Seguidores

sexta-feira, 18 de janeiro de 2013


Os Desajustados

O frio glacial com seu vento cortante faz Janeiro prazeroso … Foram-se as festas, cá estamos nós. Eu por um bom tempo sem esta tecnologia que nos faz comunicar, mas com quem nos comunicamos? Talvez aquelas moças bonitas que ficaram com seus seios a mostras para o Papa. Que belas mulheres! Hoje tantos e tantos protestos e tudo em festa.
E a vida aqui nos Trópicos segue. E eu longe do Oceano Atlântico novamente. E tudo está no presente.Soltei uma provocação sobre arte e Geração Beat numa página do Face – polemicas que nunca acontecem? E o mundo sempre o mesmo. Mas nunca é como antes, estamos num novo ano. E os mesmos desafios de sobrevivência. Gostei muito de uma passagem num texto de Diego El Khouri, em que ele relata as dificuldades dos empregos e desempregos. Sempre sinto na pele estas questões, já não queria sentir. Quiçá tivesse um folego literário para fazer um romance de geração que trate  destas questões. A página da Falange Dourada pega fogo, segundo Edu Planchez, mas que nada, sempre tudo no mesmo.
Desde os anos 90 meto-me em polemicas, faz parte da sociedade hipermoderna. E agora com a internet, mais ainda. Tudo é divulgado num instante. A opressão da pós – modernidade é bem sutil. A grande massa não se percebe oprimida e ainda acredita em eleições, copa do mundo e nas invenções da Rede Globo. E o funk comeu solto no litoral. Eu gostaria de aprender a viver no mato, dentro da Mantiqueira. Nossa sociedade anda insuportável! Henry David Thoureau que pregava o anárquico individualismo viveu um tempo numa floresta. E hoje, ele conseguiria nesta sociedade de auto controle do Estado e das Grandes Empresas? Meus caros, que liberdade temos? Posso criticar todo um sistema mas já faço parte dele sou um dos Desajustados.
Paranorman 01
Sempre estamos fora, mesmo estando dentro. E ai o que fazer? Dar um tiro na cabeça? nunca resolveria! Tomar uma injeção letal também não. Mas como enfrentar algo que esta dentro de nossa cultura? Meus caros, estamos escravos de uma sociedade de consumo. Achamos que temos inúmeras necessidades e trabalhamos como loucos somente para pagar contas e encher o bolso de governos e empresas. E o Capitalismo nunca se finda. E a mídia sempre na mão de poucas famílias que ditam as regras para governos de direita, de esquerda e de centro.
Enfim não há governo para o povo, cada vez mais se torna bárbaro, sem nenhuma forma de arte e cultura. As pessoas se sentem oprimidas e simplesmente ficam doentes, somatizam tudo. E ai vivemos uma grande epidemia de drogas e álcool. E o Estado, governos não sabem o que fazer. No Rio de Janeiro uma criança de dez anos foi atropelada na Avenida Brasil porque era viciada em crack. E desgovernos irão resolver estes problemas? Quem governa, só sabe ganhar eleição não tem noção nenhuma do que irá fazer. Vivemos numa sociedade de pequenas e grandes mentiras. E estamos de mãos atadas. Somos galinhas peadas. Estamos amarrados, amordaçados. Temos alguma chance? Nos juntar? Mentira, estamos sós! A vida é solitária – como será nosso caixão? E as pessoas e a sociedade cada vez mais materialistas. Não se acredita em mais nada. Mataram Deus e esqueceram de enterrar. Há poucos homens de fé e um grande hipermercado de religiões, escolha a sua.
A vida sempre segue, depois dos quarenta a barriga cresce. E as pessoas se acomodam, eu não. Sou um Universitário engolindo as teorias acadêmicas goela abaixo. É férias, posso ler Manuel de Barros , Machado de Assis. E o que me deixa feliz é ler as novas gerações. Gente que sem editora, sem livros publicados nos diz muito em suas obras publicadas na internet. Já não conseguimos vivenciar a cultura atual sem a internet. Cabe a cada um de nós nos transformamos. Pegamos todos os dias o touro a unha. A vida sempre segue. A tv a cabo ligada, computador ligado enquanto não vem um apagão. Daqui a pouco vem o Carnaval … E alguma coisa acontece. Só as revoluções, uma por dia, como abda Almirez dizia. E tudo sempre segue … Vou me embora! Onde encontro Pasárgada?
Dentro de meu coração!
JOKA
joão carlos faria

Nenhum comentário: