Seguidores

sábado, 13 de agosto de 2011


JOKA

Sem destino

Jazz a alma , cansada da luta e da ausência de luta. Tudo é um sonho. E morro a cada segundo. Sonhos débeis. No calor desta tarde a ler poetas. Não são profetas , mas simples poetas. A vida é estranha alguém pensou em suicídio esta idéia já me veio a cabeça , mas como canta Guimarães Rosa viver é muito perigoso.Prefiro o perigo da vida ou a falta dele a morrer antes do prazo temos prazo de validade? Envelhecer a cada dia é estranho. E sem ninguém para amar. Sempre achei que deveria casar depois dos trinta. E aos quarenta e dois ainda só. Vivenciar o mundo oculto é fascinante. Crianças brincam no pátio da escola com suas varinhas mágicas são todos Harry Potter sonhando ter vários poderes. E não sou. A magia me é mais fácil e ao mesmo tempo difícil. Para que termos poderes? Só quero o poder do amor. Amo a mim mesmo. Devo amar ao próximo. Tento desvendar-me. O sono da tarde sempre vem a mim. Divido meu dia em antes de dormir e depois e sei que ainda não despertei? Sei que a política é uma ilusão. Mas sei que devo sempre encenar. Pois vivemos num grande palco. Acabo de ver as Viagens de Gulliver. E ai mais um filme que não me diz? Mas sempre a algo. Já não vou a cinemas. Não me é recomendado. Adormeço quando tento despertar. Devo acordar. Esta tarde de sábado não é igual a nenhuma outra tarde de sábado. Por mais que vivamos as rotinas. Tudo pode não ser rotina. A milhões de apostilas a estudar. E sei o que devo ou não fazer? Ontem assisti ao final de Easy Rider em bom português Sem destino. Que filme. Parecem os atuais filmes de arte. Quero fazer um cinema clandestino. Já tenho uma câmera e não sei juntar pessoas que estejam a fim de fazer. E daí façamos mesmo assim. Já não sou  nenhuma merda. Ou sou uma grande merda. Que dor de barriga. Gosto da geração Beat. Ela sempre buscou caminhos. Também gosto do Budismo Tibetano. Dá Gnose. E tudo que ainda seja arcaico soa novo. Nestes tempos difíceis. Não sou e nem sequer somos? Tudo nos é permitido , mas nem tudo é licito. Minha droga é tentar pensar. E buscar resistir. Não sou. Já não vou ser. Já não quero ser. Só o Ser me satisfaz. Quando sonhei estava cercado por professores drogados? Numa casa num centro da cidade? Ou na periferia de um inferno qualquer?  E ai não sou. Repito algumas idéias de outros autores dentro de meus textos que culpa tenho eu?  Eu os como, os mastigo. E sorvo suas idéias que passam a ser minha e me sobra estas heresias que chamo de textos. Faço parte da humanidade e como ela ainda sou desumano. Outro dia me avisaram  que citei Krishina Murti como idéia minha. E ai Raul Seixas fazia isto e daí era uma grande figura?  Não sou figura nenhuma. Estou aqui para aprender com estas figuras. E as pessoas que me cercam. Gosto de ver  as crianças brincarem gosto da sinceridade das crianças   devo voltar a ser criança. Devo encerrar este texto. E não encerro. Não sou. A tarde se faz tarde nunca escrevo á tarde. Mas acabo de ler Claudio Daniel alguém que tem uma boa musicalidade em seus textos. Acabo de ler as indagações de Rynaldo Papoy. Tudo num site de relacionamentos. O computador e a internet são armas tão perigosas e mais incontroláveis que qualquer arma de destruição de massas. Elas constroem e destroem pensamentos. Criam uma nova realidade. E ai e daí? A um abismo que nos cerca? A vida acadêmica me ajuda a refletir. Mas devo não pensar. Pensar cansa. Deixar a mente se esvaziar e sorver as informações do universo tornar-me uma estrela parabólica. Toda a sabedoria do Universo esta ai a nós cercar. Não devemos nos perder a ignorância do cotidiano. Deixemos que este mundo da industria cultural nos pare de influenciar. Nunca fomos pop star. E nunca seremos somos absolutamente normais. O desajuste faz parte de nós com também o ajuste. Passaram um café. O cheiro me seduz. Hoje é sábado vou tomar banho, dormir e talvez sair por ai Sem Destino.  Jazz a alma , cansada da luta e da ausência de luta. Tudo é um sonho. E morro a cada segundo. Vou me embora cadê Pasárgadas? Onde fica LILÍPUTI?  Quando algum extraterrestre me deixará fazer um passeio para alguma estrela qualquer? Vou-me embora SEM DESTINO. EASY RIDER.

JOKA
joão carlos faria


Nenhum comentário: