Seguidores

sábado, 13 de abril de 2013


JOKA

Escola da Ponte

Corro o risco de chover no molhado mas assisti a uma palestra emocionante de mais de três horas de duração com José Francisco Pacheco um dos criadores da Escola da Ponte em Portugal que há vários anos mora no Brasil veio nos falar de suas experiencias de vida em Portugal e hoje reside no Brasil. Mostrando que algumas utopias são prováveis. E podem acontecer. Nos que estudamos a educação e a praticamos no chão da escola. Precisamos deste momento de refletir para entender o que estamos fazendo. Algo ficou bem claro para qualquer projeto de transformação social necessita-se trabalho em equipe. Um ser humano só não transforma sua realidade. Mas a partir de uma mudança pessoal podemos irradiar mudanças. Espero ir ver de perto o trabalho que Pacheco desenvolve em Cotia na grande São Paulo. Estava me imaginando ir a Portugal e já não preciso há vários projetos neste pais. Mas quando penso em transformar a educação penso nas imensas redes públicas de estados e municípios deste pais.
Mas acredito que para mudarmos algo. Precisamos nos transformar primeiramente seja tentando fazer o melhor que pudermos num curso universitário tentando desbravar as teorias dos mestre da educação e de outros campos do conhecimento humano. A academia nos apresenta os pensadores da educação. E devemos sim desvendá-los para chegar a práxis. Sem nenhum trauma. A teoria nos dá os fundamentos. Mas a educação deve estar atenta a burocratização e ao comodismo por isto ver palestras, ler livros e assistir documentários e fundamental.
Como é fundamental criar grupos de estudos das teorias já sem o compromisso com a Academia e a necessidade de fazer provas e apresentar teorias.
Nada contra continuar a vida acadêmica. Mas o homem precisa da liberdade dos artistas e filósofos para refletir e fazer acontecer.
Sem se prender as amarras. Senti em Pacheco uma bela visão Libertária. Pelos pensadores que citou muitos que já li e outros que ainda chegarei.
Enfim nos deu uma aula de vida que em nenhuma cronica seria registrada. Anseio por outros encontros com Pacheco no chão de suas escolas.
Enfim não devemos desprezar as bases teóricas e sim discuti-las tirar as dúvidas estudá-las para polas em prática.
Assim em qualquer escola, ongues e projetos que estivermos fazermos uma educação com amor ao próximo.
Ele nos traz uma ponte. Diferente do Grito de Edward Much nos traz a possibilidade de uma educação que nos transforme. E se nos transformarmos ajudaremos a transformar a realidade de nossos alunos.
A vida é cheia de espinhos. Mas por entre espinhos a rosas. E Pacheco é uma destas rosas. Que nos presenteiam com a Utopia e a possibilidade de transformação humana.

JOKA

João Carlos Faria      

Nenhum comentário: