Seguidores

quarta-feira, 21 de novembro de 2012


A poesia dentro de nosso coração

Manhã cinzenta … a cidade em movimento … e a vida virtual segue. E a vida real se faz. Estamos divididos em identidades virtuais e reais. No mais, segue o cantar dos pássaros nesta primavera glacial. Somos divididos entre fé e ação; Entre o imaginário e o real; Entre o consumir e o ser.É tudo um grande supermercado de consumo de desejos e carências. Almas errantes nesta sociedade conturbada. E elefantes invadem as cidades. Vejo demônios dentro de nós. Bem e Mal juntos. E a fé. Que a fé seja racional. E tudo é metafisica? E os Deuses jogam xadrez. E aqui na terra somos marionetes de nossas emoções. E o verbo se faz. Nossos braços se atrofiam diante de um teclado de computador. Chega! emoções virtuais não são reais. Precisamos estar nas ruas. Experimentar o que nos resta de humano. Antes que nos transformemos num grande inseto. E o ser humano se prende a consumir, a gastar, a dar atenção para títulos e importantes carreiras. Enquanto as famílias se desestruturam. Há uma grande peste de drogas nas grandes cidades.O crack toma conta de uma grande leva e as autoridades se perdem em decisões burocráticas. E a vida sempre segue. E quando saímos as ruas podemos morrer nas mãos de bandidos ou de policiais. E só uma questão de escolha. E todos queremos nossos carros, nossos celulares, computadores. Nos deliciamos com as comidas envenenadas, uma comida transgênica. E nossas cidades se enchem de grandes chaminés. E já não há lideranças politicas. Estamos todos num imenso lamaçal. Vejo Nova Yorque, numa imensa lama. E a vida segue! Qualquer hora desta estaremos mortos e não perceberemos. Cade o amor? Nossos corações tornou-se pedra. E Sofia nas ruas clama por justiça. Cade a justiça? Almas errantes teclam num desespero total. E o sexo se torna virtual, reino de lilith e Nahemah … Há sexo para todos os gostos e nos causa um imenso desgosto. E os Juízes do supremo não são Juízes, são palhaços, atores com suas togas. E a vida segue e a catástrofe civilizacional é televisionada. Haverá refugio em minha Sagrada Mantiqueira? Não sabemos… é frio, não vamos as montanhas. E a humanidade ruma para o abismo em sua falsa felicidade. Ter não nos faz Ser. E a vida segue, vamos as ruas encontrar Sofia. Mesmo o dia de hoje estando nublado sabemos que há um Sol a iluminar a terra. Mesmo vivendo nesta era de falta de amor, sabemos que ha um Deus, um grande Universo a nos guiar. E Diógenes com sua lanterna a procura de homens de verdade. E tudo se faz verdade. Ainda teremos nosso refugio na Sagrada Mantiqueira. Há muitas e muitas montanhas a serem conquistadas. E a poesia esta dentro de meu coração. E a vida segue. Vou em busca de Sofia.
JOKA
joão carlos faria

Nenhum comentário: