Seguidores

domingo, 11 de março de 2012


JOKA

Educação

A vida é cheia de novidades o que para muitos é algo cotidiano para muitos um desafio enorme. E agora tenho o desafio de escrever textos acadêmicos para minha graduação de Pedagogia. É muito novo ter que aprender novas regras de escrita, trabalhar com citações. Seguir as normas da BNT? Eu que tenho vários vícios de linguagem. E cabe a mim pesquisar e matar mais este leão. E o farei com ou sem ajuda. Caindo de cabeça enfrentando os prazos, mas no final deve valer ha pena. Neste fim de semana fiquei a ler uma apostila de EJA com nosso educador Paulo Freire depois de alguns anos tendo que estudar um monte de escritores estrangeiros que falam de educação depararem com um escritor que retrata nossa cultura e conhece nossa realidade é um grande prazer. Quero ler vários de seus livros. Para  mim quando se falava em construtivismo vinha Paulo Freire e quando chego á faculdade e o encontro com esta figura só vir a acontecer no terceiro ano. Mas valeu a longa espera. Educação é um grande desafio neste pais ou em qualquer parte do planeta. Pois sabemos que não somos enquanto professores dentetores do saber. E sim buscadores de conhecimento. Não só acadêmico , mas também o do viver. Nunca estaremos prontos. E sempre com desafios. Hoje nem sei se irei lecionar. Mas quero completar o curso. Estas inseguranças fazem parte da vida acadêmica , pois nos ajuda a aprofundar. E nada como dialogar com profissionais da área. Joguei minha inquietação no Facebook para pescar respostas. Mandei email. E assim construímos nossa formação. Nosso pais carece avançar na educação, mas não adianta jogar toda a responsabilidades nas mãos de educadores, estagiários. Ainda falta muito senso critico da parte dos professores para enfrentar a mídia e governos que jogam nos todo este peso. Esquecendo-se de suas partes. No Brasil carece de investimento. Carece de inteligência e buscar um pensar dentro da realidade do pais. E por isto Paulo Freire para mim ganha toda esta importância. Assim como o senador Cristovão Buarque que polemiza a questão da educação tendo passado pelo Ministério da Educação ele defende a criação de um Ministério da Educação que cuide da educação de base. Acho que não deve estar errado pena que estas idéias não repercutem. Os vários desafios na educação de hoje com a inclusão que a meu ver é muito mal executada sem ter profissionais adequados nas escolas como psicólogos, enfermeiras, especialistas em educação. Estas crianças na maioria das vezes estão na mão de estagiários que ainda não tem o preparo adequado. E estão nas salas de aulas dividindo a atenção do professor. Só se cobram pais, direção de escola, mídia. E de fato nada acontece. Não que cobre a ação do ex ministro  Fernando Haddad que tem um grande esforço neste tempo que permaneceu a frente do ministério. Mas sempre há muito a ser feito além dos professores terem um salário justo. Para todos os temas que citei da educação já tem pós. Mas e ação por parte do cidadão que não sabe cobrar seus direitos? O cidadão não saber exigir seus direitos e quando cobra só pensa em suas necessidades nunca tendo uma visão comunitária. E cabe a nos educadores colaborarmos para que este senso critico nasça na comunidade. Mas um professor que realmente desperte o senso critico dos alunos. Neste pais esta sujeito a ficar sem trabalho. Pois quem haje assim esta sempre na linha de tiros de direções de escolas, secretárias de ensino. Mesmo com garantias de estabilidade. Pois nestes pais a pressão é sempre sutil de uma maneira que ninguém percebe. E cabe a todos envolvido com a questão da educação refletir e mudar esta conduta. Afinal nestes pais não faz muito tempo que saímos de uma ditadura militar e estes velhos hábitos de repressão estão ai sendo usados. Mudar com inteligência e sabedoria é o nosso papel. Assim deixaremos de ter uma educação só voltada para a imediata questão de preparar uma mão de obra sem nenhum espírito critico. Que acaba não interpretando o mundo que o cerca. Como diria Riobaldo viver é muito perigoso. E tornar-se um educador também o é. Mas o que é a vida sem desafios. E não perdi um fim de semana estudando e sim ganhei em reflexão. E a vida segue. E que todo mundo seje feliz.

JOKA
joão carlos faria   

Nenhum comentário: