Seguidores

domingo, 29 de setembro de 2013

João Carlos Faria

Medo

A esfinge nos devora … Os espelhos nos retratam …
E a alma se defaz em cacos …
Espalhados como cinza no deserto urbano …
Tantos automóveis …
Cercados em condomínios ….
Fachada de nossa autentica solidão …


JOKA   
João Carlos Faria

? …? ..?

Quando é o que é quando …?
Na noite de cançasso …
Depara-me com a TV …
Num quarto e a vida refletida em espelhos ..
Vinte trinta anos num tempo inexistente …
As vezes sonho estar atuando em novelas …
Nunca pisei numa TV ….
Em teatros sim …
Mas em TV nunca …
E é tão familiar …
As historias da emissora do Plim Plim …
Faz parte afetiva de nossas vidas …
Rede Globo massificação do pensamento nacional …
E transmissora também de bons conteúdos ..
Bem e Mal a nossa frente …
E o que refletir diante deste espelho?
Vida as avessas, turbinamos nossa ausência de reflexão ..
Nossa completa alienação …
E somos produtos de consumo …
Insumo e consumidores de nossas fraquezas …
QUANDO É O QUE É QUANDO ???
A língua se mistura na linguagem …
E deixa nossa falta de imaginação …
Falta nos sustância … falta substancia …
Neste velho imperialismo ..
Mantido com nosso ingenuo consentimento …
Não somos gente nos transformamos em consumidores …
Não somos cidadãos e sim consumidores ..
É hora de nossa cidadania se fazer presente além do voto na urna …
Além de mero consumidores … Estes produtos eletrônicos não passam
das velhas bugigangas oferecidos aos índios em troca de riquezas …
Damos nosso coração para ter … E matamos nossa vontade de ser …
A televisão, a tecnologia nos engana …
E nos achamos civilizados?
Quando é que é quando …?


JOKA     

sábado, 28 de setembro de 2013

João Carlos Faria

Viver

A vida num dia vivida longe dos livros …
Longe dos sites de relacionamento ..
A vida vivida hoje entre caminhos … Sono na tarde …
E bate papo com um  uns amigos no olho a olho …
Viver é um grande prazer …
Mas escrever em folhas em branco também torna-se igual …
Compartilhar nossas impressões sobre a vida …
Sobre os desafios, fracassos, vitorias ..
Sentir a cidade em suas diversas maneiras …
Hoje podemos compartilhar …
Deixai as publicações em livro para o momento que seja certo …
Mas há momentos certos?
Escrever é se fazer presente na vida …
Deixar uma garrafa no universo digital ..
A vida se faz presente hoje e nada há além de hoje …
Não somos o amanhã o tempo é uma mera ilusão …
A vida é real ...


JOKA    

quarta-feira, 25 de setembro de 2013

João Carlos Faria

Tiremos as mascaras dos corruptores

Batman preso?
E cade seu belo cinto de m utilidades …
Aquela fantasia que quando crianças usávamos …
Batman preso?
E cade a liga da justiça …
E o Brasil silencia …
Batman preso?
Como ficará a infância de tantas crianças ?
Tirem a mascara queremos conhecer a cara de Batman ?
E a identidade dos corruptores …
Se a corrompidos então a corruptores ?
E nos silenciamos diante da degradação das cidades …
Das leis de zoneamento que nada entendemos …
Batman preso?
E cade a nação adormecida brasileira …
Pois é importamos nossos heróis …
Cade nossa identidade?


JOKA
   

João Carlos Faria



De volta a Minas


Minas tão longe e tão perto …
Dentro de nossos corações …
Dentro de nosso jeito de ser …
E somos náufragos … E como seria o mundo sem
as Montanhas de Minas ?
Nem ouso imaginar?
E o gigante adormecido lenda contada por meu avo.
Numa viagem de volta a Minas …
Nestes dias comprei um café com a marca forte
do Sul de Minas …
Em qualquer lugar que estejamos Minas esta em nosso coração ..
Dentro de nossa alma …
Sempre a um tirinho de espingarda ...
Para o Mineiro tudo é sempre perto …
E não há correria que seja cessada para um dedinho de prosa ...



JOKA

terça-feira, 24 de setembro de 2013

PSDB vai ao Estado debater municipalização em São José


Acredito que tanto o PT como o PSDB não tem que interferir na lei e politizar de modo tão prejudicial a educação na cidade e no estado.
Já é lei a bastante tempo que a respondibilidade do estado na educação é o ensino médio.
Pelo que acompanho tanto a atual gestão do estado vem se esforçando para melhorar a educação no Estado quanto a antiga gestão do PSDB que trabalhei enquanto estagiário na rede municipal de educação e vi ali um trabalho sério e competente nos últimos dezesseis anos.
Mas a um esforço do secretário Célio Chaves para emprementar medidas de avanço da educação.
Pelo que acompanhei durante o debate eleitoral o PT propõem por as leis de diretrizes e bases na prática.
Falta uma maior sensibilidade de Carlinhos Almeida e Geraldo Alckmin para resolver este pequeno problemas para que não vire uma bola de neve que comprometa a educação na cidade e no estado.
Pela minha pouca experiencia no banco da faculdade e enquanto estagiário acho que o desafio maior hoje no pais é o ensino médio.
Em nossa rede municipal e estadual os profissionais estudam e se esforçam para dar o melhor de si para educação.
E o profissional de educação tem que ganhar o suficiente para dar aula só numa carga horaria de cinco aulas para que seu trabalho tenha qualidade.
Para que ele continue a estudar e pesquisar.
Enfim a educação é um desafio neste pais. E ainda com o desafio de empreementar tecnologia na educação.
Não podemos manter este modelo de salas de aula que vem desde o século dezenove ou mesmo antes. Enfim estamos no século vinte e um e precisamos de uma educação que responda aos desafios de agora.
Que nossos governantes tenham bom senso e responsabilidade social.

João Carlos Faria


segunda-feira, 23 de setembro de 2013

João Carlos Faria

Nada

São dourados os raios de sol …
Como negro os cabelos da mulher …
E a festa a dança …
E o amor …
Nada nos resta além do amor ..
Nada somos sem o amor …

Passamos eternidades inteiras ..
A descobrir a essência do amor …


JOKA
João Carlos Faria

Cinza rique em ...

JOKA na maturidade descobriu que não conseguia viver sem amigos ..
Sem família …
Sem arte, sem Deus … Sem politica …
Trabalho só para bancar suas prioridades …
JOKA descobriu que a vida é importante …
Que o amor é fundamental ..
Que a natureza é tudo …
O que somos sem alma … sem dor sem experiencias …
JOKA superou os 12, 17, 27 …
Passou dos 40 …
É chamado de senhor mas guarda sua infância em si …
Sua juventude dentro de si mesmo …
JOKA foi não será lembrado …
Mas divertiu-se por passar um intervalo do infinito …
Sendo João Carlos Faria …
O que somos sem corpo e não somos alma sem corpo …
A eternidade nos aguarda vivemos num intervalo …
Entre o nascer e morrer …
O que chamamos de vida ..
JOKA simplesmente João Carlos Faria …
Que suas cinzas … Se espalhem pela Mantiqueira ...


JOKA
João Carlos Faria

Ouvir canto de pássaros

Caracá que falta do que fazer numa segunda pela manhã ler poesia … Ouvir música e curtir um site de relacionamento …
A vida as vezes é não fazer nada … Temos que ser práticos … o tempo todo?
A vida é muitas vezes leve … Ouvir canto de pássaros …
Jogar conversa fora …
Enquanto não saímos para resolver nossos supostos problemas …
Enquanto não nos silenciamos para uma boa meditação …
A vida segue ...estamos nas manhãs de setembro ..
Ai que sono …


JOKA

domingo, 22 de setembro de 2013

João Carlos Faria

Manhãs de Setembro ...

Acho que com certo atraso estou chegando a MPB do século vinte e um ...
Época de marketing … Das mudanças da industria cultural … De lançamento de CD e livros na internet …
Mudança na arte na era pós panque onde todos fazemos nossa arte … Onde temos trinta segundos de fama …
São as revoluções por segundo … Mídias tradicionais e novas mídias …
E o fanzine ressurge … O livro impresso esta à tona junto com livros para tablete .. Lemos jornais na internet e em papel nada se anula … tudo soma ...
Época de face boo k … Sites … Tudo ao mesmo tempo agora …
Faculdades a distancia e eu cada vez mais distante nas manhas nos parques …
E nas noites de insonia …
É a vida e não sobrevivemos sem viver …
Época de rumores de guerra e as vezes vidas sem amores …
Estou numa manhã de setembro … Um dia componho um poema e faço uma música
que vale a pena tanto quanto a de Vanusa e Beto Guedes …
E estamos comemorando cem anos de Vinícius de Moraes …
Descobrindo Clarice Falcão que me encanta num comercial … Pasmem num comercial ..
E você vai me dizer que nunca se encantou com um comercial … Eu não minto …
Ultimamente nem conta as mentiras inofensivas ... Nome de banda do poeta Oswaldo Jr.
É a vida sendo vivida … Com dificuldades e pequenas grandes vitorias …
Enfim estamos ai hoje domingo caminhei no Parque as seis da manhã ..
E agora sendo domingo vou a uma palestra descobrir a metafisica da vida ..
Quer mais metafisica que a natureza em seu divino esplendor …
E a beleza sutil de Clarice Falcão num propaganda de supermercado …
Enfim a vida é uma grande festa … E quero dançar e cantar antes do apagar das
luzes …


JOKA    


 Clarice Falcão confiram o cd ...

quinta-feira, 19 de setembro de 2013

João Carlos Faria

Universo

Tanteando no sombrio labirinto da literatura de Carlos Drummond de Andrade a torre de Jorge Luiz Borges e o que é a infinita literatura?
Onde se escreve os saberes da humanidade e os sabores do pão da vida … Eu que tateio reles homem comum … Por entre livros e vida … As vezes numa madrugada onde as pálpebras pesam de sono … Preso a mediocridade dos problemas humanos do dia a dia …
Um simples programa de TV nos leva a sensibilidade de Borges … Onde não há um teclado sinto muito desaprendi a escrever em cadernos … Mas retenho a emoção em minha memória contrariando alguns escritores do cotidiano.
A emoção fica cravada em nossa memória .. Que universo é este que um Drummond um Borges pode nos levar e eles foram humanos tanto quanto eu.
Não invocarão nenhuma divindade nem um Deus para nos descrever a vida …
Mas que vida é esta? Que nos vai passando. Não somos imortais …
Quem sou para entende los estes mestres de oficio que é escrever …
E hoje uma garota se assustou numa padaria a ouvir a palavra pastel de belém …
Que saboreei na tarde após uma fila repleta de gente o que é mais importante que gente? Animais e o céu … E o labirinto que Borges nos leva … Ou o cotidiano de Drummond …
Literatura é vida seja qual for o estilo eu simplesmente não consigo classificar obras em estilo, poesia, conto, romance, cronica, música para mim é arte …
Como um quadro, um filme e uma dança ..
A arte nos eleva, nos choca … Vamos com ela para céus e abismos …
Ela é inútil … Não é técnica as vezes panfletária …
Mas ler Borges … Drummond nos seduz e nos faz ter um encanto pela vida …
Que seria de mim mortal sem a literatura …
Sem os livros sagrados … Sem as religiões sem a ciência...
Para mim tudo é algo só mal e bem …
Deus e Diabo …
Enfim em nós a mal e bem …
Estou aqui … E não estou …
Tanteando no sombrio labirinto da literatura …
Sou arte sou parte sou todo … Tudo e nada …
Deus e Diabo … Que estrago nos faz a ausência de Solfidone ...
E tudo nasceu com a palavra e o universo se fez ao som e na dança de Gaia …
Sou outro depois de beber de Borges, Drummont …
E me faço o mesmo …
A vida segue e as palavras estão registradas no universo …
Contrariando João Guimarães Rosa … Viver é muito gostoso … E não perigoso …
Mas perigo nos faz viver … Dancemos com GAIA a ciranda da criação do universo ...


JOKA
        



João Carlos Faria

Caracá já não entendo mais nada

Olha a Rede Globo como sempre manipulando seu elenco ... Olha o poder econômico e mídia com suas manipulações ... O supremo só cumpriu a lei. Vai ter um novo julgamento.
É preciso estar atento e forte ...Viva os mutantes …
E sempre somos tentados a ser massa de manobra por mais que tentamos entender este cruel jogo de poder.
Por mais que leiamos, conversamos, refletimos, escrevemos …
Que nação é esta ?
E o que se pode fazer bater palmas neste circo armado se fingir de morto ?
Cuidar de nossas vidinhas pessoais e nos fingirmos de felizes?
Votar nulo resolve? Não votar resolve? Fazer politica resolve?
Se correr o bicho pega se ficar come?
Caraca já não entendo mais nada … Vamos as ruas?
E agora as viúvas do Supremo repetem o jogo sórdido de marketing o mesmo feito com Regina Duarte na eleição de 1989 de Collor e Lula.
Grandes atrizes se prestarem a este desserviço … A algo podre nesta nação vamos dar brioche ao polvo …
Cortem as cabeças … Ai cade minha cabeça ...


JOKA





http://br.omg.yahoo.com/blogs/notas-omg/atrizes-amor-%C3%A0-vida-est%C3%A3o-luto-pelo-brasil-
194411319.html

terça-feira, 17 de setembro de 2013

João Carlos Faria

A caiu um Drummond em meu caminho …


Neste ano do nosso senho de 2013 da era Cristã para nos ocidentais …
Numa banca de revista ganhei um livro bem velho de conto de Carlos Drummond de Andrade …
Não dei tanta atenção assim. E ontem coloquei o livro para levar ao trabalho em que conto estrelas e nas horas que chove confiro quantas gotas de água caíram no jardim onde ninfas encantam-se com os cantos do sabiá Laranjeira …
E entre uma apostila de Pedagogia. Dei de começar os contos de Drummond que encanto amor a primeira vista.
De um grande humor .. poesia e inteligencia deste brasileiro mineiro sim já li Drummond mas agora foi amor e paixão e encantamento com este mestre do humor no conto.
Sensibilidade por favor não deixem de ler.
Era um velho livro dado por um amigo …
Nas bancas da cidade onde as pessoas se olham nos olhos e falam da vida …

JOKA

Livro …

Carlos Drummond de Andrade

Histórias para o Rei

Conto



Editora Record …

segunda-feira, 16 de setembro de 2013

Boa tarde saindo de fininha a uma madrugada a olhar estrelas ... E ver a banda passar ... As vezes vejo uma banda de espíritos tocando em frente a um prédio ... Enquanto a cidade esta dormindo ...
Um dia estaremos nesta banda ... Tocando coisas de amor ...


JOKA

domingo, 15 de setembro de 2013


João Carlos Faria

Brincante

Cronicas de uma manhã acinzentada … Vem a noite... E manhãs delirantes vendo o nascer do Sol.
A primavera … E a festa … Cade as manhas de setembro roubadas pelo cansaço da madrugada …
Pássaros gorjeiam a qualquer hora …
E as luzes se apagam a noite invade nossos corações …
Arranha-céus nos cercam …
Vidros … brincamos em jardins imaginários …
Vemos as palavras de Arrabal …
Em cena …
Ilha … Mova-se a chuva grita o ator …
Abra-se os mares …
Ciência e Fé …
Devora-se Deus em nome da santa ciência ..
Religião de muitos ,,,
Ciência e fé … Em eterno combate …
Razão e poesia …
Cronicas de uma manhã acinzentada …
Disfarço-me de homem …
Sou anti matéria …
Corpo e Alma não estão separados …
Religião e ciência não se separa …
Cronicas de uma manhã acinzentada …
Atores nos fazem refletir …
Cade Eduardo e Monica …
Que gente esquisita …
Abra-se os mares …
Sem fé nada criamos …
Sem ciência não vivemos …
O que é o nada?

JOKA




ARRABAL
   
João Carlos Faria

Ausência

E o ator sumiu do palco ?.. cade o palco cade o ator ?.. E a cena e o público ...
Que gato que comeu a palavra ... ?
O teatro uma arte visceral …
Fim de cena … Fim de festival …
As luzes se apagam … As luzes estranhas …
Luis Melo
Cade o ator?
Abismo .. peso …
Estomago …
E o ator sumiu do palco?


JOKA

sábado, 14 de setembro de 2013







João Carlos Faria

Infinita Highway


Hoje desci de um ônibus no centro da cidade e um bar tocava esta música com era dia de folga parei e houvi ... Que senhor poema.
Nossa música é GRANDIOSA tantos talentos ...
Ainda componho algo que vale a pena ...
A cidade o sol e a vida nos encanta nos fortalece ... tropeçar e levantar a vida flui …
Encontrar tanta gente boa num sábado no centro de São José dos Campos São Paulo Brasil …
Nossa cidade … nossa comunidade nosso pais …
Brasil … Engenheiros do Hawaii - Infinita Highway - 1987 (Clássico!!!)



JOKA



https://www.youtube.com/watch?v=AMVRonKi2-E

quinta-feira, 12 de setembro de 2013


JOKA

Os imperialistas estão chegando ...

A América latina precisa se livrar das garras dos imperialistas norte americanos ... Ele se acham os donos do mundo ...
Não passam de uma matilha de cães selvagens ... Criando seus golpes ...
Suas farsas ... E uma classe média tosca se envolve neste sórdido discurso .. Esta manipulação de comportamento ..
Eles tentam ou nos doutrinam ...Imperialistas fascista ....
Não o povo Americano mas seus lideres ...O povo é sempre massacrado ...
Iludido ..E vira suco ?
Viva Aliende ...

João Calos Faria   


quarta-feira, 11 de setembro de 2013

JOKA


Estrela cadente

Deslizo pela noite infinita entre a angustias e solidão …
Entre prazeres e dissabores …
Cade o sol?
Para que o sol se há infinitas estrelas …
A vida é um cometa a cair do céu …
Tudo passa … Estamos brincando de viver …
Quantos papeis estamos a encenar …?
Atores … mascaras … papeis … sociais …
Deslizo pela noite infinita entre angustias e solidão …
Entre prazeres e dissabores …

João Carlos Faria


É madrugada e fantasmas dançam a nossa volta .. Entre o mal e o bem .. Entre a selva e a cidade . ...


JOKA  




JOKA

Segundo sol ...

Madrugada … O sol atravessa a minha cabeça enquanto ouço um grande encontro na infinita busca da inspiração perdida em qualquer esquina da vida … Em pesamentos estranhos enquanto cúpidos atiram flechas que não nos atravessa o coração …
É madrugada e todas as angustias se fazem presentes .. E a sede de viver se torna mais saborosa … É madrugada estamos sós. Enquanto nada nos é revelado … Enquanto o sol esta adormecido … Será que tenho algo a dizer … ? ? ?
Meu pais se amordaça … Minha cidade se faz pedra … O asfalto e sufoca o nascimento das flores e nosso coração é pedra … Enquanto não ha vistamos o segundo sol …
Temer já não dá tempo … Estamos no palco da vida .. Em suas várias dimensões …
Nossa cidade se consome em dor … Em corrupção em desunião …
Madrugada … O sol atravessa minha cabeça …
Hoje calo-me. Silencio-me …
Já não há fé …Só solidão ...


João Carlos Faria



Grande encontro ..
https://www.youtube.com/watch?v=CDy59V1tGOw

domingo, 8 de setembro de 2013

JOKA

Ao eterno ator Harley Campos ...

Viver é tão curto .. tão rápido ..
Temos tantas indecisões …
Temos os vários medos …
Saltemos os abismos …
Soltemos as algemas …
Em busca da felicidade …
Da liberdade …
Dancemos com Gaia na criações de universos …
Criemos versos …
Que os poetas sobrevivam ao nascer e morrer …
Que o eterno palhaço Harley Campos …
Encontre novas cenas …
E como diria Solfidone estamos sempre nos reencontrando no futuro qualquer …
Valeu sua presença entre nós …
Fiel escudeiro do LITTER …
Vá nos veremos em muitos palcos pela eternidade …


João Carlos Faria

sábado, 7 de setembro de 2013

JOKA

Sete de Setembro


Não acho anormal os protestos terem este tamanho o que intriga a sociedade é como milhares de pessoas foram as ruas em Junho?
Até agora não vi nenhuma opinião que nos desvende este fenômeno?
Mas a pergunta é como mobilizar o cidadão comum a questionar governos?
E a maneira como é a nossa democracia ? E ai teremos realmente mudanças neste pais?
Veremos como o cidadão vai se comportar nas próximas eleições.
A presidente Dilma Rousseff em discurso falou da precariedade do atendimento público no Brasil.
Mas nada muda se não houver uma reforma politica e pelo jeito não tem pressão social suficiente para isto.
Os protestos na rua tem um leque amplo que tudo acaba vá lido. Não acho que hoje a sociedade brasileira esta nem próxima de uma radicalização a esquerda muito menos a direita.
O cidadão comum brasileiro se mostra distante de partidos políticos e sindicatos.
E estes estão cada vez mais distante dos anseios do povo.
E afinal quem realmente nos representa? As vozes radicais ou moderadas?
Os sindicatos se perdem num discurso teórico de esquerdas e pautas infundadas e na prática se acomodam nas benesses de uma elite operária.
Que não se esforça para entender a importância do empreendedorismo da forças da cooperativa enfim sindicatos que na pratica aderem ao Capitalismo mesmo empunhando bandeiras e um discurso de esquerda.
Precisamos nos repensar enquanto sociedade. Entender a diversidade da politica no século vinte e um. Quem diria que um dia viríamos o PT com medo das ruas?
A rua não deve ser temida por quem almeja mudanças.
Enfim no ano que vem teremos eleições mornas com candidatos a Presidência que nada acrescentam ao ideal e o anseio de mudanças que a sociedade Brasileira almeja a partir de junho.
Vai levar anos para que esta juventudes e os indi guinados aprendam realmente a se organizar e ter um trabalho de base na sociedade.
Enfim ainda somos uma sociedade morna e seremos vomitados.
O mal estar de hoje é necessário. O esvaziamento das ruas neste sete de setembro ainda vai ajudar a construir um movimento forte e audacioso.
Destruir símbolos do capitalismo não resolve de nada. Só faz muitos desistirem de ir a rua.
Cabe um debate mais profundo. E uma atuação de construção de uma democracia participativa em
nosso dia a dia.
Não devemos temer a rua. Devemos entenderá e estar nas ruas.



João Carlos Faria

quinta-feira, 5 de setembro de 2013

JOKA

Festivale ...

O que é ser artista é ser alguém inquieto e tentar fazer mesmo que não tenha um domínio técnico por completo? É imaginar e criar. É saborear um bom espetáculo. E refletir o mundo.
Nem sei se sou tão artista assim .Não tenho tantos domínios técnicos. Mas a arte me contagia … Ler um bom poema … Ver uma peça … Assistir a um filme e imaginar de que maneira você faria tudo aquilo … Dentro de minha cabeça construo tanto e de tanto em tanto não realizo …
Hoje vi um cortejo com o olhar de fora … Como seu eu não tivesse nada haver com tudo aquilo que acontecia … Tanta gente feliz da vida ... E senti-me também feliz … Segui a vida fui fazer uma prova de faculdade ..
Depois voltei e o teatro estava fechado todos já haviam entrado .. Sem medo abri as portas e adentrei aquele velho teatro que conheço com as palmas da mão …
As mesmas pessoas do século passado e o palco iluminado … E um grande artista no palco a nos ensinar muitas lições como sempre ..
A muito tempo uma garota ali naquele teatro perguntou a Paulo Autran o que era ser atriz … E nos com nossa insensibilidade nem demos atenção …
A mais de vinte anos levei uns poemas que fazia a um diretor que encenará Drummond eu na minha pretensão achava que seria encenado …
Aquele palco que já limpei e nunca pisei para nada além de interferências politicas em defesa da cultura … Mas aqui não faço um cronica de politica … Nós políticos sempre passamos .. E nós artistas sempre sonhando ..
Enfim é Festivale é festa … É teatro … Em vários palcos da cidade …
Grandes nomes já vi ali Lorca … Grandes pintores e compositores .. E ainda nenhuma música minha nem peça … Nem filme ..
Só a utopia e o prazer de ser gente … Que ama a arte … Que não se importa e aprecia a obra e o talento do próximo …
Nunca desistir mesmo com os caminhos adversos da vida o palco é luz …
E nosso teatro num terceiro andar de um shopping … E numa peça que Edugair encenava na técnica jogávamos palhas quase viramos churrasco …
É Festivale e novas gerações apreciam a arte … E o teatro … Jovens sonham seguir carreira … E nos seguimos nossa jornada …
E a noite e o dia passam … Tem amigos já com cabelos embranquecidos e estão lá firmes e forte
e outros em hospitais eternos palhaços, atores … Poetas ..
Cineastas sem filme … Atores sem peça ...Poetas sem livros …
Sucesso e fracasso é sempre relativo …
Só não é relativa a relação de calor humano que ali acontece …
Que incendeia nossa alma e o prazer da velha utopia …
Somos a tribo invisível poema de Carlos Aguapé numa edição do maldito e esquecido LIITER …
Enfim cortejos … Arte … É vida …
O rio já não corre as mesmas águas …
Enfim Festa … Festivale …
Estamos todos em cena … O palco é nosso … Qual é a festa hoje?
Sempre fazia esta pergunta depois de uma peça terminada …
Qual é a festa hoje?


João Carlos Faria

quarta-feira, 4 de setembro de 2013

Absoluto …

Sei que esta frio mas o coração esta quente .. A alma ferve de esperança .. E almeja ser ... Não ter .. A alma almeja alcançar a liberdade descobrir o amor ... E chegar a Deus … Mesmo com o tropeçar e o cair ela a alma almeja a Deus alcançar o absoluto ...


JOKA

Vanusa canta Manhã de Setembro ...

JOKA

Quintal

Leopardos caminham pelo meu quintal .. É frio ..
E a noite demorou a passar …
É que  estava dando voltas nos círculos dos infernos ..
Atravessando lagos de lama e sangue …
Quantas noites no inferno …
E ao longe vislumbro os céus …
É a solidão que nos castiga …
E a pressa de dias que nunca terminam …
Leopardos caminham pelo meu quintal … É frio …


João Carlos Faria
  


JOKA

Em dias de frio ...

Mulheres bonitas vão as compras …
Mulheres bonitas nos seduzem ..
É tarde a vida segue …
Lemos noticias frias no jornal …
Em dias frios … Nada parece querer acontecer …
Devemos aquecer nossos corações …
Mulheres bonitas vão as compras …
Mulheres bonitas nos seduzem …


João Carlos Faria
A vida é breve façamos leve.

JOKA

segunda-feira, 2 de setembro de 2013

MINHA MOEDA É O SOL ( edu planchêz )

( à Julinho Pereira e Marcelo Ferraz)

Em minhas veias corre sangue, não dinheiro,
morava em uma vala, mas nunca me faltou o sonho,
a beleza de correr vistas, mãos e pés...
pelas joias da lama,
pelos corredores dourados da fértil lama,
da fértil claridade do que sempre vem
para os que mergulham mais que os caranguejos,
que correm mais que os ratos,
mais que as barbatanas do peixe-trovão

Agora sou a noiva, o buquê e o véu,
a fatia do bolo
e as uvas que nos cobrem os cabelos

Do mundo real, trago o fubá,
do irreal, as retinas da alma
de minha irmã Ana Lúcia

E eu que estive no colo do charco,
continuo no colo do charco,
nas pestanas do larva-mãe,
nas camadas sub cultâneas
do imaginário

Eles, os meus amigos,
continuam acariciando cédulas
e moedas, as contas para pagar...
e eu, continuo com a certeza
que a minha moeda é o sol

( edu planchêz )



Não dá para ficar indiferente a poesia de Edu Planchêz ... Ele meu caro Diego El Khouri se faz sobrevivente nesta selva de pedras ... Seus valores só são seu. Não adianta julgarmos ou darmos palpites diante da poesia que ele faz só nos resta editá-las ..
Como não temos moedas de ouro. E não nos fazemos judas por 3 moedas de ouro.
Que este poeta seja reconhecido em vida. Pois depois de nada vale ... Não pagarão suas contas hoje ...
Enfim a poucos sobreviventes ... Edu escolheu seu caminho .. Deixou emprego estável numa repartição pública federal nos anos 80 ... Lançou -se ao sonho de ser pop star com várias bandas. E se consolida em louca poesia ...
Não somos indiferentes ao ser humano Edu … Ele nos choca … E nós causa a estranheza de tentar se aventurar na vida de sua maneira …
Ninguém é igual a ninguém … E não classifiquemos este poeta numa geração beat …
Ele é poeta de sua geração de seu tempo.

JOKA 

Não dá para ficar indiferente a poesia de Edu Planchêz ... Ele meu caro Diego El Khouri se faz sobrevivente nesta selva de pedras ... Seus valores só são seu. Não adianta julgarmos ou darmos palpites diante da poesia que ele faz só nos resta editá-las ..
Como não temos moedas de ouro. E não nos fazemos judas por 3 moedas de ouro.
Que este poeta seja reconhecido em vida. Pois depois de nada vale ... Não pagarão suas contas hoje ...
Enfim a poucos sobreviventes ... Edu escolheu seu caminho .. Deixou emprego estável numa repartição pública federal nos anos 80 ... Lançou -se ao sonho de ser pop star com várias bandas. E se consolida em louca poesia ...
Não somos indiferentes ao ser humano Edu … Ele nos choca … E nós causa a estranheza de tentar se aventurar na vida de sua maneira …
Ninguém é igual a ninguém … E não classifiquemos este poeta numa geração beat …
Ele é poeta de sua geração de seu tempo.

JOKA 

domingo, 1 de setembro de 2013


Foto Paulo Salgado


JOKA

Vale das Mantiqueira ...

Minha terra tem vales … Tem Montanhas
Grandes arvores ...
Trabalhar dia sim dia não …
Distante de nossa Mantiqueira …
Minha terra tem vales … Tem montanhas …
Grandes arvores …
Minha terra é qualquer canto da Mantiqueira .,..
Que a vejo ao longe …
Trabalhar dia sim dia não …
Distancia-me da Mantiqueira …
Hó sagrada Mantiqueira …
Nunca percebida e sempre perto …
Paisagem de meu dia a dia …
Que saudade de suas trilhas …
De suas cachoeiras …
De seus caminhos …
Cade o gigante adormecido que habitas dentro de ti?
Ó sagrada Mantiqueira …
Minha terra tem vales … Tem Montanhas …
Grandes arvores …



João Carlos Faria

JOKA

A deseducação brasileira

Estou no final de uma faculdade de Pedagogia e a educação neste pais nos deixa perplexo ?
Que modelo é este que nos faz as vezes a temer uma sala de aula na rede estadual de São Paulo ou de qualquer estado Brasileiro. Não quero aqui? Criticar governo A ou B ou partido A e B.
Quero debater dentro da tal democracia a educação. A matéria do Estado de São Paulo deste domingo não nos traz novidade. E já sei que a sociedade continuará muda, cega e surda?
Diante da calamidade que é a educação. Não há um real desejo de mudança. E não falo de uma educação para o trabalho. Precisamos de uma educação que faça nascer um cidadão que entenda os direitos e os deveres da democracia.
Precisa se reformular o estatuto da criança e do adolescente. Governos precisam ter menos cara de pau e não pagar seiscentos reais a um educador.
Métodos, teorias não nos falta precisamos realmente entende las?
No pé em que esta a educação neste pais não dá. Não teremos nunca um cidadão que saiba o que é industria cultural e suas manipulações.
Que realmente entenda o que é mercado de trabalho. E o que é aprender.
Talvez nos professores talvez não tenhamos aprendido a entender a vida então como iremos ensinar.
Mas governos também não sabem governar. E a classe politica insiste em fechar os olhos a educação e fazer um debate profundo.
Preferem não cassar parlamentares no congresso. Preferem fechar os olhos ao clamor das ruas.
Os pais precisam aprender a educar seus filhos. Cabe ao professores colaborar com esta educação.
Passar os conteúdos e a historia da humanidade nas ciências exatas, ciências humanas.
Mas será que ainda somos humanos nesta sociedade massificada em que vivemos?


João Carlos Faria


JOKA

O mar é Deus e o barco sou eu.

Dedicado ao irmão Harley Campos ...

Uma onda de frio passou por minha alma. Aqui fora um calor de verão em pleno inverno. E meu coração totalmente frio. Estou perplexo diante deste mundo então ouço Dorival Caymmi visito pessoas em praças. Passeio por cemitérios conferindo as datas de nascimento e datas de morte. E a um infinito numa vida entre o nascer e o morrer.
Por mais pouca fé que temos não compreendemos a metafisica da vida e da morte. Andar em hospitais e se sentir perdido. Imaginar-se ali um dia. Leio poemas para amigos enfermos nunca sei o que dizer quanto tempo ficar? Tudo me paralisa eu voltarei preciso aprender a ser humano.
Por mais que nossas vidinhas mediucres nos faça achar que temos muitos afazeres para que temos pressa um caixão nos espera com uma grande paciência. E a morte vem queiramos ou não.
Eu não saberia jogar xadrez com ela ainda não aprendi a jogar. Mestre Ingmar Bergman sabia?
Não tenho raciocínio matemático.
Nem sei caminhar sozinho em meio a florestas escuras. Chapeuzinho vermelho ao sete anos tem mais coragem que eu já na maturidade.
Expliquem para mim porque eu deveria dar palpite na vida politica logo eu que preciso aprender a
navegar na vida com minha jangada? E uma música do tempo em que fui Católico Apostólico Romano dizia o mar e Deus e o barco sou eu.
E a vida segue caminhos estranhos sempre amei a vida politica já sonhei com a presidência da Republica hoje já não sonho com nada. Quero a dura realidade da vida. Que para mim não tem nada
de dura. Se bem que com o calor que fez hoje estar dentro de um ônibus não era tão confortável assim. Mas a vida esta dentro de um ônibus num domingo feliz. E eu na porta de um teatro fechado.
É domingo e o teatro estava fechado? Que estranho este meu lado cultural e artístico que nunca sai do lugar nunca terei uma grande obra? Ou farei um grande filme como PROMETHEUS de Ridley Scott. Gostaria de ter a universalidade de criar uma trans mídia com a obra de Nietzsche imaginem um CD com seus textos. Criar músicas, uma peça de teatro e um filme com este filosofo das artes?
Mas a burocracia de nosso mundo não nos permite. E devo ser daqueles artistas bem mediucres. Consumir um monte de arte sem saber entende las dentro da alma não nos serve. Devemos sentir na alma. Dorival Caymmi é profundo em sua simplicidade consegue entender com sua alma a vida dos pescadores.
E eu compreendo a vida em nosso Vale do Paraíba e suas montanhas sagradas? Talvez sim talvez não.
Uma onda de frio passou por minha alma. Trago no coração minha alma as vezes fria as vezes quente.
E o sol e a lua sempre em nossas vidas. Não entendo a vida muito menos a morte.



João Carlos Faria