Seguidores

sábado, 29 de setembro de 2012


JOKA

AFINAL PARA QUE ESCREVEMOS?   

Sábado bem frio um dia para se estudar e não tenho nenhuma vontade de acessar o site da faculdade e fazer as atividades. Ouço músicas dos anos setenta. E o pais chora a morte de Hebe Camargo. Fiquei sabendo quando assistia a TV. Hebe faz parte da historia de nossa TV e deste pais já há vi no palco quando seu filho tinha um programa de TV no começo deste século. A vida segue. Dias destes perdi de criar um texto que falava de vida e morte. Veio-me pela manhã e achei que o preservaria até a noite. Mas tudo bem as inspirações acontecem para mim á reflexão foi muito boa. Não sei se vocês se refletem ao acordar, pois eu sim. Quando acordo vejo minha vida em várias partes reflito minhas ações. Hoje estou bem tranqüilo fazendo a faculdade que em breve termina. Já sonhei com muita coisa. Mas ultimamente queria é fazer um vôo. Sobrevoar a Serra da Mantiqueira. É difícil eu escrever ouvindo música e estou, mas vou por um cd que fica melhor o som da internet esta muito ruim. Há quanto desafino de minha caixa de som. Mas as músicas nos tocam a alma.Pena que nunca sei os nomes delas ? Certamente desligarei na hora de revisar em respeito a vocês leitores. E estranho ser escritor quando já não  há  ambições   literárias. E o mundo não sente saudades de minhas performances nem eu. Para bom observador da vida o anonimato é fundamental. E criarei a necessária coragem e acessarei o site da faculdade. Mas antes quero estar com vocês leitores. A vida é rápida. Hoje estamos em cena e num instante já não estaremos mais aqui. Por isto depois de recitar mantras fui curtir o Sol e a paisagem de minha Mantiqueira. Quando puder sair em astral quero voar sobre a serra. E senti lá, brincar com os elementais , mas hoje só a escuridão e a fé. Ás vezes muita dúvidas ,mas uma conclusão eu tive hoje não se sai do que ainda não se entrou? Nossas experiências místicas são tão raras. E valem ouro ,mas quer algo mais místico que perceber a passagem silenciosa de um dia. Sentir os raios do sol e agora ver a noite adentrar ao meu quarto? Quer mais experiência do que viver.Eu preciso ver os elementais da natureza? Para saber que eles estão ai? Existir já é viver. Somos muito Kaos. Uma diversidade de teorias e culturas. Sinceramente não sei o que faço numa escola. Talvez só seja uma maneira de sobreviver. Respirar, comer, assistir a filmes, ter idéias e ações políticas para que tudo sempre nos serve? É Hebe Camargo se foi um pais inteiro esta em comoção? E daí algum canal de televisão fará uma reflexão profunda sobre viver e morrer. Não só veremos a banalidade. Somos uma sociedade completamente alienada. E não adianta se disfarçar filiando-se a algum partido político e achar que vai mudar o mundo. Pois se não nos transformarmos internamente nada resultará  em nada. Seremos meros professores, médicos como canta Raul Seixas em Ouro de Tolo. Mas o que se muda  um quadro social? Mesmo lendo Piaget, Freud, Vygosky não temos nenhuma resposta? Comecei meu curso para poder ter uma graduação e aprendi muito durante ele e no estágio remunerado que em breve concluirei. Mas a vida sempre segue , mais com perguntas  que resposta? A única coisa que sei da vida é que gosto de ler e escrever. De resto uma imensa dúvida e a ampulheta escorre suas areias mesmo sendo mau poeta volto a ser poeta talvez nunca tenha deixado de ser. As minhas poesias  estão em minhas crônicas que não darão em um livro? Será que irei além de poemas e crônicas? Este desafio literário me inquieta. Hoje li uma critica de Dalto Fidenco no Entrementes sobre um filme que vi o número um. Não vou a  cinemas espero os filmes chegarem a internet e a TV. Gosto de assistir a peças teatrais e shows desde que eu não pague para assistir. Enfim vivemos uma vida rotineira, trabalho, faculdade. Mas e esta mania de no Brasil só se valorizar os cursos universitários? É um grande bobagem precisamos de uma educação em todos os níveis que forme o ser humano para a vida. E isto se reflete em conhecimentos teóricos e práticos. As pessoas não aprendem na escola a consertar um chuveiro. A plantar uma arvore. Só conhecimentos como Português e Matemática e ainda de uma maneira bem precarária então de fato para que serve este modelo de educação em que se insiste em se manter igual? Todas as teorias que aprendo na faculdade me dão base para questionar os princípios da educação de hoje? Quem nestes pais consegue propor algo novo para a educação? Ainda não li nada que ma faça refletir estas questões? E a vida segue ? E os bancos acadêmicos me darão alguma resposta? Meus caros precisamos aprender a pensar por nós mesmos e nos articularmos politicamente? Se não para que servirá toda esta tecnologia de comunicação que temos acessos? Nossa mediocridade nos emburrece. E nos faz perder o sentido da vida? Afinal para que   escrevemos?


JOKA

joão carlos faria  
http://www.youtube.com/watch?v=X41fGn5JJUI&feature=related

Nenhum comentário: