Seguidores

terça-feira, 8 de março de 2011


JOKA

Moradores de Rua

Em um passeio em São Paulo ontem o que me deixou incomodado numa bela cidade foi o desamparo em relação á população de rua. Como nós Brasileiros ainda achamos normal conviver com esta marginalização. Moradores de rua infelizmente não é um privilégio da Capital Paulista é um problema complexo. Mas pode ser resolvido. Num texto que li hoje de Rubem Alves ele coloca porque temos que complicar tudo é dificultar o aprender a ensinar. E sei que posso passar este pensamento para a questão social. Não adianta a sociedade por conta própria tomar atitudes via associações ás chamadas ONGs. Pois ai governos intervém com sua burocracia. Já vi várias vezes que a simples distribuição de comidas por voluntários incomodam a governos. Então cabe a nós cidadãos que nos dizemos politizados cobrar ações eficaz por parte dos governos municipais, estaduais e federal. Cobrar junto á câmara e do senado nossos parlamentares. Esta injustiça social não cabe mais a um pais que se gaba e alardeia um crescimento econômico. Eu sei que a questão das ruas é complexa. Os problemas desde alcoolismo, doenças mentais e até falta de emprego cada pessoa é um caso. Mas daí a não dar opção a estas pessoas e até famílias é um absurdo. O governo estadual fala em bolsa aluguel então por que não o faz?  Porque estas pessoas não têm auxilio à bolsa família? As frentes de trabalho? O que não podem é estarem sujeitos a sofrer violências com serem queimados vivos. Como acontece em vários locais do pais. A serem barbaramente assassinados. E depois a opinião pública fica toda sentida e vira-se um caso de comoção nacional para depois tudo continuar do jeito de sempre em resumo nada acontece. Esta gente não tem quem as defenda por infinitos motivos estão nas ruas. E cadê nossa base Cristã. São Paulo hoje tem um bom policiamento e uma guarda municipal eficiente. Mas e ai? A questão do morador de rua é social e econômica. Reflete o desequilíbrio da sociedade capitalista. Mostra a pequena distribuição de renda. A falta de religiosidade numa sociedade que se baseia no ter e não no ser. É um problema que precisa de soluções afinal com gente não dá para se varrer para baixo do tapete. Estas pessoas estão ai esticando as mãos para nós. E se não tiver solução vão esticar uma arma em nossas cabeças. Uma facada em nossos corações. Virando caso de policia. Evitemos mal maiores busquemos soluções. Que venham de nossos corações. E não só de nossa fria razão. Quando deixaremos de ser uma civilização disfarçadamente fascista?


JOKA

joão carlos faria
                 

Nenhum comentário: