Seguidores

quinta-feira, 23 de dezembro de 2010


JOKA


O doce veneno de escorpião ...


Uma respiração profunda estou vivo. As vezes não me sinto vivo. Ando ultimamente com todos os meus Demônios de mãos dadas. E não vejo nem um Anjo a me ajudar. Mas sei que estão a me proteger. Em pleno calor sinto frio e enfrento os desejos de sexo banal. Sei que é banal e irei me libertar. Mas convivo com minhas LÚXURIAS … No momento fazem parte de mim. Devo compriendelas descer cada vez mais as escadas de meu inferno. Sentir e analisar. Para escapar destas amarras que me impedem de voar. O caminho é longo e incerto. Tenho vontades.
Hoje numa livraria rodeado por livros meus impulsos me me levaram Ao Doce Veneno de Escorpião e ali sentindo-me nú. Li muitas páginas deste livro. E depois compreendi que devia deixá-lo de lado. Procurei superficialmente algo novo. Pois ainda não estou familiarizado com esta livraria. Passei pela seção de exoterismo e nada realmente me interessou naquele momento. Depois na seção da literatura nacional me deparei com a biografia de Lobão. Ai entrei de cabeças e devorei com toda a vontade muitas e muitas páginas deste livro. Que vou continuar lendo … Não tenho mais prazer em ir a Shoppings. Para mim hoje parece muito superficial. Já ouve tempo que eu não saia deles. A vida hoje parece um Shoppings Center. Não consigo realmente entender a importância em constituir família ter filhos para mim isto tudo parece banal de mais. E não tenho uma vida louca uma vida bandida feito Lobão. Para mim é um eterno cotidiano tentando enfrentar meu vazio
interior. Sinto-me cada vez mais vazio. Só vejo algum sentido quando estou em meio a natureza.
Amigos hoje são poucos quase nenhum. E nada de alma gêmea. De encontrar uma parceira. Devo ser um monstro de ser humano. E socialmente estou bem estudandando. E trabalhando me perguntam por novidades? Estou trabalhando. Fazendo minha representação do belo quadro social e tentando manter minha substencia. Mas para tornar-me humano de verdade isto nada importa.
Ter dinheiro, fama. E sucesso não passa de vaidade. O que importante e se experimentar adentrar ao próprio inferno descer as escadas de si mesmo. Talvez por isto goste tanto de biografias quando bem feitas escancaram o personagem seus Anjos e Demônios. Desfazem mitos … Ando a ler Jorge Luis Borges um autor bem estranho e bem profundo. Mas ei de desvendá-lo. Vou ao mar. Sair de minha rotina. Buscar novas inspirações e terei que voltar a esta cidade? Quando eu descobrir outras maneiras de ganhar a vida deixarei esta cidade. Que já não tem nada a me acrescentar.
Preciso de novas maneiras de ver o mundo. De sentir este exterior. Esta terceira dimensão. Para quando partir indefinitivo leve algo de novo. E que realmente tenha valido a pena viver.
Estou abandonado aos poucos o velho homem de vaidades das mais loucas e deturpadas. Que nunca me levaram a nenhum lugar que realmente valece a pena.
Ser mediucre não é fácil. É bem chato. Mas quando descobrimos que não somos bons e sim ruins é
um alivio. Minhas máscaras estão caindo. E sinto-me nú. Diante de mim. Não ligo para as pessoas elas não se veem. O mandamento que o mestre Jesus Cristo deixou Amai vos uns aos outros como eu vos amei. É o mais difícil. Eu realmente não amo esta humanidade doentia. Que os Deuses tenham piedade de mim. E mostrem o difícil caminho do verdadeiro amor.
E fácil se dizer esoterista. Ler livros. Frequentar grupos. Fazer práticas mas ser de verdade e para poucos e ainda não sou um destes poucos.
Sinto-me o pior homem que a humanidade produziu Adolf Hitler é bom perto de mim. E que não foi me dado carisma e nem poder. Se os tivesse não sei o que faria. Sou um péssimo politico e um artista fracassado. Ninguém me publica e ninguém vota em mim. Que sorte desta humanidade mesquinha e caduca.
Não passamos de doentes em fase terminal. Que humanidade e esta que se mata com bebidas, drogas. Prostituição. Pornografia das mais variadas formas.
Não temos respeito e nem amor de verdade pelo próximo. E estupidamente enchemos as igrejas de todos os credos. Temos uma religião moldada aos nossos gostos.
Temos um sistema de educação que não educa ninguém. Uma arte e cultura cada vez mais sem sentido.
Sou fruto de minha época como cada ser que se diz humano que me cerca.
Preciso sair desta lama. Ou me afundarei cada vez mais nela.
Realmente eu não existo sou mera ilusão.
Talvez por isto eu tenha sacado a mensagem se é que tem alguma do filme O GUIA DO MOCHILEIRO DA GALAXIA.
Na arte há poucas coisas que ainda salvam e na politica?
Não sei vou me embora para Copacabana. Quando chegar a Tsunami as vezes eu sobrevivo.
No mais se o universo me permitir em breve eu volto. Que o Cristo nasça dentro de cada um de vocês que me leem.
Talvez ainda tenhamos alguma esperança?


JOKA

joão carlos faria

Nenhum comentário: