Seguidores

domingo, 9 de janeiro de 2011


Caro leitor texto totalmente sem revisão gramatical por motivo de danos ao computador aguarde em breve volta ao normal.
PS Algúem lé este blog.
Bela foto de Brisa Almeida de um JOKA bem Frankestein no Poesia no Prato no Univap centro de São José dos Campos SP Brasil 



JOKA


O que Paris pode nos trazer de novo ?


A poética tem suas versatilidades esta na vida e na arte. Ser poeta é ir além de escrever um certo estilo literário. É tentar perceber o mundo com outros olhos. Portanto estamos sempre na busca de ser poeta. Embora eu me considere mal muito mal enquanto ser humano sou o apice do egoismo.
E também mal poeta ? Po isto atualmente me rotulo de escritor. Devo ser mal escritor também.Escrevo para me expor e me refletir. E tentar traduzir o mundo a minha maneira.
Mas irei além do bem e do mal. Por estes dias assisti por inteiro ao filme Não estou la de Todd Haynes livremente inspirado em Bob Dylan. A tv paga tem estas vantagem de repetir os filmes e series. Então vi este filme do começo ao fim. Ultimamente ando a ler e ver obras que para mim leva um certo tempo para serem digeridas. Elas acabam fazendo parte de mim e atingindo minhas emoçoes. A vida e a absorvição da vida nunca pode ser só pelo racional pelo que planejamos. Ontem estava curtindo alguns passarinhos comendo mamão num pé. E ando as ruas e não consigo ver pessoas.
Parece que quero me isolar cada vez mais. Por isto amo a Serra da Mantiqueira e suas possibilidades de contato com a natureza. Me identifiquei com o filme e com a poetica de Bob Dylan. As letras eram traduzidas para nosso Português bem brasileiro. É nestes quinhentos anos criamos nossa própria língua. Mas as pessoas me irritam com seus carros em sons altos trafegando
pelas ruas. Ontem curti o silencio de uma praça a noite quando voltava de um shoping. A praça estava vazia no ponto só eu e uma moça. Dava vontade de pegar o onibus do Taquari um onibus que leva ao bairro rural daqui de São José dos Campos já no inicio da Serra da Mantiqueira. Que nos dias de hoje tanto me fascina.
Um escalador esta preso nos alpes da Argentina sei que se ele morrer o fará feliz. Em meio a natureza. Ao que gosta de fazer. Uma amiga sonhou que eu estava em Paris ledo engano dificilmente irei a Paris com grana disponivel para turismo iria ao Amazonas, Pantanal e Patagonia. Até ao Caribe. O que Paris pode me trazer de novo?
Disse ela que lá e ponto esoterico de grande tradição e dai? O Conhecimento e as percepçoes estão dentro de mim e dentro de você. Não estão fora. Quero todas as liberdades nos mais variados sentidos. Pois à vários sentidos de liberdade. Cada palavra tem seus vaŕios sentidos e significados.
Estamos bem presos a materia e nossos parcos sentidos. Um filme como eu assisti Não estou lá reflete isto. Com suas varias historias e personagens interagindo. É um filme para darmos continuação em outros filmes e outras obras. Que pena que a música de Paulo Rafael já não esta disponivel na internet. Ela ilustra e muito o que estou refletindo no momento. Mas com um facao ele arrancou sua obra do universo virtual. A obra pertence ao artista depois de publicada?
Tantas bobagens que já publiquei e não tiro do ar. Deixo lá são fases que passam. Mas cada um que faça o que quiser. Os personagens do filme são livres a sua maneira. Também lá vemos Arthur Rimbaud que dá vários depoimentos sensacionais durante o filme. É que o diretor se diz espirita veio ao Brasil e pegou vários depoimentos e pos no filme.
Tem também uma passagem com Bruce Wilians e Charles Bronsom onde matam todos os personagens e Francisco Cuoco no papel de Deus os resucita. E assim segue o filme. Cheio de grandes novidades. Um filme mágico que quando aprender a fazer roteiros irei fazer. Por enquanto vou escrevendo para este universo virtual. A vida é magica e a algum sentido nela? Vivemos sós. Sempre estamos sós mesmo quando acompanhados. A solidão faz parte de mim. Talvez isto ainda não compriendemos e por isto consumimosmo a todo vapor. E não conseguimos aprender a meditar.
Caiamos na real somos sós. Estamos sós. Se apredermos isto deixaremos de estar sós. E deixaremos
nossos vicios e pecados. Que nos fazem caminhar para a autodestruição.
Viver é o melhor remedio contra a solidão e as frutraçoes de hoje. Sei que como o restante da quase
humanidade estou doente. Quero sair deste meu abismo. Quero deixar meu inferno. A noite esta agradavelmente quente. Por aqui não choveu porque tentamos nos enganar as chuvas vão até abril.
O verão no sudeste do Brasil é a estação da chuva.
Depois deste filme darei vez e voz a todos os poetas que passaram pela humanidade frequentarei o mesmo centro espirita que frenquentou Todd Haynes e os roteiristas do filme.
Ser escritor é fazer o bom uso da mentira. Para criar é necessário inventar. Todos os livros que li estão dentro de mim os mastiguei um a um. Todos os filmes que vi adentraram aos meus olhos.
Dentro de mim a muitos artistas. Eu sou uma multidão em um. Sou multiplicidade. Para a palavra LIBERDADE há muitos significados e também para a SOLIDÃO.
Sendo eu uma multidão em um nunca estou só?
Conheci um poeta de passagem pois não ficou. Que rasgava pagina a pagina os livros que lia e os mastigava.
A vida é cheia de gente magica. Que depois se fecha e vão ter uma vida dita normal. Quero morrer
fazendo arte. Pois arte é magia.

JOKA

joão carlos faria

Nenhum comentário: