Seguidores

terça-feira, 22 de maio de 2012


JOKA

João sabe que não é sábio  e sabe que não sabe ....

João que sendo servo de si mesmo. E aprendendo com Sofia nas ruas. Sente que somos energia experimentando a matéria. João que nunca se acertou dentro de uma sociedade cartesiana. João se descobre cada vez mais mergulhando na simplicidade da vida. No cotidiano e se descobre  João. Antes se achava o cara. E se descobre um. Mas não somos?  João descobriu que deve se desvendar. E esta simplicidade da vida lhe traz paz. E João aprende que nada é definitivo. E percebe os sabores de escritos de muitos autores que leu. E se apossa da pouca sabedoria que tem. Embora João saiba que não é sábio. Viver se torna um belo desafio. Dentro de uma experiência de cotidiano. Mas suas utopias estão sempre presentes. Seus desejos de mudanças. Embora que dentro de seu coração João saiba que nada transformará no mundo. E vê o Kaos e a Harmonia da vida a todo instante. João percebe-se . E mergulha na literatura.  E deixa a vida fluir. Ouve seu coração. Sente suas veias. E em silencio revê toda sua vida e suas ações. E João vê se humano. Percebe a construção das palavras e o sentido que elas têm. E palavras que ainda não foi criado um sentido. E a poesia volta a ser tocada por João e nunca deixou de ser sentida. João aprende a enamorar o Criador. Percebe-se criatura. E ama ao Criador. E João sendo humano sempre erra. E saboreia em suas reflexões seus erros. Pois com o errar se constrói o acerto. E tudo se faz real. Mesmo sendo tudo memória. E o tempo definitivamente não existe. Mas a memória se faz em João. As cicatrizes do viver se faz presente em João. E seus sabores. Amores quase nenhum. E deixa o Universo o guiar. Tudo se torna leve mesmo nos momentos mais pesados. Porque é momento nunca é permanente. Compartilha seus pensares com alguns. E se sente em festa. Mesmo num imenso cotidiano. Pois João descobriu-se João. E se vê diante do espelho. Sem fantasias. Na nudez de seu corpo. E tudo se esvai. Mas o permanente sempre permanente. E João servo de si mesmo. Entre o bem e o mal. E caminha em busca do permanecer. Em uma busca do Ser.

JOKA
joão carlos faria    

Nenhum comentário: