Seguidores

domingo, 18 de agosto de 2013

JOKA

Para não darmos tantas bola fora ...

Nestes momentos estou tirando umas férias de qualquer escrito de cunho politico.
Tem hora que cansa dar estas focadas na vida politica.
Nada contra mas cansa. A vida tem suas levezas e sutilezas.
Tudo passa e governos mais ainda. Tem hora que a vida privada é bem melhor que qualquer causa pública.
E estamos numa época que tudo esta politicamente correto nas luzes dos holofotes.
E por baixo do pano tudo sempre igual.
Quem sou para dar tantos palpites infelizes.
E a um poder bem maior que governos e partidos políticos.
O econômico. E quando nos manifestamos acabamos dando uma força para estes jogos.
Nada como conversas de bastidores para perceber qual é o jogo?
Para não darmos tanta bola fora.
No mais preciso desenvolver um lado mais empreendedor. E fazer acontecer.
Dar milhos a pombos cansa.
Eu conseguiria fazer diferente se estivesse no comando do jogo?
Acho que hoje faltam articulistas que consigam achar o ponto da veia.
Não acredito em analises imparciais. Nem na isonomia da imprensa.
Todos temos nossas opiniões. Também não acho que a imprensa vá acabar.
Profissionais são importantes. Tem formação.
Para a vida politica deveria se ter também uma formação.
Desde que me conheço o dólar sempre varia.
E mercado tem humor. O mercado é gente?
O que estes humores interfere em nosso dia a dia?
Se na hora de trabalhar só nos sobra sempre uma variação minima de possibilidades.
Quem escreve livros de autoajuda só serve para os autores.
A percepção nos dias de hoje deve ser bem aguçada. Falta uma formação politica para o cidadão comum e a educação conseguirá dar estas respostas?
Falta um entendimento para o cidadão do que é o mercado de trabalho.
Mas acho que a vida tem prazeres bem mais interessantes. Também gosto de ler jornais.
Mas devemos ir além disto.
Enfim poder distanciar-se me ajuda a entender melhor a sociedade na qual somos atores ou simples
marionetes?
Se bem que atores seguem roteiros. Então sejamos os roteiristas de nossas vidas.



João Caros Faria

Nenhum comentário: