Seguidores

domingo, 26 de agosto de 2012


JOKA

Fantasmas  das estéticas
( Por Diego El Khouri )

"Nós, “clowns de Shakespeare,” últimos sobreviventes da ordem visionária sísmica poética planetária , filhos de Baco, herdeiros de Xangô, orixá do trovão, iluminados por João de Aruanda e Marquês de Sade, propomos a destruição das conquistas platônicas e cristãs no que se diz a respeito da valorização excessiva e insensível da razão. Não queremos racionalidade absoluta.
Texto acima de Diego El Khouri  

Meus fantasmas tentam tomar conta de mim. E ás vezes saem na frente. Eu em silencio combato este bom combate tem hora que parece que irei suncubir diante destes demônios que no fundo são partes de mim. A luz parece sumir. E para aliviar navego e leio poetas que tentam alcançar uma fresta de luz neste imenso abismo em que vivemos. Assisto peças de teatro de uma época da Rússia antes da revolução. Estas nossas revoluções de fora nunca de dentro nos trazem muita dor. Parece que me esvazio nesta noite que tenho sede de palavras. Viver não tem sentido se não nos descobrirmos e passamos a vida toda tentando nos achar. Vejo as discuçoes sobre as estéticas da escrita e de fato elas não me dizem nada. A poesia concreta tem a seu favor que junta ás artes plásticas e as palavras em busca de algo novo. Mas a poesia concreta já teve seu tempo assim como qualquer gênero literário. O que nos trazem de novo hoje agora. Cadê os poetas que falam com certeza deste universo midiático em que vivemos? Que coisa numa charge esta lá o livro Retinas. Devo lançar outras obras e perco-me em labirintos e ausência de debates sobre o que é escrever em nossos dias?  Qual a função do escritor? Do poeta do artista? E já não tenho resposta e não ouço nada que vale a pena. Só repetições de velhos debates em caras novas. Nisto compreendo a critica de Edu Planchez aos concretos que li hoje? Mas quem se lança a debates?  Ninguém se expõe. Gostei de um escrito de Diego El Khouri na verdade um delírio poético que me fez notalo. Mas quem quer saber de transformações reais nestes dias de eleições municipais. Nem a um debate de política que busque um novo pais.Abro a janela de meu quarto para respirar um pouco. E dou de cara com Jack London em minha porta veio me perguntar se já o li e sinto-me envergonhado ando a ler somente apostilas de um curso de Pedagogia que faço. Isto faz parte da vida. A cidade não se inspira vejo uma cidade quase morta. Asfixiada cadê a juventude? Os papos sempre são os mesmos um anarko individualismo que reflete a alienação dos pseudo-s intelectuais da nova geração que não entenderam nada das propostas e da vida de um amigo que circulou pelas periferias da velha Europa e das cenas alternativas , mas talvez ele não soubesse se expressar. A vida segue aqui ou em qualquer lugar e tenho milhões de livros para devorar. E paredes e mais paredes para atravessar. Vejo-te ao longe. Leonora? Cadê você? E um corvo grita nunca mais nunca mais. É Edgar Alan Poe é um grande escritor que morreu abandonado numa rua de Nova Yorque e José Omar de Carvalho   visitou seu tumulo Zé nunca mais. Tento compreender o escrito e ânsia de vomito despejada por El Khouri estou ruminando estas palavras lançadas por tantos e tantos ao longo da historia a poesia se faz viva. E nunca morre cadê a rebeldia de nosso presente? Já não tenho paciência para ouvir de meu passado que passou me faço vivo hoje e só hoje que contemplo  novos rebeldes. A vida sempre segue. Mas o que é não querer esta racionalidade absoluta? Que canta El Khouri. E este cartesianismo e este pragmatismo que assola a política e que não deixa espaço para novas idéias? E este homem que só busca saciar o próprio estomago e deixa a espiritualidade de lado? Que busca um sexo de luxurias e não de transformação e amor? Eu não deixo de me incluir junto a esta humanidade demoníaca. Que não se acha e se afunda na lama do abismo. A vida segue nesta ou em qualquer dimensão. Vejo-me a beira de um abismo e alguém segura minha mão e diz que nesta vida deveria aprender três valores? Será que já cheguei a esta resposta ... Seguir  em frente é fácil se desvendar á se gasta uma eternidade. Quero a arte que te transforme,me transforme. Quero a amizade que me traga sabedoria. Quero o amor que me eleve. Eu aqui mortal a respirar estes ares quase sem oxigênio saudade de minha sagrada Mantiqueira. E de meu infinito Oceano Atlântico. Quero adentrar ao mundo da inefabilidade ... Cadê os poetas? Ainda  restam poetas nesta torta humanidade? A vida segue ... E os Bardos irão cantar dentro da floresta ... A uma grande ciranda que nos trará novamente a eterna Celebração ao Renascimento da Poesia e do Humanismo assim bradou Alen Gins Berg. E assim continuaremos a dançar e cantar .... Celebremos a poesia, pois somos CELEBREIROS...     

JOKA
joão carlos faria          

terça-feira, 21 de agosto de 2012

Caricatura de JOKA publicada no www.entrementes.com.br feita por Fernando Kazuo Myahara.
Não tenho nem o que escrever que talento ...

http://entrementes.com.br/2012/08/caricatura-de-joka-faria/

domingo, 19 de agosto de 2012


JOKA

Vivemos enquanto Gaia se faz universo ...

Dedicado ao polemico Franklin Maciel ...

A vida segue ... sem parar uma brisa adentra ao meu quarto leio jornais de várias maneiras  e lanço meus palpites para o mundo este é o momento de me informar e me expressar. Começo a entender minha América Latina para nós brasileiros e mais difícil entender a América Latina , mas a desvendo e sinto-me parte de sua rica cultura. Ando a ver documentários sobre ela nossa América. Temos sim uma rica cultura. E quero circular sentir o cheiro desta América. Acabei de ver um filme em que um planeta se choca com a terra de Lars Von Trier o titulo é Melancholia e não estou nem um pouco melancólico vejo a vida acontecer e o mundo mudar vejo censuras pelo mundo todo sendo denunciadas e cada um reage a seu modo. A mim cabe escrever. Quero também fazer artes plásticas vi um ponto de vista em um dos documentários á pessoa fala que a cultura Européia valoriza a pintura e cultura Pré- Colombiana valoriza os tapetes e o que a cultura Européia desvalorizada  como artesanato. Para mim foi um susto nunca havia pensado o folclore sobre este ponto de vista. Mas devemos estar abertos para refletirmos a vida e reciclar nossas idéias. Ando perdido com os ensinos acadêmicos e sonho em voltar a ler os grandes escritores. Hoje temos contato com várias culturas e informações de vários povos sem sairmos de nossa aldeia. Mas eu necessito correr o mundo para poder respirar e ei de fazer. Mas tudo ao seu tempo. Esta América me encanta como o panke rock da banda Russa aquelas meninas arrasam em sua ousadia fez novamente o Panke Rock criar vida. E tornar-se verdadeiro. Pussy Riot  como Assange são caras novas de uma velha luta começada na revolução Francesa:  liberdade, igualdade e fraternidade uma idéia que nunca sai de moda. Em minha aldeia tentaram censurar as charges e o pensar do escritor Franklin Maciel a justiça eleitoral o indiciou  a liberdade é uma luta em todas as línguas e culturas. Quem esta vivo e se indiguina com os rumos que uma elite dominante tenta impor sempre sofre algum tipo de perseguição faz parte da historia humana. Mas como diria Os inconfidentes mineiros  contra a tirania da corte Portuguesa ...Liberdade antes tarde do que nunca ... e liberdade deve ser artística, cultural, econômica, religiosa e filosófica. Temos que por em prática em nossa vida diária este lema , pois sempre somos vitimas e algozes de nós mesmos. A sociedade que pune também somos nós. E a vida sempre segue. E estou aqui a refletir o mundo dentro de minha aldeia. E dela reflito o viver enquanto respirar. Sempre estaremos aqui poderíamos ter sido aqueles Espanhóis que saquearam a América. Em nós reside o bem e o mal. Basta tentarmos nos descobrir e ficaremos assombrados conosco mesmo. Pois como escreveu Augusto dos Anjos somos a mão que afaga e apedreja. Bendito seja Augustos que nos deixou seu legado. A poesia e a prosa faz parte de mim assim como a arte. Eu chegarei a uma arte nova que surja de dentro de mim ajudando a iluminar o meu caminho e de alguns. A vida sempre segue as formigas sobem em potes de mel. Passarinhos brincam comigo. E nunca posso soltalos. É noite la vem a bendita segunda-feira. E mesmo assim olho para as nuvens e as vejo movimentar. Pena que não aprendi com minha avó paterna a Dona Nica a interpretar as nuvens. Ela via tudo nas nuvens e fazia uma fezinha no jogo na Paraisópolis de minha infância. A vida sempre segue e eu de um lado ou outro da Sagrada Mantiqueira. Danço ciranda num Parque ...ando por Moscou ... ando na velha Londres e caminho pelos Andes de nossa América Latina que descubro sua cultura ... A vida é inefável... poética e ao mesmo tempo dura. Vamos seguindo em frente neste universos e não temos mais Cazuza a nos dizer segredos de liquidificador. ... E tudo passa e dançamos ciranda ....Enquanto Gaia se faz universo ...     

JOKA
joão carlos faria             

quinta-feira, 16 de agosto de 2012


JOKA

Desligado?

Ando off bem desligado de tudo que acontece ao meu redor. Não que esteje desatento ou mal informado. Mas não vejo proposta de algo novo no ar? Não que deixe de acreditar em transformações sociais. Mas os caminho que vejo me fazem estar off. A política de ganhar eleições na verdade não transforma uma sociedade. Já não se sabe claramente o que é direita ou esquerda. Só vejo uma luta por espaços de sobrevivência individual e não a busca do transformar coletivo de uma sociedade por isto me desligo de redes sociais. Só as acompanho enquanto laboratório das ilusões humanas. A necessidade de um repensar da humanidade. E vejo muito pouca reflexão e muita luta pelo individual. Que propostas novas e que realmente transformem a vida da coletividade os candidatos a prefeitos e vereadores tem neste pais? Nossa política partidária anda viciada. Nada novo para interagirmos. Vejo poucas pessoas que se lançam ao desafio de mudanças. E os vejo se arrebentarem no abismo. Nós seres humanos precisamos criar uma transformação profunda primeiramente dentro de nós. E isto se nos refletirá  nos que estão ao nosso lado. Gastei  uma boa parte de minha vida me lançando a movimentos e ações que nada de concreto obtive nem para mim nem para a comunidade ao qual pertenço. Por isto ando off. E continuarei a observar o mundo nunca de fora ,mas de dentro dele. Precisamos de uma transformação e não vejo nenhuma pelo atual modelo democrático constituído por partidos políticos já descaracterizados de suas propostas. A mim estes ratos acéfalos que comandam estes partidos e suas maquinas esmagadoras já não enganam estou  longe deles e assim espero permanecer. Não quero saber de suas boquinhas e de sua gana por aparelhar o estado. São ratos não são homens, meros ratos a custa do estado e do iludir nossa população. Já não quero suas presenças. Mudar é necessário a sociedade brasileira. E parece que a sociedade se reluta a se refletir. Então nada novo no front. Ando off. Buscando adentrar dentro de mim mesmo. Não há um bom combate. Pois os que dirigem partidos políticos são ratos e nada mais. Nossa sociedade precisa se repensar e deixar a tirania de ratos. E a vida segue sem vermos nenhuma liberdade de pensamento. Enquanto isto vemos o censurar de quem se joga ao abismo. O grande desafio e andar em meio aos ratos e não se tornar mais um rato. Por isto ando off.
          
JOKA
João carlos faria


sábado, 11 de agosto de 2012




JOKA

Quem não detém o processo de domínio do  Capital não manda e pau mandado ...

Tantas e tantas mentiras nesta sociedade que criamos e não conseguimos realmente transforma la?  Não me conformo. Não sou um cidadão acomodado? E sim em completo desejo de mudar. Mas já não o sei o que fazer? Mas o mar não irá invadir o litoral. E a lei da gravidade não deixará de ser real. Nunca cruzemos os braços na distante São José dos Campos a juventude  se reúne para se debater enfrente a uma instituição de cultura. Estão lá em suas portas, falando do Movimento Hip Hop , mas e ai? Sempre o fizemos, mas sempre nascerão novas formas de ação e reflexão. São José hoje poluída por uma refinaria como brada Ricardo Faria e eu sinto na pele. Mas quem deixará esta vida moderna. Que temos ? Estes prazeres de consumo. Dane-se a saúde das pessoas precisamos do Petróleo para manter esta torpe civilização sem rumo. Este capitalismo que no fim somos fieis seguidores. Em nossa tentativa de viver um padrão de classe média. Se não mudarmos nossos conceitos civilizatórios nos debateremos e morreremos numa imensa tsunami. As pessoas estão doentes a uma imensa epidemia de álcool e drogas pesadas se alastrando pais afora. E o fascismo em forma de governos toma conta desta cidade São José onde a arte esta sendo sufocada. Estamos em prena eleição e não vejo a questão ambiental ser debatida na eleição? E ai José? Temos medo de questionar a poderosa Petrobras? A GM que chantageia a cidade falando em demissão? Porque insistimos nesta bobagem de sermos trabalhadores. Usemos o próprio capitalismo para organizar a economia e criar empresas onde o operário detenha ações. Mas não ninguém quer enxergar soluções. E nos preocupamos com nossas famílias. E a família esta se extinguindo. Jogando seus filhos para serem cuidados pelo nefasto estado o todo poderoso poder público que de nosso não tem nada. Quem governa é para o mercado e não para o povo. Deixemos de ser otarios e nos reogarnizemos enquanto ainda temos tempo? Mas queremos ? Sim queremos? Não vejo isto nos movimentos sociais. E só gente querendo se dar bem. E ai José? Estamos curtindo os podres poderes de um julgamento de um mensalão? Enquanto a corrupção que financia candidatos de todos os partidos e bandeiras esta ai acontecendo. Minha cidade hoje governada por gente nefasta. Acéfalos nazistas. Aqui onde houve o Pinheirinho uma resistência real neste estado de acefalia e carência de lideranças políticas. O povo não tem poder nenhum enquanto não passar a dominar o processo de produção deter O CAPITAL. Deixemos de nos conformar em sermos trabalhadores. E façamos uma transformação inteligente, devemos caminha para uma nova etapa econômica. E não estamos fazendo. O planeta não suporta um padrão de consumo ao estilo Norte Americano. Temos que nos dar conta disto. Não precisamos de tantos carros assim. Ou mudamos nosso estilo de viver individual e coletivo  ou a humanidade tenderá a caminhar para a extinção. Não há outra saída. E eleições não mudam este estado de coisa ganhando partido A ou B. Precisamos  criar uma nova consciência de ação política. E não estamos fazendo. Não há indivíduos que consigam rearticular a sociedade. E precisamos de uma rearticulação a violência não transforma uma sociedade. Somente o agir e o refletir. Mas enquanto indivíduos e sociedade estamos completamente doentes. Devemos buscar a cura para nosso comodismo. Se já não for tarde. Para toda doença deve haver uma cura. Para todo este ódio deve haver um amor que seja maior. Como canta Paulo Rafael ... CIVILIZAÇÃO QUE PERDEU O MARAVILHOSO ....   Ainda estamos na cena ... vivos ... ainda temos algum tempo. E tempo de reconstrução ...
       
JOKA
joão carlos faria

Música de Paulo Rafael .. Tomando o chá com o tal ...


Video

Tomando chá com o tal ...


Finalmente a atual  juventude de hoje ocupando seu espaço. Sempre por volta das oito horas.... Todas as sextas- feiras de uma forma quase espontanea  alguns jovens estão se encontrando em frente ao SESC para se debaterem




quarta-feira, 8 de agosto de 2012


JOKA

O que seria de nós Brasileiros se não houve se a MPB.

Eu que rascunho num velho teclado num dia de ar poluído. Em minha cidade todos os dias os ares andam poluídos nem sempre foi assim. Hoje assisti aos setenta anos de Caetano Veloso poeta genial de nossa MPB. Ele que dá Bahia ilumina nossos corações e chega aos setenta anos. Pasmem senhores o sujeito de inúmeras contradições e com uma obra genial dentro de nossa MPB. Eu que em minha medonha mediocridade já escrevi poemas, compus música, jogo-me de alma e corpo a prosa poeril  e absolutamente sem leitores. Dane-se , mas Caetano é genial. Ícone em nossa sociedade recriador do modernismo lançando a Tropicália junto com muita gente talentosa  e polemica assim como ele. Chegar ao setenta não é fácil. E ainda tendo que aturar alguns Lobões. E joguemos pedra a Geni? Será Caetano uma Geni? Não é muito mais é uma metamorfose ambulante em nossas artes. Ele que sofreu  todas as influencias na Bahia, que circulava pelas universidades e os pensares de nossa Bahia. Caetano é Bahiano, Nordestino é conquista o Brasil e o mundo. Quisera ter o privilégio que Dailor Varella teve de conhecê-lo o ser humano além do mito. Ainda não tive , pois eu cada vez mais interior, longe de qualquer vaidade sendo isto mais vaidade ainda. Pois através de meu mal trapilho discurso a muita vaidade. Mas o que é vaidade e a humildade? Não se pode pensar por si só. Nossa loucura não pode caber somente dentro de nossa cabeça. Não conseguiria dormir se não escrevesse. Dane-se a ausência de leitores. E o mundo gira virá o amanhã. E me lembrarei de rever Caetano. Como cantei para mim mesmo uma música de Cazuza. Ai o que seria de nós Brasileiros se não houvesse a MPB? O cantar no Brasil nos torna vivos eu canto só para mim, mesmo assim sou cantor só eu compreendo minha voz, saboreio meu desafinar. Não tenho a cara de pau de Edu Planchez que também me extasia. Mas falo de Caetano. Nossa riqueza cultural que tanto ataca aos Acadêmicos. Pois ele é artista se recria a todo o momento e percebe as mudanças de época. Ainda não vimos o Índio descer de uma grande nave. Mas sabemos que Caetano estará em corpo ou em espírito. A morte não alcançara Caetano porque gênios não morrem. Afinal ninguém morre simplesmente trocamos de vestimenta. Mas que temos medo deste experimentar a temos e muito e ela morte nos aproxima do metafísico. Faz-nos criadores além da mera mediocridade. E Deus se faz presentes  em nós. Não acredito no ateísmo de Caetano quem escreveu Força Estranha ateu? Ele talvez não aceite é a estrutura das religiões, seitas e todo o mais que vá para os infernos. No cantar de Roberto e Erasmo. Divido-me em muitos quando falamos de MPB. Mas o que virá na arte pos Caetano? Ainda não sabemos não há nada consolidado. Refletimos Tarsila, Oswald, Monteiro ... E tantos que nos dão a base da  reflexão do que é Brasil. A uma feijoada, um pastel. Um pão de queijo. Ouço os tambores vindos da Sagrada Mantiqueira ... Adentro a aonde nossa intuição chega e a razão desconhece. Acesso ao sagrado mesmo sendo profano. E celebro Caetano Veloso. Como a toda nação Brasilis. E tudo se faz e desfaz  nesta nação. E canto a Ciranda de Lia como se fosse nosso hino nacional. E viva a Celebração ao Renascimento da Poesia, quantos e quantos manifestos já escrevemos e ainda poderemos escrever. E a vida segue. E continuo a ouvir Caetano e  a cantalo para mim mesmo.

JOKA
joão carlos faria 
               
------------------------------------------------------------------------------------------------------

ARQUIVO N em AGOSTO Clube DOS SETENTOES TODA QUARTA-FEIRA ás 11 DA NOITE.
E quando o Brasil vai debater seus meios de comunicações ?
Não há democracia sem democratizar as mídias.
PS: São José dos Campos esta poluída devido à ampliação de uma refinaria e este debate esta calado.
Só vozes solitárias como Ricardo Faria e Coimbra alertam.   



http://g1.globo.com/globo-news/arquivo-n/videos/

domingo, 5 de agosto de 2012


JOKA

Educação como podemos nos transformar ...

Com um sorriso bem amarelo ando a acompanhar a festa eleitoral digo amarelo, pois estou meio fora da festa. Uma festa que faz parte de minha trajetória de vida aos dezoito anos filei-me ao PT lá por volta de 1988. E em 2001 sai para algumas aventuras estranhas no universo político. Mas isto tudo faz parte de nossa trajetória sempre me dediquei á vida política e cultural. Embora sempre estejamos com espinhos entrando nas mãos e na alma. Agora com a responsabilidade de uma graduação. E a necessidade de dominar o que a Academia chama de conhecimentos cientifico  e também a necessidade de um ganha pão. A vida é bem rápida , mas nos divertimos pacas. Vejo numa apostila de Teoria e Prática na educação infantil de Fernando Wolff Mendonça um discurso apurado e muito bem construído sobre a educação infantil. Que me dá muita vontade de conhecer esta educação , pois estou acostumado ao ciclo um e ao ensino médio que acho uma forma de educação bem conservadora e vem a base teórica da educação infantil com algo muito mais provocante e  criativo. Quero conhecer ter a base da Educação Infantil para a partir da educação infantil tecer uma critica a educação brasileira. Não consigo vestir completamente a camisa da educação ,pois do jeito que esta constituída acaba mais aprisionando o ser humano que esta se formando do que dando e preparando as asas para grandes vôos. Todos nós  passamos pela educação e para mim sempre foi um ambiente interessante e aos mesmo tempo aprisionador. Vejo hoje as crianças se empolgarem com as aulas de educação física. E fico preocupado com a forma que aprendemos e que passaremos a ensinar? Sei da importância dos conteúdos, como Português, Matemática  , mas e ai a escola só serve para isto nestes nove anos? E mais o ensino médio que  passa a ser obrigatório? Para mim educar e ajudar o ser humano a buscar sua liberdade. E liberdade vai além de independência econômica, passa pelo papel de se reconhecer como parte de uma sociedade saber que temos direito e deveres. E na mesma apostila fala-nos da atuação dos Anarquistas no Brasil no começo do século vinte. E da importância das creches e a educação infantil nos dias de hoje. Mas a educação como um todo esta sendo revista? Mas precisa ser revista e pensada da maneira que esta sendo feita? Precisamos de um debate sério no pais sobre a educação e uma das principais revista sobre educação é a NOVA ESCOLA da Editora Abril que não confio pela  campanha de terrorismo de extrema direita deste pais junto com a famigerada Rede Globo. Mas ai e tema para outros escritos. Mas educação e política não estão divorciadas , pois governos têm o controle da educação nestes pais. E não me venham falar de política de Estado hora bolas quem fazem as leis e as votam a classe política e ela de fato esta antenada e fazendo um debate sério no pais sobre os rumos da educação? Sempre culpa o trabalhador da educação no caso o professor pelos índices baixos de nossa educação. Mas estas provas quem vem de fora e são impostas na educação tem realmente um valor? Não ainda não tenho o embasamento cientifico para questionar. Só sei que a educação é algo fundamental neste pais e precisa ser refletida por toda a sociedade brasileira. Estudada e entendida. E ai cabe as Universidades promoverem o debate? E estão o fazendo? Não sei?  Eu sei que devo construir meu saber e fazer minha critica  e contribuir para o avanço da educação no chão da escola e nas estâncias de debates da sociedade. Estamos decidindo o futuro de gerações inteiras assim como somos frutos das decisões dos anos sessenta e setenta de uma América Latina envolvida no sangue dos golpes militares. Nossa democracia é recente e o debater e construir uma educação brasileira que ajude a formar um ser um humano pleno é o dever de todos nos cidadãos brasileiros lutarmos. Estejamos atentos aos programas de governos dos candidatos a prefeito em todo Brasil , pois a  educação básica é dever dos municípios assim como a obrigatoriedade de instituir creches e a educação infantil. Participemos ativamente  da vida pública do pais ,pois ela interfere nas nossas vidas privadas. O Brasil e America Latina ainda tem uma democracia frágil que precisa ser consolidada. Estejamos alertas.

JOKA
joão carlos faria