Seguidores

sábado, 7 de setembro de 2013

JOKA

Sete de Setembro


Não acho anormal os protestos terem este tamanho o que intriga a sociedade é como milhares de pessoas foram as ruas em Junho?
Até agora não vi nenhuma opinião que nos desvende este fenômeno?
Mas a pergunta é como mobilizar o cidadão comum a questionar governos?
E a maneira como é a nossa democracia ? E ai teremos realmente mudanças neste pais?
Veremos como o cidadão vai se comportar nas próximas eleições.
A presidente Dilma Rousseff em discurso falou da precariedade do atendimento público no Brasil.
Mas nada muda se não houver uma reforma politica e pelo jeito não tem pressão social suficiente para isto.
Os protestos na rua tem um leque amplo que tudo acaba vá lido. Não acho que hoje a sociedade brasileira esta nem próxima de uma radicalização a esquerda muito menos a direita.
O cidadão comum brasileiro se mostra distante de partidos políticos e sindicatos.
E estes estão cada vez mais distante dos anseios do povo.
E afinal quem realmente nos representa? As vozes radicais ou moderadas?
Os sindicatos se perdem num discurso teórico de esquerdas e pautas infundadas e na prática se acomodam nas benesses de uma elite operária.
Que não se esforça para entender a importância do empreendedorismo da forças da cooperativa enfim sindicatos que na pratica aderem ao Capitalismo mesmo empunhando bandeiras e um discurso de esquerda.
Precisamos nos repensar enquanto sociedade. Entender a diversidade da politica no século vinte e um. Quem diria que um dia viríamos o PT com medo das ruas?
A rua não deve ser temida por quem almeja mudanças.
Enfim no ano que vem teremos eleições mornas com candidatos a Presidência que nada acrescentam ao ideal e o anseio de mudanças que a sociedade Brasileira almeja a partir de junho.
Vai levar anos para que esta juventudes e os indi guinados aprendam realmente a se organizar e ter um trabalho de base na sociedade.
Enfim ainda somos uma sociedade morna e seremos vomitados.
O mal estar de hoje é necessário. O esvaziamento das ruas neste sete de setembro ainda vai ajudar a construir um movimento forte e audacioso.
Destruir símbolos do capitalismo não resolve de nada. Só faz muitos desistirem de ir a rua.
Cabe um debate mais profundo. E uma atuação de construção de uma democracia participativa em
nosso dia a dia.
Não devemos temer a rua. Devemos entenderá e estar nas ruas.



João Carlos Faria

Nenhum comentário: