Seguidores

quinta-feira, 17 de novembro de 2011


JOKA

A LIBERDADE É UMA CONSTRUÇÃO DIÁRIA

Ó seca que seca na alma. Nos pensares nos amares. Alguém me contou que quando cuidava de um lote na limpeza. Próximo a um deposito de lixo achou um livro de capa negra sem titulo. Deu uma limpada e o levou para casa. Quando abriu o tempo mudou, trovejou, relampejou. Caiu uma tempestades desça das mais fantásticas. Que pena teve medo e queimou o livro. Queimar o conhecimento contido num livro. Que coisa o saber pode-se usar sempre para o bem e o mal. Lá vem eu com meus clichês. Que coisa. Mas tudo se vive. Mas tudo não se repete entre a fecundação o nascer, o crescer o morrer. Não devemos ter medo do que ainda não conhecemos. Neste Universo existem tantas leis que desconhecemos. Vivo como  um Visconde de Sabugosa. Entre livros físicos e virtuais. O conhecer é uma sede é o experimentar mais ainda. Para mim cem anos parece pouco. Eu acredito em retorno em voltas e mais voltas. Será que já não tenho mais o medo do escuro? Este contar desta pessoa me fez lembrar Edgar Alan Poe os livros dele eu devorei. E se novamente caírem em minhas mãos os devoro. Estudar Pedagogia cria-me a necessidade de fazer coisas táteis aprender a desenhar, tocar um instrumento fazer teatro. Fazer artes plásticas para sensibilizar os alunos. Sou por demais cerebral necessito o frio das ruas. O cheiro da terra. Por a mão no barro. Vencer meus limites em minha coordenação motora. Não ser tão só cérebro. O conhecer experimentar esta em tudo. E olha que brinquei com bola de gude. Machuquei-me com carrinho de rolimã, caia de bicicleta e me aventuro pelas trilhas para achar cachoeiras quase selvagens. Mas para sermos professores temos que ir além do conteúdo cientifico. Além das provas. É experimentar junto com crianças. E usar um computador. E um livro. É fazer buraco num espaço qualquer da escola. É sair pelo bairro onde as crianças moram. É viverem junto com elas os desafios da vida. Viajar com alunos não importa que idade tenham. Sim já conheço a burrocracia das escolas, cadernetas, muitas reuniões que não dizem nada. Um planejamento que nunca sai do papel. Uma má vontade para se fazer projetos envolvendo uma escola como um todo. Mas isto é um clichê que um pais inteiro pode superar. Não precisamos pensar só com os pensares que os homens da educação.Pensemos por nós. E ai faremos e construiremos novas realidades. Já vi na minha vida muitas aulas ruins ás esqueci as boas sempre lembro e posso refazelas com meu saber. Tudo se transforma, devemos levar as escolas muita arte.Muita filosofia. Muito prazer pelos livros, pelo uso de computadores, dispositivos móveis. Seja em qualquer parte deste planeta. Educar é aprender com o outro e buscar algo bom que temos e não sabemos. É vencer nossos medos. Superar anseios. Enfrentar limites. Sinceramente não sei desenhar , mas aprendo. Não sei cantar afinado , mas aprendo. Tudo se aprende do nascer  á morte. O próximo sempre tem mais de nós que nós podemos imaginar. Educação deve ir além da formalidade de governos, estados, pais. É algo é uma intimidade entre alunos e professores. Que a escola atual tenha muitos professores numa só sala é bom. Trabalhar em equipe é melhor que trabalhar sozinho. As adversidades nos mostram nossas verdades. Enfim educar e se reeducar constantemente. Uma escola pode  deixar de ser um ambiente de sutis repressões para realmente torna-se livre. E mostrar que voar nos torna HUMANOS.

JOKA
joão carlos faria        

Nenhum comentário: