Seguidores

quinta-feira, 18 de abril de 2013


JOKA

Não saberíamos mais voltar as cavernas ?

Frio cortante de outono as palavras rasgam como facas afiadas em nossa mente para tornar-se idéias. E tudo se liga … e as palavras saem gritadas … Na busca de uma gramática perfeita em bora em nossa pressa de escrever acabamos estragando as palavras? E as ideias não amadurecem é a vida. A vida nunca é perfeita. Na verdade cometemos erros a todos os momentos. E não dá para ter tanto remorso assim cabe a nós adentrar aos livros e aprender com os mestres da escrita. Devemos escrever tanto assim? Estas duvidas estão sempre presentes para mim. Mas vivemos com tantas informações e emoções o tempo todo. Estes dias andando pelas ruas viam textos fáceis carregados de emoções baratas. Textos para desestabilizar governos. Se é que algum escritor desestabilize governos? Para que escrever tantas criticas assim? E se eu você estivecemos governando uma cidade um pais?
Ou focemos grandes empresários afinal faríamos diferente? Temos todo este poder assim para mudar o rumo do planeta? Do mundo? Se não damos conta nem das nossas atividades diárias. Enfim usurpamos nossa ética a todo momento. Nunca sabemos se realmente estamos certos? Nem sei se estou certo de minha gramática. Me perco nas virgulas e pontos. Perco-me na matemática. Já me esqueci do básico e ai ? Então para que serve a educação as artes. Se não chegarmos a sabedoria nunca servirá para nada?
Tento vivenciar o que escrevo. Ou escrever o que vivencio. Hoje fiquei feliz ao saber numa conversa ao telefone que estou completamente desligado de um monte de coisas que fiz no passado.
Já não sou tão articulado. E sinto-me feliz por estar desarticulado. Não precisamos de muito. A pouco tempo tentei deixar aberto o msn de meu face. Não consegui as vezes é cinco pessoas ao mesmo tempo. E pessoas que nunca irei conhecer pessoalmente?
Tudo parece diferente e continua sempre igual de verdade temos no máximo dez amigos para a vida toda e esta é à realidade. E para dizer nas linhas filosóficas e espirituais que dizem que não conhecemos nem a nós mesmos. Hoje alguém me falou num papo mais profundo sobre um dos muitos interpretares da palavra fé. Que segundo esta pessoa que ouviu de outra e por ai vai que fé seguinifica FORÇA ESPIRITUAL fui no dicionário e não bate. Mas sempre precisa bater? Que seguinificado belo Força Espiritual. Enfim força do espirito que há em nós. Assim livremente enterpletado. E temos sim o direito e o dever de pensar por nós mesmos. E ai esta também o sentido de escrever quase diariamente registrar nosso pensar e compartilhar com quem queira nos ler.
Sem medo de errar. Gostei muito de umas critica num texto que fiz sobre o debate da diminuição da idade penal. Escrevemos para acertarmos ou errarmos. Sem nenhuma vergonha ou medo. Quanto a gramática com muita leitura,atenção e revisão vamos consertando.
Falta professores de gramaticas e matemática que nos estimule e a aprender e em breve enfrentarei este desafio de uma sala de aula enquanto educador.
É a vida como diria um canal de TV sem nenhum roteiro. E muita e muita rotina que amim não mais afeta. Quero só o tempo para refletir para que estou neste planeta. E vivemos a respirar e amar.
Não saberíamos mais voltar as cavernas. Eu não saberia voltar a escrever em cadernos e sonhar em criar jornais impressos estamos na era do livro digital. E também dos livros impressos tudo se faz somar. As letras, as filosofias e a vida politica deve estar presente em nossas vidas … Quem derá termos caminhado lado a lado com Sócrates e Platão. Eu sempre caminho para refletir sobre o mundo. Nem sempre devemos nos fechar em nossas cavernas. Devemos tentar ver o mundo além dos olhares da mediocridade comum de nossa civilização hipermoderna. Vamos além. E só o próximo pode nos ajudar a dar um passo a mais. Enfim precisamos uns dos outros.

JOKA

João Carlos Faria

Nenhum comentário: