Seguidores

domingo, 28 de novembro de 2010


JOKA


A Kaoticidade urbana nos reflete ...


Enquanto no ensolarado Rio de Janeiro a liberdade de ir e vir não existe. Enquanto famílias estão presas dentro de casa. Enquanto a violência brota de dentro dos poros. E nem um desgoverno resolve. Estou aqui em São José dos Campos num calor de rachar. Hoje não vou ao Parque da Cidade. Vou ao Estival. Ver artistas se soltarem exporem seus universos muitas vezes doentios perdidos no mundo tentando ver luzes em meio a escuridão. Poetas ? Atores ? Homens e Mulheres perdidos num labirinto que chamamos de arte ? Mas como afirmam alguns esoteristas a arte hoje está degenerada? Toda perdida ? Tenho sim muitas dúvidas eu vivo na incerteza se sempre estou lá entre eles entre nós. Também sou degenerado. Ai não tenho duvida preciso me regenerar. Encontrar o Deus que habita dentro de mim. Estou repleto de Demônios. Estou tentando realmente lutar contra eles meus Demônios. Eu que sou o que sou talvez não queira ser. Estamos aqui de passagem. E Nélio não adianta nos matarmos pois já estamos mortos. Precisamos fazer o Cristo nascer dentro nós. Só há luas dentro de nós ainda não existe SOL. Precisamos fazer o Sol nascer. Não sei não consigo perceber se estou no caminho. Estou repleto de pensamentos perversos. Cheio de violência imanifestada. Não sei ainda o que é o belo. Não estou saltando abismos. Estou dentro de meu próprio abismo e não vejo o próximo.
Por isto estamos cercados de fome, misérias, doenças mentais. Nos seres humanos vivemos numa grande UTI.
Já estamos dentro do abismos. Precisamos sair nos religarmos ao todo. Me vejo KAOS … Sou Kaos. Nenhum desgoverno vai nos tirar toda esta violência. Só vejo algum alento quando estou em meio a natureza. Entre as águas. As arvores e os pássaros. Aqui na cidade nos perdemos em consumir. Em buscar ter. Tudo nos aflige. A solidão me aflige. Quero a liberdade nem sei o que de fato é liberdade. Enquanto balas estilhaçam as cabeças nas Ruas do Rio. Estamos aqui quando escrevo Rio vecé este imenso Brasil. Governado por igrejas, empresários e partidos políticos.
Se não mudarmos a nós mesmo. Tudo isto continuará e será piorado. O Rio reflete nosso interior de Kaos.
A politica reflete o deserto de desumanidade que habita em nós. Já passei por vários partidos e nenhum muda nada tudo de mal já esta enraizado naquelas pessoas com seus jogos de poder.
A bondade a verdadeira bondade não habita nesta doente humanidade.
O que será de noś . Nascemos crescemos. As vezes nos reproduzimos e passamos todas as nossas neuroses e patologias para nossas crias. E para alivio da natureza morremos.
Nada nos pertence nossos corpos não nos pertence. Então porque temos tanta vaidade. Temos tanto apegos. Nós preocupamos com nossa auto imagem. Quando eu morrer passaram alguns meses e nem sequer lembraram de minha inútil existência.
Definitivamente eu não existo e nem você existe. Eu estou adormecido. ... Quero acordar … quero passar a existir. Quero SER pois ainda não sou.
Ouço Milton ouço Chico. O QUE SERÁ QUE SERÁ ???
Preciso nascer. Preciso fazer o CRISTO nascer dentro de mim.
Sem isto farei mais uma vida que não me servirá de nada.
A vida é rápida. Ainda temos algum tempo. Mas a ampulheta de areia esta se esvaziando.
Tudo passá. O que será ainda será ?
Não devemos acreditar em desgovernos … em religiões … em utopias que nunca nos levam a lugar nenhum.
A verdade habita dentro de nós.
A liberdade habita dentro de nós.

JOKA

joão carlos faria

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Somos

JOKA


Vamos nos encontrar no Bola de Meia no dia primeiro mesmo já sendo DEZEMBRO.
Começam as Festas. E para mim é sempre um prazer estar com o povo da cultura.
Nem sei se um dia serei ou não um profissional do ramo. Não tenho o menor jeito
para elaboração de projetos Ou o tato certo para ARTICULAR nas burrocracias,
deputados, secretarias de estado de cultura, ministério da cultura. Empresas???

Gosto mesmo é de criar. E sentir o calor humano. Na primeira vez que fui a
ciranda. Minha sintonia era outra
e exagerei num discurso.
O importante é esta Diversidade de gente tem gente que entra e sai muitos de nos

já vimos muitos passarem.
Adorei dançar ciranda na Fundação minha ultima vez naquele local havia sido em
1998.
Quando foi fechado o velho conselho de lá para cá aprendemos a nos virar sem a
Fundação.
Gostei da experiencia de ir a um Sarau e não declamar meus velhos textos
desculpem caminhei para a prosa.
Confesso gosto destes cortejos. A cidade é viva não sei se somos poucos ou
muitos mas somos. Cada um querendo a sua visão de revolução

e olha que já passei por muitas.
E devo passar por muitas outras estamos encerrando o ano com O ESTIVAL.
Estou propondo fazermos um longa metragem com gente desta cidade já até fui
chamado de bairrista por isto. Mas cabe a uma comunidade encontrar suas
soluções.
E podemos fazer. Se esteticamente fica bom ou mal ai é outro papo. Já produzimos

quatro CDs de poesia coletivo.
A cidade tem uma produção cultural diversa.
A  tecnologia de hoje facilita.
Quanto ao Fundo temos que conquistar a COMUNIDADE JOSEENSE. SÃO JOSÉ 'DOS CAMPOS


E minha percepção pelo hoje da comunidade a onde moro a Vila Industrial ela não
percebe a existência de uma Cena Cultural.
O que fazer? Cabe a nós descobrirmos as Saídas ?


Abraços

JOKA

joão carlos faria

sábado, 20 de novembro de 2010


JOKA


A produção de um filme ?


Agora que decidi produzir filmes só me falta uma coisa. Ter a ideia de um argumento? um roteiro?
E ai como criar um roteiro ? Pois sem pensar um roteiro não há filme. E eu ainda não escrevo histórias. Tá to pensando em pegar uma grande música como a de Fernando Mendes e roteirizar. Mas como se começa a roteirizar a dar vida a uma história? A música em questão pode ser Você não me ensinou a te esquecer ? Eu poderia pensar um roteiro politico ou esotérico. Mas para quem vai aprender fazendo. E melhor uma boa historia de amor. Tá mas bem longe dos moldes hollywoodianos. Talvez até nos moldes globais. É porque ser vanguarda cansa. Não gera bilheteria.
E ai algum imbecil vai me escrever vá fazer uma faculdade de cinema. Faça uma oficina e tudo o mais que dizem quando não sabem fazer. O lance é fazer acreditar na nossa possibilidade e eu acredito no meu poder de convencimento mesmo que leve alguns anos. Tá terminado uma produção
voltamos ao vazio. Mas o gostoso é fazer ou até tentar. A vida passa de modo rápido fazendo ou não fazendo acabaremos num cachão. Então vou é me divertir um pouco. Antes que eu vire presunto. Já não tenho vaidades de sucesso ou fracasso. No geral somos sempre mediucres o desafio da vida é superar nossa mediocridades. Dar um colorido a ela. No geral as memorias são bem mais leves que a vida real. O passado sempre tem uma nostalgia. E meu presente meu agora estou num sábado a noite numa noite quente digitando este texto. Mas sei que amanhã estarei no Parque da Cidade em contato com a natureza. Se assim o Universo me permitir. Um amigo quer me desenhar a planta de uma casa em forma de vagina falei para ele faça divirta-se sonhe. Não há limites para sonhar. Como diria meu professor de cinema Diogo Gomes nossos filmes já foram realizados dentro de nossas cabeças. E para que realizar no plano físico? Se já tá tudo criado ? Para outras pessoas virem curtirem ou não curtirem nossas realizações pois arte não é só para ser elogiada e para ser criticada. Detonada e tentar-se fazer melhor. Que nem sempre acaba acontecendo. Mas vamos sempre em frente queiramos ou não?
Talvez num universo paralelo já tenha feito vários filmes. Vou aceçalos nos meus sonhos e estes roteiros virão. O cinema é um produto de equipe de um coletivo. O diretor é alguém que organiza tudo. E o produtor é quem banca no caso do Brasil este produtor chama-se GOVERNO.
Não se faz filme no Brasil sem o apoio do Estado isto acaba sendo perigoso pois só se consolida produtores chapas brancas ou achamos que o Ministério da Cultura é isento?
A era Dilma continuará com um projeto de Brasil para o bem ou o mal. Uma nova elite econômica, social, cultural se estabelecerá. Dilma me lembra uma ex primeira ministrada da Inglaterra mas de centro esquerda? Ele tem força. Ela é forte.
As forças politicas estão sempre em embates e nos aqui só assistindo. Queria eu que foce de camarote.
Portanto vou fazer cinema para mim chega do que chamam de Ação Cultural meu lance é dominar o fazer da cultura de massa. Chega de ser manipulado. Epa será que também quero manipular ?
Eu escrevo quem escreve defende um ponto de vista com relação ao mundo. A arte é uma manifestação politica com este tética. E para mim quem não vê arte como uma atitude politica é alienado.
Então meus roteiros terão ingredientes como politica, filosofia, esoterismo e arte. Ai sim farei algo que tenha vida onde as pessoas irão se divertir e refletir o mundo que nos cerca.
Esta música de Fernando Mendes é maravilhosa. A sensibilidade dele estava a flor da pele.
Acabei ouvindo a original com ele interpretando e com Caetano Veloso. Não consigo ouvir uma música uma só vez. Quando gosto ouço mais de dez vezes.
Espero começar a escrever historias também. Estamos ai vivos só preciso de uma equipe inicial de dez pessoas. E este grupo começa a ser formado. Já esta se materializando. Vamos em frente filmar e registrar nosso momento histórico.
Pois estamos ai VIVOS ...vivos ...Vivos …
Antes que chegue o abismo o abismo abismo …
Espero saltar saltar saltaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaarrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrr ….


JOKA

joão carlos faria


sexta-feira, 19 de novembro de 2010


JOKA


Contra Cultura nos dias de hoje ...


Epa a liberdade total no mundo virtual para mim chegou estou de LINUX. Sim meus caros estou usando LINUX instalado por um amigo. Agora chegando finalmente em termos de tecnologia aberta ao século XXI.
Já tentei algumas vezes e agora sim consegui. Chega da prisão da MICROSOFT... Em minha cidade São José dos Campos começa este fim de semana O ESTIVAL um projeto de um coletivo de artista que consegue fechar com chave de ouro a Cena Cultural neste ano e ainda tem a luta pela criação de um Fundo de Cultura que já tem uns cinco anos.
O lance e agir. Epa as vezes nos cansamos enquanto indivíduos mas o COLETIVO é mais forte e avança com suas falhas e acertos.
São José precisa agora de um Movimento de Revitalização da Politica que seja com P Maiúsculo para romper com o que está ESTABELECIDO.
Sei que fazer ARTICULAÇÃO é algo difícil e cansativo e muitas vezes ingrato. Mas seguimos em frente pois estamos ai VIVOS e o mundo gira. E como diz Gilberto Gil o politico devemos intervir sim na sociedade. O programa que uso tem a participação de milhares de seres humanos que dedicam seu tempo de forma gratuita. A Wilkipedia esta ai. E porque não criar uma nova forma de fazer POLITICA de forma que beneficie a TODOS e não a algumas minorias com jogos de interesses privados.
A sociedade é mais forte que grupos de indivíduos que trabalham para manter um STATUS QUOR que sempre beneficia a uma pequena parcela.
Estamos ai com a contra – cultura surgida no seculo vinte. Nos dá uma bagagem de mudanças que devemos continuar a explorar neste novo milênio.
A leitura de AS QUATRO ESTAÇOES de LUIZ CARLOS MACIEL me dá um FOLEGO novo.
Ele Maciel um dos fundadores de O PASQUIM.
E de forma primorosa e livre escreve com uma verve apaixonante de filosofia, arte, politica. Para ele nada tem fronteira de ciência a esoterismo. Passando pela politica as vanguardas. Mostra que tudo pertence a um mesmo todo.
Mostra que devemos saltar o Abismo e chegarmos a um ponto de forma inteira.
Nos percebemos de forma inteira e que estamos ligados a um todo. Que também somos parte da natureza que nos cerca.
Chega da vida neurótica da busca pelo ter. Precisamos sim de tecnologia de dinheiro mas não os deixamos nos DOMINAR. Não passam de instrumento.
Espero que a Comunidade da qual participo SÃO JOSÉ DOS CAMPOS entre num processo de amadurecimento politico. E crie novas saídas para o fazer politico. E que se reflita nas eleições de 2012.
Digo estamos ai VIVOS para pensar, refletir e agir. Que como fala Moacyr Pinto e Acióli numa carta façamos uma CIRANDA de ideias e ações.
Podemos começar pelo universo virtual até se chegar a encontros no mundo real.
Estamos numa era de mudanças rápidas. E precisamos ter força para agir. O dinheiro a ganancia e a possibilidade de um poder ultrapassado não pode nos corromper.
Busquemos a liberdade.
O ESTIVAL esta ai vamos a FESTA …

JOKA

joão carlos faria

sexta-feira, 12 de novembro de 2010

JOKA






Viver de arte é morrer de tédio?





Hoje pela manhã andava a navegar pela poesia de Edu Planchez. E agora ouço Caetano Veloso com sua música ISTIS LONG WAY … Hoje a tarde delirava num projeto que sei que nunca irei fazer uma Semana Edu Planchez nas cidades de São José dos Campos e São Sebastião do Rio de Janeiro.

Semana para tirar uma onda de São José com suas esquisitices conservadoras em pleno século vinte e um. Anda -se a fazer sempre o mesmo por estas bandas mesmo na era da Flip.Que é uma festa organizada pela elite dominante do planeta. Mas muito bem feita.

Mas o que fazer de novo ? Já ganhamos o título de escritores fracassados ? Já fizemos muito e também muito pouco. Já acreditamos em tolas revoluções. Ai descubro que a cena politica e cultural

é dada a minima pela comunidade de minha cidade. Nos que nos dizemos artistas não existimos para a população joseense e ainda falam que ninguém vai nos eventos da Fundação Cultural Cassiano Ricardo? Pergunta quando mudará ?

O que fazer numa era institucional ? Onde a arte se que é existe arte hoje ? Virou projeto ? Apresentados as Instituições Culturais das cidade dos países e de todo planeta.

Acho que a grande sacada atualmente é fazer arte no paralelo ter uma profissão apesar de nossa vocação. Se é que temos de fato uma vocação. Pode ser um delírio coletivo. Epa a o livro DELIRICO DE DAILOR VARELLA.

Viver de arte é muito perigoso. O artista perde a essência básica que é questionar. Subverter. E pelo menos tentar explodir o que está estabelecido.

Portanto pensando assim artista a flor da pele já não existe ou são muito poucos. Sendo a figura um marginal ou alguém crescido dentro de um sistema. E acaba se marginalizando. O artista produto é uma invenção da cultura de massa HOLYHOOD. E nos somos mas tomates.

Todos nos no caso escritores queremos cometer a bobagem de querer repetir um caminho já feito por um Paulo Coelho e mesmo assim descem a lenha no cara.

O importante é tentarmos buscar uma originariedade. Que coisa que busco e ainda não alcanço ainda irei alcançar? Mas é um caminho tortuoso e metafisico talvez não alcancemos numa só vida.

Estamos cada vez mais sós. Ninguém se junta com o proposito de mudar de fato. Acabam repetindo as mesmas tolices que já fizemos. Não há memoria. E ausência de memoria é burrice. Já não tenho a devida paciência para frequentar sarais onde ninguém ouve de fato o que o outro tem a dizer. Somos por demais vazios.

Vou ouvindo Caetano varias vezes no decorrer da escrita deste texto. O cara é genial dizem que ele e Lula só falam bobagens.

As vezes sim as vezes não. Quem acerta sempre?

Caetano já é uma lenda viva com Chico Buarque que arrebata uma multidão de prêmios com seus livros.

Quem de novo há de comentarmos ? Favor me apresentarem os grandes talentos de nossa geração?

Se existem devem ainda estar bem quietinhos. Pois nossa mediocridade toma conta e não dá espaço.

Nunca vejo um pseudo artista. Indicar outro que saia do coração. A coisa é sempre bem hipócrita.

Só por trocas de vaidades. Chega vou é dar um mergulho no mar. Subir uma montanha.

E ouvir ITS LONG WAY ... . E meditar … Viva Samael Aun Weor … Que nos trouxe a chave ...

Tentar achar um bom livro para ler. Uma boa música. E tentar fazer algo mesmo que seja para mim só ler.

Onde esta Pasárgadas ? Não sei … As vezes uma TV a cabo. Salva ou até a internet desde que saibamos a hora de entrar ou sair.

Vou de novo citar LUIZ CARLOS MACIEL e seu livro AS QUATRO ESTAÇOES ele consegue pensar. Sem estar preso ao academicismo.

Meus caros temos que entender que a arte vem de dentro de nosso abismo.

E para criar devemos adentrar dentro de nós.

Que meu texto acerte um só coração. Além de meu próprio.

Enquanto isto vou ouvindo Caetano. Lendo Edu e buscando um livro de Chico Buarque.

Com estas ferramentas e outras tentando me desvendar.

O ABISMO ESTA DENTRO DE NÓS …

Ainda lerei O PEQUENO PRIINCIPE …

Ainda criarei uma obra que alcance a minha e sua essência.

Um incendiário beijo...





JOKA



joão carlos faria



http://www.youtube.com/watch?v=NRP4fxEORX0&feature=related
http://www.youtube.com/watch?v=NRP4fxEORX0&feature=related

domingo, 7 de novembro de 2010

JOKA






Viver ou Sobreviver ?





Ando a ler o livro As Quatro Estacões de Luiz Carlos Maciel que me provoca sobre a Contra – Cultura e ações de politica e cultura que hoje vivemos.

O autor tem uma sensibilidade impar. E como Paulo Coelho viveu os coturbados anos 60.

Acompanhou a Geração Beat. E fala de todos os movimentos que existem ou existiram com uma grande experiencia.

Sei que não temos as respostas para as insatisfação de nossa época. Parece que tudo que fazemos ou tentamos fazer dá sempre em nada. Então no momento estou optando por não agir. Que já é uma maneira de agir. Vejo o cinismo tomar conta de todos incluindo a mim mesmo. E a apatia. E ai reagir como ? Suicidar como ouço de algumas pessoas não resolve. Acho mais difícil adentramos dentro de nós mesmos e tentar nos desvendar. Por isto mergulho no abismo do conhecimento. E vou me afundando afundando afundando. Uma hora desta não volto. Ou volto renovado.

Tudo parece recorrente por mais diferente que seja um dia parece sempre igual. Como as pessoas podem ser infelizes ao trabalhar? Se contam o tempo todo os momentos que faltam para irem embora? As vezes pego a mim mesmo comemorando a chegada de um fim de semana ou feriado?

E ai parece que estamos MORTOS ? Pois não vivemos apenas SOBRE VIVEMOS e sobreviver não deve ser o objetivo de uma vida?

Largar tudo ? Não resolve o desadorante vence? A fome aperta? As contas chegam? Mas continuar vivendo este sistemas que como afirma José Moraes Barbosa somos nos mesmos?

Será que realmente somos ? O tal sistema ? Estamos presos a este jogo. Que nos absorve. A escola

hoje na minha opinião é algo mais reacionário que existe. Como mudar a educação? O fazer politica cada vez mais é sujo. E acabamos nos envolvendo no jogo. Este ano acabei escrevendo. Não dava para não tomar partido? Mas é agora Dilma irá nos chamar para ouvir nossa opinião?

Negativo desta festa estamos de fora? Não somos dirigentes de partidos. Não fomos eleitos nos só somos eleitores ? E eleitor para mim não manda em nada só vota. E um mundo onde a cidadania só se baseia no VOTO não é e nunca vai ser DEMOCRATICO.

Precisa -se criar uma reação. E qual deve ser a reação ? Pacifica ? Violenta ? Passiva já é ?

A esquerda e a direita já não tem resposta nenhuma ? As nossas indagações e como Luiz Carlos Maciel acredito que se deve vir um novo movimento de reação ao que esta estabelecido ?

Mas sempre falamos só para nos mesmos ? Ninguém mais convence outro ? Enquanto isto quem tem poder manda e desmanda. Quem tem poder? A imprensa ? Partidos Políticos ? Empresários ?

Forças Ocultas ? Igrejas ?

E o povo no caso nos que não nos admitimos povo estamos ai governados pelos jogos de poder.

Lula escolheu Dilma e fez nos engolir a Dilma. Acabei votando e pedindo voto para ela.

Falei em Agosto num encontro tudo de uma maneira até agressiva e fui rechaçado. Mas meus caros estamos sendo iludidos ? E não sabemos como reagir?

Circular dentro de câmaras municipais ? Ou em gabinetes de prefeitos não vai resolver nada. Os caras estão lá apavorados tentando se manter. Mesmo sem nem acreditar no que fazem.

Querem é manter um emprego. Ter uma maneira de sustento. A humanidade anda num limite e não sabe como reagir ou agir ?

Uma coisa é certa sozinhos não vamos sair desta LAMA.

E um pais não pode se basear só em sucesso econômico. Um pais precisa de educação e educação não pode só ser para preparar o jovem para um mercado de trabalho que sequer existe.

Nossas crianças e jovens estão sendo manipulados por uma maquina educacional que não lhes passa o rel sentido da vida.

Estas novas gerações serão tão frustradas quanto a nossa ? Consumir só. Não traz valor nenhum ao ser humano.

A humanidade precisa redescobrir ou criar novos valores civilizatórios.

E para que serve o universo virtual ? Para não refletir ? Só para temos nossos quinze minutos de fama?

Meus caros já não temos cinco segundos tamanha a fragmentação.





JOKA



joão carlos faria

terça-feira, 2 de novembro de 2010

JOKA






Sem pensar ?



Ao amigo Davi F. F. - Davi Fernandes de Faria -



Ouvindo Caetano Veloso … Num inicio de tarde … Depois de terminada a eleição onde temos Dilma presidenta da República e o mundo continua a girar. A vida passa e ontem estive caminhando pela Serra da Mantiqueira onde a liberdade corre solta. E o mundo não se resume a cidade cansadas. Onde só se vê prédios. Na natureza vemos o que ainda resta da Mata Atlântica. Caminhamos por mais de quinze quilômetros num dia chuvoso e quase frio. Mas tudo é valido. Estar na natureza é ver vida e morte ao mesmo tempo. Tirei um pássaro da rua a morrer. E não conseguia ajudar de outra maneira que é abreviar a vida. Como não sou ateu. Acredito em vida após a vida. Mas será que realmente estamos vivos? Tenho lá minhas duvidas. O calor se faz presente neste quarto. Onde nú escrevo. O que é realmente a liberdade? Não sei. Tenho a impressão que passarei vidas e mais vidas tentando desvendar.

Tem hora que dá vontade de chutar o balde e deixar instintos falarem mais alto. Mas não os deixo. Sou mais razão que emoção. Talvez por isto necessite andar andar andar muito. Dias destes balancei os esqueletos numa FESTA que fui. Tem hora que é muito chato analisar tudo. Quero aprender a viver sem pensar. Um amigo das antigas a um tempo andou falando que estava vivendo sem pensar.

Acho difícil ele é capitalista por demais. Já não tenho nada contra o Capitalismo quero é a minha e a

sua parte do bolo que cada um de nós consiga seu espaço. A noção de empreendedorismo faz parte da humanidade. Ter é necessário dez que tejamos bom senso equilíbrio.. O ser e o ter não estão separados. Precisamos progredir materialmente como espiritualmente. Tudo deve se basear num equilíbrio. Precisamos da vida em sociedade para vermos onde erramos mas como fez Zaratustra de vez enquanto é necessário se recolher no alto de uma montanha. Viva Friedeich Nietzsche com seu

Assim falou Zaratrusta.

Samael Aun Weor com seus mais de setenta livros. Tenho saudade de ler Lobsang Rampa. Carlos Castanheda.

Ler nos ajuda a apreender. Sobre a vida e além da vida a morte. Mas o certo é experimentar devemos sentir. Vivenciar. As vezes é necessário que rasguemos os livros que lemos. E buscar experimentar. Viver sentir amar. E se conseguimos trazer algo de volta a esta fria caverna escura onde estamos. Já será valido. As vezes mesmo queremos é ficar. Continuar viajando. Um dia ainda quero tirar um ano de minha vida para viajar viajar viajar. Sem me preocupar em voltar a minha cidade a vida cotidiana. Nem sei se farei mais quem sabe. Nunca sabemos o que o UNIVERSO nos reserva de bom ou ruim. O bem e o mal são meras ilusão. E a ética é uma conduta de vida. Cada ser tem sua própria ética.

A ética da caça é uma a do caçador é outra. A crueldade é sempre um ponto de vista?

Estamos aqui vivos escritor e leitor. Nunca omito minha opinião faço parte deste mundo ocupo um espaço. Respiro este oxigênio contaminado de uma grande cidade.

Quando eu criar minha oportunidade irei morar no campo e na praia. Quero circular este pequeno planeta. Passaportes, fronteiras, alfandegas. São mera ilusões. O mundo tem suas fronteiras naturais os Oceanos. Para que construímos barcos, aviões? Para serem usados.

O mundo todo é nosso da humanidade. O mesmo ar que respiro aqui se respira em qualquer parte.

Para que temos medo da morte física? Se sempre estamos aqui de volta?

Quero aprender a voar com meu espirito com meu ser. E viajar por todo universo.

Eu estou vivo? E você?

Que nosso pais. Consiga avançar com uma mulher no poder. Que os empregados deixem de ser empregados e passem a ser donos de seu nariz.

O mundo esta ai para ser construído. Enquanto não somos arrojados ao abismo abismo abismo ....









joão carlos faria