Seguidores

quarta-feira, 23 de março de 2011


JOKA

Uma passagem na eternidade

Enquanto um vizinho faz chorar sua viola. Tento rascunhar estas palavras. Na sobra de tempo. Se é que o tempo nos sobre?  A vida é feita de autos e baixos e de muitas rotinas. Tento entender as rotinas? Tento é me livrar delas e do senso bem comum de que a vida acontece num fim de semana ou em algum feriado prolongado. Porque hoje temos que viver como robôs nos permitindo tomar um banho de mar. Ou curtir uma cachoeira só num fim de semana? Ou assistir a um espetáculo de teatro ou ver amigos só em fins de semana? A vida é muito curta e pode ser muito rica?Ou pobre demais nos que fazemos as escolhas? Por qualquer desatenção podemos deixa - lá. E ai do que nos servirá todos nossos projetos para um futuro inexistente? É melhor arriscar tocar uma viola desafinada. Declamar um poema mal feito. Lançar um livro mal diagramado. E muitas vezes mal escrito. A perfeição é conseqüência do fazer. E para se chegar a um bom livro se passa pelos fracassos. E descaminhos. É ai José? Estamos bem longe de Pasárgadas. Aqui não tem Rei? Nem as mulheres que queremos. Se o que fizemos não nos fez chegar onde queríamos paciência. Mas na maioria das vezes o que queríamos era alcançar Castelos de Areia? Ou imaginávamos que muinhos de vento eram grandes gigantes. Somos cegos? Não vemos nenhuma luz? Nossos desejos são limitados. Ás vezes curtir dois pássaros num fio de um poste é bem mais interessante que alcançar qualquer objetivo de ter e poder. Porque não ser discreto? Estamos presentes no mundo estamos vivos. A maturidade nos faz mais críticos e mais seletivos. Basta nos sentirmos vivos. Se nos ligarmos ás rotinas nos prendemos a elas. Esta vida é um intervalo uma passagem na eternidade?  Então parece que todos os poemas que lemos. Todos os livros sagrados. Todas as religiões porque passamos não nos servem de nada? Parece que sempre somos os mesmos e como canta Belchior vivemos como nossos pais? Chega de sermos medíocres. Vamos celebrar a vida. Vamos cantar e tocar. Vamos ás pistas de dança. Aos bons saraus. Descobrir os melhores livros. Aprender a estudar de fato. E não empurrar com a barriga. Não precisamos de nenhum livro de auto-ajuda. A força esta dentro de nós e não fora. Busquemos deixar de sermos os de sempre e sejamos novos. Que nasça dentro de nós um novo ser humano. Com vontade de mudar. Com sabedoria para discernir o que é bem e mal. E ir bem além do bem e do mal. Criemos uma nova sabedoria política. Criemos uma nova arte. Devemos descobrir dentro de nós a religação com o universo. Sejamos mulheres e homens de verdade. E não de mentira. E não de fachada. Na simples aparência. A felicidade esta dentro de nós. E nunca esta fora. Basta nos descobrirmos. Ir além de nossas máscaras. Que se quebrem todas nossas máscaras. Matemos nossos personagens. Nossos eus. Deixemos nascer nossa essência. Ainda não somos. Um dia quem sabe?

JOKA

joão  carlos faria  

Nenhum comentário: