Seguidores

quarta-feira, 13 de julho de 2011


JOKA

Uma visita a Flip 2011.

A cidade se faz presente dentro e fora de nós. Transpus as fronteiras de minha cidade e cheguei a Paraty. A Flip é uma festa memorável. Assim como a cidade de Paraty. O mundo gira e nem sempre estamos onde queríamos estar. Mas onde devemos estar?  Tudo é infinito. E o tempo nos leva. Mas as memórias ficam. Ser é algo que se conquista aos poucos. E caímos milhões de vezes em nosso próprio abismo. Esta vida e estas personalidades são finitas. Mas o que se faz adentrar ao coração se faz eterno. Ter estado no meio daquela gente toda. Para mim é realizador. Quando chego a alguma festa ou algum lugar imediatamente dá vontade de voltar. Minha  casa  esta dentro de mim. E não é onde moro. Este planeta todo é minha casa. Preciso fazer isto adentrar ao meu coração. A vida é curta.Estou vendo alguns documentários sobre o velho rock in rool.É uma cultura nascida no século vinte que ainda se faz presente.Que esta vivo naquele cantor anônimo num vídeo que gravei em Paraty.Sei que tudo passa. Mas viver vale á pena. Deixemos de ter medo da vida. E a arte nos mostra isto quando de fato é rebelde. Quando não se faz para se encarar como produto. E a política também esta ai para provocar mudanças. Precisamos mudar a nós mesmos. Analisarmos nossos defeitos e nossas qualidades. A vida é uma eterna guerra. Dentro de nós a muitos e muitos conflitos. Pois muitas vezes nos sentimos numa caverna sombria. E muitas e muitas vezes nos deixemos massacrar pela rotina diária. Não estamos num eterno fim de semana. A FLIP é só um momento. Um êxtase. E logo voltamos á dura realidade. As férias passam e advêm a rotina. E ai gritemos. Como gritaram os Pankes. Numa segunda qualquer  vi uma garota Panke circular pela cidade. E causava estranheza me vi ali. Quando fazia minhas performances. Que não sei se farei de novo? Quero participar de um espetáculo qualquer. O anonimato para quem observa o mundo é vital. Mas tem hora que o personagem da cena somos nós. Adoro Paraty quero voltar lá ainda muitas e muitas vezes. A cidade tem um ar de liberdade. Embora realmente exista liberdade sem conhecimento? Mas que pelo menos tenhamos a liberdade estética. Para que cheguemos á liberdade. E saímos desta caverna escura. E alcancemos a luz solar. Que venham outras mostras e outros festivais em muitas e muitas partes deste planeta terra. Quero estar presente. Deu-me uma vontade de conhecer Ouro Preto,Veneza.
Paraty é uma utopia que se faz realidade com suas inúmeras festas.Com suas praias, ilhas. Com a exuberante Vila de Trindade. Ainda volto ainda chego ao Rio por aquela estrada. E o Rio de Janeiro continua lindo no bem e no mal o Rio tem a alma do Brasil.
Estamos ai. Que eu vá e você também inúmeras vezes a este Estado destes pais chamado Brasil.
Estamos ai somos cariocas de corpo e alma.     

JOKA 
joão carlos faria



Nenhum comentário: