Seguidores

quinta-feira, 10 de novembro de 2011


Fonte site www.entrementes.com.br

Assim já é demais!!!!!!! Ignorância ou Provocação?

Prezados(as),
Vejam (anexo) que o jornal Ovale de hoje, 10/11/2011, chama de ACAMPAMENTO a favela do Pinheirinho, estabelecida, por ocupação, há vários anos na cidade!
Sei que alguns(mas) de vocês também haverão de estranhar a denominação favela, por mim utilizada, tanto motivados pelo “politicamente correto” estabelecido a partir do RJ, que é de chamar a velha e conhecida favela de “comunidade”, mas principalmente porque o Emanuel Fernandes (apoiado por todos os neofacistas e “higienizadores” que vem dominando a nossa cidade por quase duas décadas) decretou, ainda quando estava na Prefeitura, antes de colocar o Cury no seu lugar, que não existiam mais favelas na cidade (hoje temos mais favelados do que nos anos 1980 – auge da crise de desemprego – em função da expansão do Pinheirinho).
Por que a denominação ACAMPAMENTO? Eles nem chamam mais de INVASÃO! Será para proclamar EFEMERIDADE? Algo PROVISÓRIO? FACILMENTE REMOVÍVEL? Ou é para tapar o sol com a peneira, para disfarçar a incompetência e a falta de interesse do poder público local, que , com tanto dinheiro e poder, não tem conseguido solucionar o problema do Pinheirinho!
Quem sabe!
Abraços,
moacyr pinto

JOKA

A revolta da Maconha

Oi Moacyr estou voltando de uma leitura da Caros Amigos de Outubro com vários temas no SESC de São José dos Campos. E hoje percebi em meus contatos na cidade que o povo anda a ler este site. Que textos de autores daqui estão sendo reproduzidos em outros sites.Isto é bom porque a net nos dispersa. E é um trabalho de formação e fermentação ter um site como este parabéns a editora Elizabeth Souza. Pela iniciativa entre os livros que vi na sala de leitura tinha um mostrando alguns cidadãos comuns na historia. Depois veio uma linha de nomes de nossa elite branca.Lógico lembrei-me de você da Sonia Gabriel que fazem estes trabalhos de resgates. Tenho sempre um pé atrás quando se trabalha o folclore nesta cidade  acredito que tem um viés de elitização e de manter certos costumes. No português claro faça só isto e não evolua.Nossa sociedade anda muito reacionária e as vezes as esquerdas mantêm este padrão REACIONÁRIO.Um texto da Caros Amigos da jornalista Lúcia Rodrigues questionando as faculdades a distancia me mostrou isto. Do que li hoje salvou o que fala do processo de desindustrialização do pais pelo jornalista Caio Zinet.. Em virtude do incentivo a especulação financeira. E uma bela entrevista com o diretor Antunes Filho que nos fala de arte, indústria cultural e uma aproximação do PSDB com o PT ? Enfim a revista mais a esquerda do pais as vezes cae na direita. Só sei que no pais faltam editoras que dêem o acesso a uma nova gama de intelectuais, artistas, pensadores. Coisa que o Ministério da Cultura deste pais não faz. Cabe a nós deixarmos de sermos bairristas e entramos na luta da cena artística,política destes pais. E nisto um Manifesto de  Sérgio Vaz  que realiza sarais nas regiões periféricas de São Paulo nos mostra.No mais Moacyr estamos ai revendo o que é direita, centro e esquerda. Tentando entender Marx e dar vôos mais altos. Nisto temos que ler e reler Darcy Ribeiro, Guimarães Rosa e tantos outros.Enquanto isto os alunos da USP  filhos de papaes fazem suas revoluções para poder fumar sua maconha sossegada mente e fumando vão conseguir refletir nosso pais de uma maneira bem zem? Faço faculdade a distancia e eu como milhões de brasileiros se não fosse a distancia não conseguiria fazer uma faculdade. Cabe aos governos fiscalizarem as universidades , mas democracia de verdade é quando temos os meios necessários para gerar mudanças e educação transforma o ser humano.E nós do povo não temos tempo a perder e nunca iríamos perder neurônios fumando maconha o povo quando quer se autodestruir vai é na cachaça mesmo.Um grande abraço. E a luta nunca acaba. Só se transforma.

JOKA
joão carlos faria   
 .         

Nenhum comentário: