Seguidores

domingo, 25 de março de 2012


JOKA

 A algo além do tempo

Dedicado a Paulo Barja que fez um belo cordel para o povo do Pinheirinho.

A noite rasga o dia. E tudo passa. E um dia se fez passado. E eu dentro de hospitais num imenso labirinto. Eu num sarau. As luzes e a tarde se esvaindo quando poemas eram arremessados até nossos sentidos. E a vida acontece. Muitas vezes não como queremos, mas ela acontece. E temos que aprender realmente  a ver e sentir o outro. Ás vezes penso estar só numa grande ilusão. Quando criança achava que estar nessa realidade que para mim era pura fantasia. E que um dia tudo se desfaria em pedaços. Refletia febril sentado em gangorras. Andava pela cidade. Brincava em circos. E a vida passava sem nenhuma preocupação. Hoje ansiemos por ter sem nem sermos. Reclamamos do cotidiano que nos massacra será que não é nos que massacramos a vida?  Temos que apreciar a vida nos bons e nos momentos que achamos ruim. Hoje me vi numa cama de hospital. Sinto não ter jeito para visitar pessoas em hospitais. E um lugar para mim bem estranho me vejo lá um dia quando a morte chegar. Enquanto  isto celebremos a vida. Tenho uma grande exigência estética que nunca consigo alcançar. Para que serve ser perfeito? Não sou e nunca serei ao menos nesta vida e para que preocuparmos com outras vidas? Se já tenho muito a construir nesta. Meus caros quem cria a felicidade somos nós. A realidade se faz dura para quem só vê dureza. Já vivi diversas situações. Já fiquei muito tempo sem trabalhar no sentido de ganhar dinheiro. E neste tempo me enriqueci muito. Atravessar deserto é só uma questão de sobreviver. Tudo só é verdade quando experimentamos. A pornografia hoje para mim não passa de mera ilusão. Porque o que se vê não é vivido. Só é experiência o que se vive. Já vi muitas imagens de Brasília. Mas a verdadeira Brasília foi a que fui e senti. Copacabana para mim é real, pois estive lá. E agora só é memória. Um grande amor só acontece se for vivido. Só seremos místicos se de fato experimentarmos e tivermos a real vivencia mística. E tudo acontece aqui neste exato momento. O tempo para nós ainda existe, pois ainda acreditamos nele. Mas a algo além do tempo. E quantas pessoas matam em nome de Deus?  Ontem vi um filme em que um ônibus inteiro foi fuzilado. E na metralhadora tinha uma imagem  Cristã. Que Deus que manda matar ? Onde esta no Alcorão na Bíblia e na Tora Deus mandando matar?  Só extremistas o fazem. E convivemos há milênios com guerras em nome de Deus. E vidas e mais vidas se perdem. E nunca devemos aceitar isto. E sentimos na pele em minha cidade uma comunidade inteira ser tirada de sua casa. Seguindo só uma lei? Mas que Lei vale mais que o direito a um lugar para se morar? E não conseguimos fazer mais que gritar. E no filme que assisti entendi a impotência de uma comunidade quando uma universidade foi fechada. E sentimos na pele nossa impotência quando os moradores foram tirados. É assim a dura realidade. Mas nunca desistimos de nossos sonhos de nos transformarmos e consequetemente o mundo. A vida só serve para ser vivida e cotidiana é uma experiência rica, pois é vida. E tudo se esvai. E eternamente estamos aqui. E eu longe de minhas praias e de minha amada e eterna Mantiqueira. Que vejo soberana na paisagem de minha cidade. E mais um dia virá. E quantos outros dias. E a vida segue. Vivamos sem medo de ser feliz. Sigamos nosso caminho. Pois tudo passa. Os dias terminam as estações do ano passam. O verão chega ao fim e o Outono ainda não se fez presente. E vou-me embora. Pois temos um deserto para atravessar. E um caminho a seguir. E vi numa tarde um cordelista se fazer presente entre nós. Acompanhado de outro que desceu do Céu em forma de Harpia. Transformando-se num cão que vivenciou a cidade. E clamou por justiça aos povos do Pinheirinho. E todos nos fazemos Pinheirinho á vida segue e a justiça a todos os povos e pessoas oprimidas se fará.

JOKA
joão carlos faria                

Nenhum comentário: