Seguidores

quinta-feira, 21 de março de 2013


JOKA

A imprensa é um circo de horrores.

Entre o findar e o inicio, entre a morte e o nascimento a o ócio. Com seus pequenos prazeres.
Sempre se valoriza o trabalho e esquecemos o ócio que nos faz viver. Brincar com cachorros na tardes. Jogar com crianças. Acordar as pessoas sem querer. Simplesmente sem o compromisso social. Sem ajudar o futuro do pais. O ócio de cada dia que nos traz a reflexão da vida. Mente quieta. E o corpo em funcionamento esta é a vida. E uma música clássica no ouvido. E vamos seguindo fazendo planejamentos. A vida tem algum roteiro a ser seguido? E vem na cabeça títulos de livros. Como POEMAS ESQUECIDOS NO INFERNO … E ai vamos quem sabe uma série de poemas a serem feitos ou refeitos dada a abundância de imagens que a poesia de Cassiano Ricardo nos inspira. É da vontade de criar novas imagens a partir da leitura deste poeta. Enfim um senhor poeta. E tudo o mais segue em dias de ócio. O refletir na metafisica. Se bem que realmente entendemos sequer a física? E o prazer em bancas de revistas. Entre o findar e o inicio. Estamos aqui vivendo. Assistindo a mídia televisiva e sua infinita manipulação em jornais televisivos. A manter a população alheia a realidade e a reflexão. Causando o desinteresse nos problemas nacionais. É que o povo gosta de se digladiar em causas sem frutos. E vivemos num pais carente de infraestrutura de base, sem estradas. Como uma industria a beira de ser sucateada. E com governos inchados de mão de obra sem serventia os chamados barnabés na época de Cassiano.
E as empreiteiras estão ai enquanto governos e mais governos passam. E elas cada vez mais ricas. E nunca se debate o que realmente interessa a agenda nacional? A imprensa é um circo de horrores. E nos estamos sempre batendo palma para sua agenda de interesses privados.
Enquanto a esquerda que gosta de insistir na burrice discute se Feliciano fica ou não fica. Eu me diverti num protesto em São Jose'dos Campos com no máximo vinte e cinco pessoas. Feliciano sim deve sair mas quem vai assumir seu lugar?
E enquanto caminhões de soja não conseguem descarregar a soja que vai para o exterior a preço de banana. Aprendi numa sétima séria nos anos oitenta. Que devemos produzir aqui e vender os produtos prontos. E a indústria nacional cada vez mais sucateada. Um pais que não investe no desenvolvimento de tecnologia. Que esta a merce do mercado internacional. E da especulação imobiliária. E estamos em festa Copa do Mundo, Olimpíada e Feliciano caie ou não caie ?
É a poesia é algo bem mais saudável que as manipuladas noticias da imprensa.
E a educação e a cultura, arte não são levadas a sério, professores ganham muito pouco pelo que se deve estudar e pesquisar.
E vamos seguindo. Entre o findar e o inicio.

JOKA

João Carlos Faria



Nenhum comentário: