Seguidores

sábado, 1 de setembro de 2012


JOKA

Ninguém esta sozinho ...

Dedicado a Beth Brait Alvim

Eu cronista do indizível. Estou aqui nesta noite, á vida sempre segue em seus caminhos afinal somos detentores de tantas escolhas assim? Ou a vida não tem tantas possibilidades como imaginamos que possa ter? A vida não pode ser só decidida por nossas opções econômicas que geralmente são poucas. A brisa da noite adentra ao meu quarto. Não tenho roteiro? Tento perceber-me e consigo decifrar-me? Ultimamente um cronista. Com misturas de como vejo o mundo de como o sinto. Somos tão cheios de defeitos, temos tão poucas qualidades. Enquanto escritores de uma realidade mentimos quando escrevemos, pois um escrito nunca é o que é. O real não passa de impressões momentâneas. A vida segue estamos em época de eleições, de cursos universitários. E deixei de escrever poemas, mas será que de fato escrevi algum? Será que voltarei a escrever poemas não há roteiro. Deixemos que o amor nos guie. Deixemos que o Deus que há dentro de nós nos mostre caminhos.Tudo que não é divino não passa de  mera ilusão este ano não sou candidato a nada. Só candidato a um coração. Eu não tenho coração. O meu é pedra reflexo de nossa sociedade sem nenhuma alma. Então como poderei numa sociedade destas conseguir escrever versos ? Se ninguém esta ligado aos anseios da alma e sim as necessidades de sobrevivência. Nossas instituições estão caindo de podres ,mas nenhuma semente germina vivemos uma era de transição de valores? E meu pais não busca algo novo? Todos os Partidos Políticos estão podres. Não vejo motivo para estar neles. Não sinto nenhuma rebeldia nenhum busca de se refletirem e propor uma mudança de caminho. E a grande mídia nos vende só ilusões. Ás vezes vemos algo bom no cinema de arte. Ás vezes uma boa leitura de grandes autores. E nunca algo novo no front. Minha escrita não se rebela mais se é que já consegui rebelar-me. Embora eu tente me rebelar. Que nova estética se faz necessária nascer?  Tantos meios de comunicação e enquanto escritores somos absolutamente medíocres. Preciso transpor a crônica. E falar a alma. Minha mera intelectualidade me aprisiona. Deixar de escrever nunca é uma solução?  Escrevo sobre mim refletindo minha cidade. Que é minha aldeia. E se faz um planeta. Ambições são necessárias ao ser humano. É preciso romper com o cotidiano. Descobrir novas maneiras de gerar uma economia que não seja só voltada para o ter. E sim para transformar uma sociedade. Este Capitalismo selvagem precisa findar-se para dar origem a um sistema econômico que nos traga de volta a vontade de viver. Esta correria social. Este perder tempo de forma excessiva horas e horas em trabalhos que nada nos diz  não leva o ser humano a lugar nenhum além de lotar hospitais, consumo de drogas, pornografia enfim esta sociedade nos sufoca e mata qualquer possibilidade de sonhar. Tecnologia sem nenhuma alma não nos serve para nada. A não ser para por  nossa rotina em sites de relacionamento.Como perdemos tempo neles e a partir deles poderíamos criar algo novo. E o que nos impede? Nossa vaidade, nossa comodidade nosso conformismo. A vida se esvai e que pegadas deixaremos? Chega de sermos uma civilização neurótica que se mata aos poucos. Ter sem ser é de uma grande inutilidade. Diplomas, dinheiro, roupas, sexo, consumo de uma maneira vazia. Não vejo mudanças se não nos repensarmos enquanto coletividade? Afinal ninguém esta sozinho. Precisamos repensar tudo. E não fazemos. A vida segue, mas um dia daremos um ultimo suspiro. E que legado deixaremos, que valores teremos em nosso coração que se faz pedra? Precisamos criar uma civilização que tenha uma alma, um desejo de liberdade.Portanto sejamos libertários. Anárquicos. Artistas, técnica sem alma nos aprisiona. Enfim busquemos viver em harmonia com o universo. Deus se faz presença em nós.   

JOKA
joão carlos faria


Ps escrevo há alguns anos para o site www.entrementes.com.br e muitas vezes este compromisso de escrever me faz refletir e criar. Graças a este site continuo esta ás vezes árdua tarefa ás vezes prazerosa em busca de uma revolução que nasça dentro de mim. Acredito que precisamos fazer nascer editoras, produtoras de cinema e espaços culturais nos centro de nossas cidades e nas periferias. Parabéns ao Entrementes se não existisse deveria ser inventado com uma diversidade de colunistas e colaboradores que nasceu a partir de São José dos Campos São Paulo Brasil  e se espalha pelo Brasil e o mundo. Que deste fruto venha uma editora. E  muitas e muitas ações culturais. Como nos ensinou a anárquica Beth Brait Alvim.    

Para Beth Brait Alvim em seu Facebook.

Acabei de dedicar um escrito para você em breve sai no www.entrementes.com.br.
Graças a sua presença e ação São José dos Campos de 1992 a 1998. Teve um embrião de rebeldia dentro do poder público do pais chamada Fundação Cultural Cassiano Ricardo.E tudo passa ,mas o sonho esta dentro de nossos corações.Ação Cultural para transformar um planeta. Justiça seja feita também para Andre Freire. Esta dupla mudou a cidade.

Nenhum comentário: