Ilha Bela
Já faz um tempo virou até canção que nunca
será tocada … cantada …

Deixemos o tempo passar. Um dia seremos
lembranças.
Enquanto vamos a um parque de diversão.
Ouço Tulipa Ruiz.
Sem aquele velho discurso fora de uso que
a música acabou em 1990.
E olha que a muito além.
Deixemos o novo chegar aos nossos ouvidos.
Seja qual estilo for.
Desculpe não fui a Crimeia nem a Rússia.
Quero ir a Amazônia.
Não sei quando?

Hoje não faço questão de ser pop.
Nem de ser nada.
Quero a liberdade e o sono na madrugada.
Nada de contar estrelas.
Barzinho s na noite a sentir tantas mentiras
mal contadas.

Não sou objeto da bolsa de valores.
Ninguém compraria livros meus.
Então para que ser popular?
Não preciso de tantos amigos.
Nem muita grana.

Só uma casinha na Mantiqueira.
Alguns livros para ler.
E se pedir ao UNIVERSO não for proibido.
Um grande amor verdadeiro.
Para amar a noite toda.

Joka



http://www.youtube.com/watch?v=FHpp2S1D_Do

Nenhum comentário: