Seguidores

segunda-feira, 9 de agosto de 2010

JOKA






A doce ilusão de estar em cena ...





Demora mas chega … Oswaldo Jr. - Reginaldo Poeta – Wallace Pousso





Desejo de mudar? Na hora em que acaba o silencio... Acabo de ler trés poetas. Cada um em sua prosa. E vejo que como eu sentem-se tão perdidos. Nesta era de sites de relacionamentos. E no fim ninguém se relaciona com ninguém? Já há semanas opto pela solidão. Não que me prendo num quarto. Ou numa cabana na floresta. Estamos bem sós neste universo virtual. Que de verdade bem verdadeira não acontece nada de novo. Só se cria novas ferramentas que não passam de teias que nos prendem. As vezes é bom parar e ler um blogue. Uma garrafa perdida num oceano de vazio. Tudo é uma grande teia de aranha. E a liberdade de fato não a temos. Estamos presos ao relógio nunca usei um relógio de pulso. Ou um anel. Mas sempre estou preso do mesmo jeito. Admiro as pessoas que tem uma ousadia no jeito de se vestir. Mas e por dentro talvez seja tão careta quanto nós. Hoje já não subo e desço um morro que leva do meu bairro ao centro vou de ônibus. Sinto-me cada vez mais preso as convenções e nunca fiquei longe delas. A gente se acha diferente mas sempre somos iguais. Um dia num evento vi umas cópias das cópias das cópias. E perguntei a um amigo porque a saia masculina nunca pegou? Disse ele porque é gay demais. Não acho. Vi uma gravação de uma oficina de teatro que grande barato uma oficina no Rio de Janeiro é igual a uma de São José dos Campos pois as pessoas são sempre as mesmas em suas doce ilusão. E nós escritores sempre assistindo a tudo isto de camarote sem poder intervir? Tudo é um show de vaidades. Agora é chique estar num twiter. A moda é Facebook o Orkut já era e da fato nos acrescenta alguma coisa de novo? Abri um Facebook para alguém fiz minhas recomendações de que é o ó do borogodó e depois bem mais tarde refletindo vi como sou otário. E como somos bem otários. Não tenho formula nenhuma do que de novo devemos fazer. Graduação, pós graduação, lato sensu.concursos. Negocio próprio E vamos aos poucos parar num cemitério? E ninguém vai nos cliogenar?

Vi no sábado pessoas que gosto tudo bem rápido uns fazendo campanhas eleitorais. Outros numa correria da nada. E de nada adianta toda nossa vaidade? Somos mortais... E lembra vá de minhas doces criticas. Quando conseguirei ser igual a uma tataruga? Ficar em silencio não é fácil por dentro estamos gritando resmusgando. Ir ou não embora da cidade não faz diferença nenhuma. SUCESSO e FRACASSO são ilusões ando a ver muitos filmes na TV a cabo. E acho uma grande bobagem deste rotulo de fracassados que dão a muitos deles. No BRASIL isto é bem mais camuflado pois aqui a roda da fortuna gira bem mais rápido uma hora estamos por cima da carne seca e outra bem em baixo. E assim vai...E hoje em dia nesta minha cidade já não há os co quiteis...

Quantos de meus amigos já viveram a base de co quiteis. Quantos cachorros quentes nos sustentarão. E nada tudo passa e ainda não fizemos o grande longa metragem. E neste tempos virtuais ainda teremos um grande livro? Uma grande música? Uma banda descolada ? E a peça de teatro?

Hoje vi a cidade em cima de uma passarela que cortava a Via Dutra. E não havia buracos para se jogar um monte de fezes como já fez alguém que bem conheço..Cade as Capivaras?

Tudo é maya uma grande ilusão. Um dia passaremos ser ter sidos passarinhos? E cade nossa poesia de cada dia?

Qualquer hora vou sair por ai comprando presentes em lojas de um real e distribuindo a todos. Tudo sempre se repete minha roupa de Gentileza e Bispo do Rosário estão guardadas esperando o momento certo para entrarem em cena?

Mas que cena... ???

Dias destes dialoguei com o Dailor Varella num jornal local... Epa um texto meu publicado em papel... Para toda a cidade ler?

Que coisa será que ainda estamos vivos?

Na Cena? Ou em Cena?



João Carlos Faria



Pasárgadas



Editora e Vídeo





BlOG DEMORA MAS CHEGA de Wallace, Reginaldo, Oswaldo
http://demoramaschega.blogspot.com/

Nenhum comentário: