Seguidores

segunda-feira, 14 de novembro de 2011


JOKA

Versos a luz. Fiat lux ...

Chove ... E o dia se vive, nossos corações batem. Respiro o ar da cidade. Sinto o cheiro da chuva mergulho na densidade. Meus mais estranhos desejos afloram. Deixo os passar? São repetitivos. Como é o desenrolar das vidas. Estamos de passagem. E este planeta leve a dançar no universo. Leio as Suratas.Adentro a uma cultura que ainda não absorvi. Se é que me reconheço nos reconhecemos em nossas culturas? Canto e imagino ou tento ver como foram passadas ao Profeta estas Suratas. Deus tem infinitos nomes. Desculpem não sou teólogo. Tateio-me no escuro. Quando adormeço vejo só a penumbra em outras dimensões. Minha   alma ainda esta escura?  Ainda não alcancei a luz?  Nunca sei de nada?  Não fiz fogueira. Nem subi as montanhas. É tão estranha a cultura muçulmana esta tão  próxima de nós. Fala-se em Moises, Davi. Homens tão familiares a mim. A você. Então porque nos deixarmos levar pela mídia pelo poder oficial?  Deixemos nossa consciência nos guiar nesta caverna sombria. Uma simples vela pode nos fazer sair deste imenso labirinto. Eu nunca sei. Nunca compreendo. Só busco uma simples luz.Tudo é vã ilusão. Mas como deve ter sido maravilhoso aos olhos do profeta sentir a presença de Gabriel. Tudo passa, mas fica registrado nas retinas do Universo. A revolta dos Males na Bahia do século dezenove. Ali se trouxe a cultura Islâmica para esta nação. E tudo se expande. Tudo flui. Dou minhas voltas em torno de mim. Danço danço danço. Para deixar de pensar. As cirandas se fazem em mim. Deus habita minha essência. Canto mesmo com minha voz desafinada. Mas canto e me encanto com Deus. Dancemos cirandas em reverencia ao universo. Nós somos o templo. Nós somos a Igreja. O universo se faz em mim. Não sou. Ainda serei? Caio de joelhos perante ao Universo. Caio de joelhos para desvendar o Deus que me habita. Desculpem ainda não me declaro feliz. Não posso ter esta ousadia ainda sinto-me incompleto. Ainda sinto-me imperfeito. Ainda não cheguei ao circulo. Danço a ciranda em Pernambuco? Onde esta Lia de Itamaracá. Vou-me embora. Não me faço presente. Ainda ego, ainda Maya. Tudo ilusão, tudo passageiro  ,mas chegarei á luz. Verei o arder da Sarça. Não me fiz homem. Mas homem serei. Sinto a presença do Universo. Dessfaço-me em versos.      

JOKA

joão carlos faria

------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

JOKA

Pensares

Dedico este texto a abda Almirez que primeiro me trouxe as informações da cultura Islâmica. Nos tempos da Irmandade Neo Filosófica. E agora me reaproximo através de outras pessoas. A cultura Islâmica vem sendo debatida. Buscada enquanto os Donos do Império tentam a destruir. Mais as pessoas buscam saber sobre ela. Como se pode no Ocidente cogitar-se querer invadir uma nação soberana e pacifica como o Irã que hoje produz um cinema que nos traz novidades. Que nos mostra um povo pacifico. Estes donos do poder. Que destroem as economias da Europa. Que maltratam o povo. Que impõem suas ideologias tecnocratas. Fiquemos atentos não nos enganemos diante da ilusória mídia.

JOKA
joão carlos faria
   

Nenhum comentário: