Seguidores

segunda-feira, 17 de setembro de 2012


Preciso me desligar pois volto as estrelas quando adormeço ,,, E passo a ser inteiro. Pois agora sou metade.

JOKA


POEMA DA NOITE

Ah, poder ser tu sendo eu - Ruy de Moura

Ei-lo que avança 
de costas resguardadas pela minha esperança 
Não sei quem é. Leva consigo 
além do sob o braço o jornal 
a sedução de ser seja quem for 
aquele que não sou 
E vai não sei onde 
visitar não sei quem 
Sinto saudades de alguém 
lido ou sonhado por mim 
em sítios onde não estive 
Há uma parte de mim que me abandona 
e me edifica nesse vulto que 
cheio de ser visto por mim 
é o maior acontecimento 
da tarde de domingo 
Ei-lo que avança e desaparece 
E estou de novo comigo 
sobre o asfalto onde quero estar

Ruy de Moura Belo (São João da Ribeira, Rio Maior, Portugal, 27 de fevereiro de 1933 - Queluz, 8 de agosto de 1978) - Além de poeta, foi contista e ensaísta. Licenciado em Filologia Românica e em Direito pela Universidade de Lisboa, obteve o grau de Doutor pela Universidade Gregoriana de Roma. Também foi tradutor de Antoine de Saint-Exupéry, Montesquieu, Jorge Luís Borges e Federico García Lorca.

Nenhum comentário: