Seguidores

domingo, 7 de agosto de 2011

JOKA

O CÉU POR ASSALTO

Dedicado a Harley Campos

Na noite em que as estrelas parecem adormecidas, desligo todas as minhas formas de comunicação externa e adentro dentro de mim. Na busca que dentro de mim trarei algo a luz? Meus sonhos se confundem com esta realidade passageira. Somos cegos aderiva com nossas multiplicidades agora faço isto e daqui a pouco o contrario do que fiz. Não entendo nada daquela montagem de Beckett e mesmo assim gosto de ver as montagens que são feitas deste autor. Tudo para mim é confusão o kaos se faz presente dentro de mim. Na era da comunicação na verdade não nos comunicamos. Este mundo se condena cada vez que somos mais e mais egoístas. Não nos preocupamos com nosso próximo de uma forma verdadeira.Vivemos para saciar nossa mentira hedonista.E só nos restará o vazio. A morte nos espera em qualquer esquina. A qualquer momento. Grito silenciosamente. Adoro aquele quadro de Edvard Munch ela fala ao meu inconsciente.Meus caros em nossos sonhos se extravasam nossa moral ou nossa falta de moral? E não somos. Sinceramente não temo o inferno? Quero tomar O CÉU POR ASSALTO. Chega de descer as escadas infernais. Compreender os significados ocultos nas sábias palavras dos que sabem não é fácil. Juro que não sei.E busco saber. Devoro livros, dialogo com amigos e inimigos. E nunca nada sei.Penso e reflito todas as minhas más atitudes. Tento e ás vezes consigo escapar das garras de minhas luxúrias. Minha luxúria me leva ao abismo.Descubro em mim a violência de uma imensa inveja. E morro de vergonha de meus não atos. Pois se fazem só em pensamentos. Gostaria de não ser.Mas estou aqui há quatro décadas e não sei quem sou? Desfaço de minhas mais torpes ilusões. Crio um mundo luxurioso em minha mente.E ai de mim ai de mim ai de mim. Para livrar-me destas doentias ilusões.Sou cadáver andante. Escritor sem leitores. E não me decifro. E não te decifro? Não consigo decifrar aquela montagem. Mas amo aquelas pessoas elas compartilham comigo os desajustes. Somos enfim OS DESAJUSTADOS. Afinal quem se ajusta a um sistema doente. Não pode ser normal? Ser contra, rebelar-se ante as mentiras da vida é ser saudável. Meus caros o sistema capitalista já ruiu e não acreditamos? Nossa civilização já esta em sua demorada agonia. E tudo se faz Kaos. Sou poeta? Se sou poeta, sou poeta do Kaos. E ainda escreverei um romance inspirado em nossa geração intitulado OS DESAJUSTADOS.
Harley Campos me intriga com sua insistência em Beckett. E me comove.Por isto sempre me assusto. Estas pessoas me refletem. Ainda vejo-me nelas. Um dia quem sabe não me verei. Não sou imortal enquanto personalidade. Mas imortal enquanto criatura nascida da luz. Então porque ainda sou trevas? Que a luz vinda das mais longicuas estrelas chegue a mim. E que prometeu me traga a luz. Que o Cristo renasça nesta doente humanidade.E nos traga a fé. A luz. Pois há uma centelha de Deus ou Universo como dizia Solfidone dentro de cada um de nós. Amém amém amém.Fiat lux
       
JOKA
joão carlos faria

Video Ato sem palavras


                        

Nenhum comentário: