Seguidores

sábado, 2 de março de 2013


JOKA

Amores inexistentes ...

E a noite chega estar sozinho é estar morto.
Brasil … na noite que se faz ...Entre desejos … E ausência de desejos … Lindas mulheres leem livros … Na noite … O calor se faz forte … Longe estamos de Copacabana … Longe estamos de qualquer utopia … A muitos, infinitos livros para serem livros. E o Sol se faz forte … Céu azul … Lua escondida … E sigamos além do mal e do bem … A justiça corta nossas cabeças em guilhotinas. Não temos nada nem o corpo nem a alma.
Somos sombras … Tudo se realiza. Pássaros voam no céu... Adentremos ao mar de Copacabana … Cantemos em praça pública … Dancemos em praças públicas.
E noite chega estar sozinho é estar morto.

JOKA

João Carlos Faria

Nenhum comentário: