Seguidores

sábado, 4 de fevereiro de 2012



São José precisa se refletir... 
Hoje tive a felicidade de encontrar o ser humano Ricardo Faria, um daqueles grandes jornalistas que temos o prazer de conviver. Hoje o leão estava calmo e pronto para ouvir. Um profissional do jornalismo brasileiro se bem que as imagens que Ricardo cria, tem ali um escritor, poderia nos deixar uma obra de ficção. O homem conhece tudo da cidade e do pais. Uma figura radical em suas convicções. Estava simplesmente trabalhando, enquanto eu estava em lazer. Se é que um cronista e escritor fica em lazer. Ele abordou moradores antigos, de várias classes sociais, com uma grande intimidade e anotou informações sobre a cidade e o caso Pinheirinho, que graças a vontade do povo e de grandes homens públicos como o senador Eduardo Suplicy, não cai no esquecimento. Esta cidade e o país precisa de moradias populares. A  especulação imobiliária toma conta da cidade. Na manifestação de quinta, que aconteceu aqui em São José dos Campos, a imprensa brasileira não cobriu. Essa cidade, pelo que soube,  necessita pelo menos, de quarenta mil moradias. Na cidade de São Paulo um prédio inteiro foi despejado. 
Devemos cobrar  os governos municipais, estaduais e o federal. Estamos nos preparando para uma ilusória Copa e uma Olimpíada, ferindo a autonomia do pais para uma FIFA e o Comitê das Olimpíadas. Isto é ridículo! Gastamos milhões para reformar estádios e construí-los, sendo que milhões de brasileiros simplesmente não tem onde morar. Devemos cobrar de PSDB ao PT, por mais moradias nestes pais. Acho necessário o nascer de um novo partido de esquerda neste pais, que tragam pessoas como Suplicy e o deputado Protogenes, ambos estiveram em São José. A esquerda atual esta viciada em cargos políticos, todos sempre querem ou queremos uma boquinha no Pai Estado. Não é para transformar uma cidade, simplesmente para se arrumar. Enquanto a educação no pais vai de mal a pior onde  professores ganham mal, as escolas funcionam mal, conteúdos defasados, os alunos protegidas pelo Estatuto da Criança e do Adolescente, extrapolam  e fazem o que bem entendem  e nada pode ser feito. Estamos presos a uma grande burocracia. Vivemos num pais que precisa de reformas. E cabe a sociedade brasileira, sendo de direita ou esquerda, cobrar mudanças e  debater. Coisas que não acontecem nos Fóruns dos grandes jornais Nacional e local. Pensei em organizar um evento sobre isto na cidade,  mas estou indo para o ultimo ano do meu curso de Pedagogia, não me sobra tempo e não consegui nenhum apoio. Momentaneamente encerrei o projeto. 
Continuarei a escrever, pois a cidade e o país precisam de vozes discordantes, contra a alienação dos que se dizem ativista sociais. Eu já não estou em nenhum partido e sim no aguardo de uma movimentação que transforme a política nacional que nos livre da corrupção endêmica que há no pais. As empreiteiras, lobistas, grandes empresas são sócias do PSDB e PT. Cito os dois partidos, pois representam os pensares nacionais. O PT ainda com um viés humanitário. E o PSDB cada vez mais autoritário e  acefálico. Hoje fiquei sabendo, em plena Praça Afonso Pena que nessa cidade que amo, morreram pelo menos cem pessoas na ditadura militar. E cadê a justiça a estas pessoas e suas famílias?  Simplesmente denunciava-se uma pessoa por qualquer motivo. E este país continua sem memória. Mas a cidade sempre teve resistência. Na morte de Getulio houve confusão social na cidade,  uma população inteira entrando em confronto com a policia na época. Minha cidade sempre teve resistência. E hoje, vejo uma juventude se levantar, como o fizemos no Fora Collor. 
Chega! O Brasil carece de novas idéias e ações nos movimentos sociais. Chega de acéfalos achando que conduzem uma transformação social. Acéfalos vão continuar os mesmos brados e ações de vinte, trinta anos atrás, não tem uma leitura e uma reflexão do mundo de Anonymous, Hackers, ataques cibernéticos. As revoluções acontecem nas ruas, mas com reflexões. Estudos e ações com solidariedade ao próximo. Enquanto nos degladiamos e disputamos cargos que não existem, o cidadão do Pinheirinho sofre a ameaça de estar na rua. Esperamos que o governo federal tome a atitude sensata de desapropriar o terreno do Pinheirinho. E cobramos isto dos nossos candidatos. Que entrem nesta briga, mostrando para nós cidadãos, que podemos ter uma grande liderança política na cidade. Nossa cidade precisa de mudanças. Precisamos de lideres. Precisamos nos tornar lideres. Mudanças já. A revolução acontece nas ruas.
 JOKA
João Carlos Faria

Nenhum comentário: